Venezuela afasta funcionários públicos que assinaram petição por referendo

chavezcandanga / Flickr

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro

O Partido Socialista Unido da Venezuela, de Nicolás Maduro, anunciou que o Presidente ordenou a vários ministros que afastem dos cargos, no prazo de 48 horas, os funcionários públicos que assinaram a petição solicitando um referendo revogatório presidencial.

O anúncio foi feito pelo dirigente socialista, Jorge Rodríguez, durante uma conferência de imprensa em Caracas em que explicou que “por ordens do presidente do partido, Nicolás Maduro, foram citados cinco ministros do Gabinete Executivo”: da Alimentação (Rodolfo Marco Torres), de Indústrias Básicas (Juan Bautista Arias), das Finanças (Rodolfo Medina), da Presidência (Jesus Salazar Velásquez) e do Trabalho (Oswaldo Vera).

O objetivo é “debater alguns tópicos relacionados com o desenvolvimento do trabalho nesses ministérios e estabelecer, de maneira categórica, que não pode haver, em cargos de direção, nos ministérios, instituições públicas, governações e câmaras municipais, pessoas que estejam contra a revolução e contra o Presidente Nicolás Maduro”, justificou Rodríguez.

Segundo o responsável “foi-lhes entregue, a cada um desses ministros, os nomes das pessoas que, de forma pública, expressaram a sua proximidade com a direita venezuelana e participaram no processo de autorização ao partido da direita para a ativação do falecido referendo revogatório”.

“Têm um prazo de 48 horas para que estas pessoas, que têm cargos, cargos considerados de confiança, de direção, tenham outro destino laboral”, frisou.

A 9 de março, a aliança opositora Mesa de Unidade Democrática solicitou ao Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela que iniciasse um processo para submeter o chefe de Estado a um referendo revogatório para determinar se continuará a gerir os destinos do país.

A oposição quer realizar o referendo revogatório ainda em 2016 e tem acusado o CNE de atrasar a calendarização das diferentes etapas do processo.

Se o referendo se realizar até 10 de janeiro de 2017 deverão ser convocadas novas eleições presidenciais, segundo a legislação venezuelana.

Se o referendo for convocado para depois dessa data, o vice-presidente da Venezuela, atualmente Aristóbulo Isturiz, assumirá os destinos do país até 2019, quando termina o atual mandato presidencial.

Simpatizantes de Nicolás Maduro e ministros do seu Governo têm insistido que será impossível realizar o referendo ainda em 2016.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Hélder Amaral: "O meu partido de sempre está a morrer"

Em declarações ao semanário Expresso, o antigo deputado do CDS-PP, Hélder Amaral, diz-se desiludido com o seu partido. O ex-deputado centrista Hélder Amaral, que foi também presidente da distrital de Viseu, não está feliz com o …

EDP antecipa pagamento a mais de mil fornecedores em Portugal e Espanha

A EDP vai antecipar o pagamento a mais de mil fornecedores, uma iniciativa que, à semelhança do que já aconteceu no último ano, irá manter-se para todos os pagamentos a fornecedores ao longo do primeiro …

Há centenas de pessoas em busca de tesouros que não existem na Índia (e a culpa é de um boato)

Moradores de pelo menos três vilas no distrito de Rajgarh, no estado indiano de Madhya Pradesh (MP), passaram a última semana à procura de um tesouro antigo que provavemente não existe. Centenas de aldeões estão a …

João Ferreira diz que Marcelo deixou jovens em situação de "vulnerabilidade" (e elogia lay-off a 100%)

João Ferreira criticou este sábado o atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa por deixar os jovens em situação de "vulnerabilidade". O candidato presidencial João Ferreira afirmou, este sábado, que o Presidente da República, Marcelo …

Marisa Matias critica que apenas 1% do orçamentado seja gasto com cuidadores informais

Marisa Matias, candidata presidencial apoiada pelo Bloco de Esquerda, criticou este sábado que apenas tenha sido executado 1% da verba prevista no Orçamento do Estado para 2020 para os projetos-piloto dos cuidadores informais. Os atrasos e …

Ana Gomes considera "elucidativo" que Sócrates a ataque e elogie Marcelo

Ana Gomes, candidata às eleições presidenciais, considerou “elucidativo” que o antigo primeiro-ministro José Sócrates a tenha atacado e elogiado Marcelo Rebelo de Sousa. Questionada pelos jornalistas sobre o artigo de José Sócrates divulgado na sexta-feira, em …

Só pela profissão, professores "não são grupo de risco"

Graça Freitas reconheceu a importância dos professores "para o funcionamento do país", mas rejeitou considerá-los um grupo de risco esta sexta-feira. Os professores não são considerados um grupo de risco que deva ser integrado entre as …

João Leão infetado com covid-19

João Leão, ministro das Finanças, testou positivo à covid-19. O governante encontra-se assintomático e em confinamento domiciliário. O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, testou positivo à covid-19. A informação foi adiantada este sábado …

Ricardo Salgado quer anular multa de 75 mil euros

A defesa de Ricardo Salgado recorreu ao Supremo Tribunal de Justiça para tentar anular uma decisão do Tribunal da Relação de Lisboa que confirmou uma multa de 75 mil do Banco de Portugal por causa …

Portugueses começam a votar nas Presidenciais este domingo. Há 246 mil inscritos

Os portugueses começam a votar já neste domingo, uma semana antes das eleições Presidenciais de 24 de janeiro, no chamado voto antecipado em mobilidade para que se inscreveram mais de 246 mil eleitores. As europeias e …