Vasto oceano primitivo de Marte tinha mais água do que o Ártico

Um oceano primitivo em Marte continha mais água do que o Oceano Árctico na Terra e cobria uma maior superfície do “planeta vermelho” do que a que é coberta pelo Oceano Atlântico no “planeta azul”, revela hoje um estudo.

A descoberta foi efectuada por  uma equipa internacional de cientistas da NASA e do Observatório Europeu do Sul, que mapearam “as propriedades da água em diversas regiões da atmosfera” de Marte durante cerca de seis anos.

Recorrendo aos telescópios do ITF e do Observatório W. M. Keck, ambos da NASA, e VLT, do OES,  que operam no infravermelho, a equipa de astrofísicos conseguiu distinguir as assinaturas químicas de dois tipos de água atmosférica.

“O nosso estudo dá-nos uma estimativa robusta da quantidade de água que Marte teve no passado, através da determinação da quantidade de água que se perdeu no espaço”, sustenta o autor-principal da investigação, Geronimo Villanueva, que trabalha no Centro de Voo Espacial Goddard da NASA, em Greenbelt, nos Estados Unidos.

Segundo a equipa de investigadores, a estimativa “baseia-se em observações detalhadas de duas formas ligeiramente diferentes de água na atmosfera de Marte”.

Uma, explica o OES, “é a familiar forma da água, composta por dois átomos de hidrogénio e um de oxigénio”, e a outra “é água semipesada, uma variação que ocorre naturalmente, na qual um dos átomos de hidrogénio é substituído por um átomo de deutério, o isótopo de hidrogénio com um neutrão a acompanhar o protão no núcleo”.

A nota do Observatório Europeu do Sul assinala que, há cerca de quatro mil milhões de anos (o Universo tem cerca de 14 mil milhões de anos) o jovem planeta Marte “devia ter água suficiente para cobrir toda a sua superfície com uma camada líquida de cerca de 140 metros de profundidade”.

Contudo, adianta o OES, “o mais provável é que o líquido se tenha juntado para formar um oceano que ocuparia quase metade do hemisfério norte de Marte, onde algumas zonas teriam atingido uma profundidade de mais de 1,6 quilómetros”.

No estudo, publicado na revista Science, os cientistas fizeram, repetidamente, mapas da distribuição de água normal e água deuterada, que se perde menos no espaço devido à evaporação, ao longo de quase seis anos terrestres, o equivalente a perto de três anos em Marte.

Ao compararem a razão de água deuterada para água normal, os astrofísicos “podem medir quanto é que aumentou a fracção de água deuterada e, assim, determinar quanta água é que escapou para o espaço, o que, por sua vez, permite estimar a quantidade de água que Marte tinha no passado“.

Os mapas de distribuição revelaram “variações sazonais e microclimas” na água atmosférica, apesar de Marte ser actualmente um deserto, o que, para os investigadores, pode ser útil na procura de água subterrânea no planeta.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

22 mil pessoas vão assistir (no estádio) ao Super Bowl

Um terço das pessoas presentes será composto por profissionais de saúde. Quatro equipas ainda na luta pelo título do campeonato principal de futebol americano. O dia 7 de fevereiro vai contar com uma "visão rara" nos …

Investigadores "voltam atrás no tempo" para calcular idade e local de explosão de supernova

Os astrónomos estão a "voltar atrás no tempo" num remanescente de supernova. Usando o Telescópio Espacial Hubble da NASA, refizeram o percurso dos estilhaços velozes da explosão a fim de calcular uma estimativa mais precisa …

Cientista dos EUA acredita que o monstro do Lago Ness pode ser uma antiga tartaruga marinha

Um importante cientista dos Estados Unidos acredita que desvendou o mistério do Monstro de Lago Ness e pensa que a criatura é uma espécie ancestral de tartaruga marinha. Henry Bauer, professor aposentado de Química e Estudos …

Biden quer banir uma palavra das leis de imigração dos Estados Unidos

Se o projeto de lei proposto por Joe Biden, recém-eleito Presidente dos Estados Unidos, for aprovado, a palavra alien ("estrangeiro") vai desaparecer das leis de imigração norte-americanas, sendo substituída pelo termo noncitizen ("não cidadão"). A …

“As pessoas são mortas na mesquita, na rua e no trabalho". Em Cabul, reina o medo

Os assassínios seletivos de jornalistas, políticos e defensores dos direitos humanos são cada vez mais frequentes no país, com Cabul e várias províncias a registarem um aumento da violência nos últimos meses. O medo está …

"Fiquem em casa". Enfermeiros deixam "grito de alerta desesperado" aos portugueses

A Ordem dos Enfermeiros lançou esta sexta-feira uma campanha de sensibilização a apelar aos portugueses para ficarem em casa, afirmando que é “um grito de alerta desesperado face à situação de catástrofe que se vive …

Senado francês aprovou lei que protege os sons e cheiros do campo

O Senado francês aprovou a lei, esta quinta-feira, que protege o "património sensorial" das áreas rurais do país, depois de várias queixas sobre os ruídos e cheiros típicos do campo. De acordo com o canal televisivo …

Identificado em Portugal o primeiro caso da variante da África do Sul

O primeiro caso de covid-19 associado à variante genética da África do Sul foi identificado esta sexta-feira em Portugal pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), adiantou à agência Lusa a instituição. O caso identificado …

Está a nascer o primeiro comboio português a hidrogénio (e vai substituir o Vouguinha)

Já arrancou o projecto para o desenvolvimento do primeiro comboio português a hidrogénio. A iniciativa visa transformar as automotoras a gasóleo que circulam na Linha do Vouga - o comboio chamado Vouguinha - por células …

Guardiola diz que Bernardo Silva "sempre foi importante" para City

O treinador Pep Guardiola disse esta sexta-feira que o português Bernardo Silva “está de volta” ao melhor nível e que “sempre foi importante" para o Manchester City, depois de ter "sentido" dificuldades na temporada passada. “Ele …