Variar as rotas migratórias ajuda as aves a sobreviver às alterações climáticas

pauljill / Flickr

-

As aves com estratégias migratórias mais flexíveis são menos vulneráveis às alterações ambientais

Muitas espécies de aves migratórias estão em perigo de extinção como resultado do impacto da actividade humana, das alterações climáticas e da perda dos seus habitats naturais. Mas algumas espécies são mais vulneráveis a esse efeito do que outras.

Um novo estudo, conduzido por investigadores da UEA – Universidade de East Anglia, de Norwich, no Reino Unido, permitiu concluir que algumas espécies de aves migratórias conseguem adaptar-se ao impacto destas alterações.

O estudo, publicado esta terça-feira na Ecology Letters, mostra que as espécies de aves com rotas migratórias mais variadas e que passam o inverno em destinos mais diversos – como a cegonha, o busardo ou o rouxinol-grande-dos-caniços – têm menor probabilidade de entrar em declínio.

Em contrapartida, as espécies que não dispersam as suas rotas e passam a estação de inverno, invariavelmente, nos mesmos destinos – como a rola ou a felosa assobiadeira – são mais vulneráveis a registar declínios populacionais causados pelo impacto da actividade humana no ambiente.

James Gilroy, investigador da Faculdade de Ciências do Ambiente da UEA e autor principal do estudo, explica que “as aves são conhecidas pelas suas notáveis migrações, a enormes distâncias, por vezes envolvendo autênticas proezas de orientação e resistência“.

“Mas infelizmente”, diz o investigador, em nota enviada à imprensa esta terça-feira, “muitas destas espécies migratórias estão em declínio, e é urgente percebermos o que determina a sua vulnerabilidade à acção do Homem“.

“O objectivo do nosso estudo era perceber que papel teria a diversidade migratória – ou seja, a variabilidade dos hábitos migratórios – na evolução das populações de cada espécie”.

A equipa de investigadores estudou, ao longo das últimas duas décadas, os hábitos migratórios de 340 espécies de aves e a relação desses hábitos com a população dessas espécies na Europa.

“Concluímos que as espécies que se distribuem por áreas mais vastas na época de inverno são mais resilientes, enquanto que as que convergem em rotas mais reduzidas, ocupando territórios mais pequenos, tendem a entrar em decllínio”, revelou Jame Gilroy.

“Estas espécies são mais vulneráveis ao impacto de vectores como a perda de habitat e de território de caça”, acrescentou.

“As espécies que diversificam mais as suas rotas têm uma maior probabilidade de, algures pelo caminho, encontrar refúgio em zonas mais protegidas, com melhor caça, ou melhores condições de vida”, explicou.

@aldinafranco / Twitter

-

Os esforços de conservação da Natureza devem ser focados nas zonas de migração das aves mais vulneráveis, diz a ambientalista Aldina Franco, co-autora do estudo

A equipa descobriu também que as espécies “híbridas”, que incluemtanto indivíduos com hábitos migratórios com outros que optam por se manter na região de acasalamento todo o ano, correm ainda menos risco de declínio do que as espécies cujas populações migram na totalidade.

“O declínio global das populações de aves migratórias tem sido uma preocupação premente da comunidade científica em todo o mundo”, diz a investigadora portuguesa Aldina Franco, co-autora do estudo.

Segundo a ambientalista, também investigadora na Universidade de East Anglia, “o nosso estudo mostra que as aves com estratégias mais flexíveis são menos vulneráveis às alterações ambientais”.

“O nosso estudo pode ajudar as autoridades a encontrar formas de proteger as espécies migratórias com mais vulnerabilidades”, diz a investigadora, mestre em Matemática Aplicada às Ciências Biológicas pelo Instituto Superior de Agronomia, e doutorada na UEA.

“Por exemplo, identificar as zonas de migração das espécies com menor dispersão permite às autoridades focar os esforços de conservação da Natureza nos habitats de inverno destas espécies”, conclui a investigadora.

Na Natureza, disse Darwin, não sobrevivem as espécies mais fortes, mas as que se adaptam melhor.

E as que tiverem uma ajudinha do Homem, para variar.

AJB, ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Desagravou-se a seca no país, mas Algarve mantém seca extrema

24,5% do continente estava em seca fraca, 23,8% em chuva fraca, 23,3% em seca moderada e 10,9% em seca severa. Sotavento algarvio manteve-se em situação de seca extrema. Portugal continental registou em novembro um desagravamento da …

Procurador do MP investigado por ajudar traficante a fugir da prisão

Carlos Figueira, procurador do Ministério Público de Lisboa, está a ser investigado pela Polícia Judiciária por corrupção. O magistrado é suspeito de ter ajudado um traficante a fugir da prisão. Um procurador do Tribunal de Execução …

Refugiados em greve de fome por falta de condições em campo bósnio

Centenas de refugiados de um campo improvisado em Vucjak, na Bósnia, estão em greve de fome pelo segundo dia consecutivo para protestar contra a situação degradante em que se encontram. Os refugiados no campo improvisado …

Ex-aliada de Bolsonaro denuncia grupo difusor de notícias falsas ligado ao Presidente

A deputada brasileira Joice Hasselmann, ex-líder do Governo de Jair Bolsonaro no congresso, denunciou na quarta-feira a atuação de um grupo difusor de "fake news" (notícias falsas) ligado ao atual Presidente, Jair Bolsonaro, e que …

Banco BiG: EUA e China vão chegar a acordo, mas não será duradouro

No "Outlook" para 2020, os analistas do banco BiG defendem que será improvável que Estados Unidos e China cheguem a um consenso suficiente para reverter as taxas aduaneiras impostas. De acordo com os analistas do banco …

Alemanha expulsa dois diplomatas russos. Rússia vai tomar medidas

Dois diplomatas russos, acusados pelo Ministério Público alemão de falta de cooperação na investigação de um homicídio, foram expulsos da Alemanha. A Rússia já reagiu e avisou que tomará medidas. Esta quarta-feira, a Alemanha expulsou "com …

Segurança Social demora quase cinco meses a pagar pensões

Em 2018, os beneficiários da Segurança Social tiveram de esperar, em média, 147 dias - cerca de cinco meses -, entre o dia que se aposentaram e o momento que começaram a receber a pensão …

Empresas fechadas e 28 mil despedimentos. Setor têxtil pode atravessar crise

Até 2025, a indústria têxtil em Portugal pode ver um terço das empresas a fecharem e 28 mil trabalhadores a serem despedidos. Este é o pior cenário equacionado no setor nos próximos anos. O setor da …

Ministério Público arquiva queixa de Aguiar-Branco contra Ana Gomes por difamação

Aguiar Branco tinha levantado um processo de difamação a Ana Gomes por declarações sobre alegadas ligações entre o seu escritório de advogados e o grupo Martifer. O Ministério Público (MP) arquivou a queixa apresentada pelo ex-ministro …

66 louvores a funcionários. Centeno é o ministro mais "agradecido" de todo o Governo

Mário Centeno e os seus secretários de Estado publicaram em Diário da República 66 louvores. O seu gabinete garante que não há qualquer significado político associado - nem mesmo uma despedida anunciada. O louvor é dado …