Valls candidato do partido de Macron nas legislativas. “PS está morto”

Webstern Socialiste / Flickr

Manuel Valls, primeiro-ministro da França

Manuel Valls, primeiro-ministro da França

O ex-primeiro-ministro socialista francês anunciou, esta terça-feira, que vai ser candidato às legislativas de junho pelo novo partido do presidente eleito, Emmanuel Macron, sublinhando que o Partido Socialista “não tem futuro”.

“Os velhos partidos estão a morrer ou estão mortos”, afirmou Manuel Valls numa entrevista à estação de rádio da cadeia RTL. “Este Partido Socialista está morto. Ficou para trás, não representa a sua história e os seus valores”, disse ainda.

O ex-primeiro ministro acrescentou que vai ser “candidato da maioria presidencial”, através do “La République en Marche”, o novo partido recentemente constituído por Macron, que serviu de base política às presidenciais do passado domingo e que inicialmente se chamava apenas “En Marche”.

Emmanuel Macron, um candidato centrista, venceu no domingo a segunda volta das presidenciais francesas, com 66,1% dos votos, derrotando a candidata da extrema-direita, Marine Le Pen (33,9%). De acordo com as sondagens, a abstenção ter-se-á situado nos 25,3%, a maior taxa numa segunda volta em eleições presidenciais desde 1969.

O jovem político, de 39 anos, tornou-se o presidente mais jovem da história de França desde Luis Napoleão Bonaparte (1848-1852), sobrinho de Napoleão Bonaparte, presidente aos 40 anos de idade.

No discurso da vitória, o novo chefe de Estado pediu votos nas legislativas, que se realizam em junho, para construir uma maioria verdadeira e forte, a maioria da mudança que o país aspira.

O presidente francês, François Hollande, anunciou esta segunda-feira que a tomada de posse do presidente eleito se realiza no domingo.

O seu programa é de inspiração social-liberal, prometendo reconciliar “liberdade e proteção”, reformar o subsídio de desemprego, criar apoios para os jovens de bairros desfavorecidos e “olhar para a classe média”, “esquecida pela direita e pela esquerda”.

O seu discurso, politicamente transversal, agrada sobretudo aos jovens urbanos e aos empresários, mas não é popular junto das classes populares, sobretudo rurais, pela globalização que defende.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Como o PS francês está morto alguns agora como este senhor e o próprio Macron tentam-se refugiar num novo partido para salvar a pele como políticos, por cá vejo por aí muita gente calada acerca do assunto que costumam vir logo à baila a fazer comparações quando a coisa lhes corre ao jeito.

  2. Tem toda a razão, mudam o nome do partido, mas como não podem perder o tacho, porque não sabem fazer mais nada, as pessoas são as mesmas, a incompetência mantem-se.
    Uiii se fosse um partido mais à direita a fazer o que estes fazem o que não faltaria, já era abertura de tele jornais…. enfim criou-se um sistema que só serve ao compadrio que eles criaram.
    E nós estamos a deixar… isso é que é grave

    • Portugal, como país mais atrasado da Europa, ainda tem um PS mais morto que vivo. Até ainda tem uns comunistas na Assembleia, quando pela Europa fora já foram todos varridos!!!

  3. Valls, que nas primárias levou logo no toutiço, junta-se agora a outro grupelho. Se fosse algum ps que tivesse ganho lá ia o costa beijar-lhe o anel… Outro tal como o hollande, que o soares tanto elogiou!!!

RESPONDER

Suspeito do ataque junto ao Charlie Hebdo acusado de tentativa de homicídio

O suspeito de ferir gravemente duas pessoas, na passada sexta-feira, à porta da antiga redação do semanário Charlie Hebdo, em Paris, foi acusado de "tentativa de homicídio relacionada com motivação terrorista", segundo a AFP. A informação …

SNS24 encaminhada crianças para a urgência "sem critério clínico", diz Ordem dos Médicos do Centro

A Ordem dos Médicos do Centro lamentou hoje que a linha SNS 24 esteja a encaminhar crianças "sem critério clínico" para as urgências hospitalares e pediu a definição urgente de "um plano seguro e com …

13 de outubro em Fátima com lotação reduzida a 6.000 fiéis

O Santuário de Fátima estima a presença de seis mil pessoas no recinto durante a peregrinação de 12 e 13 de outubro, estando prevista a colocação de círculos no chão, que reforçará a distância entre …

Jovem de 22 anos detido por suspeitas de burla de milhares de euros no MB Way

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um indivíduo, de 22 anos, suspeito de diversos crimes de burla informática, falsidade informática, acesso ilegítimo e branqueamento de capitais, estando em causa um montante de dezenas de milhares de …

Nagorno-Karabakh. Alta Comissária da ONU insta a um "cessar-fogo imediato"

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos manifestou, esta terça-feira, a sua preocupação face ao aumento das hostilidades entre o Azerbaijão e os separatistas arménios no enclave de Nagorno-Karabakh, instando as partes a …

Rio duvida que país consiga investir verba prevista para setor público

O presidente do PSD, Rui Rio, manifestou esta quarta-feira dúvidas de que o país consiga investir toda a verba prevista pelo Governo no plano de recuperação para a administração pública, prometendo que o documento social-democrata …

MP acusa três inspetores do SEF de homicídio de imigrante ucraniano

O Ministério Público acusou esta quarta-feira três inspetores do SEF do homicídio qualificado de um cidadão ucraniano, ocorrido a 12 de março no Centro de Instalação Temporária do Aeroporto de Lisboa. Segundo uma nota da Procuradoria …

UE prepara lei que obriga gigantes tecnológicas a partilhar dados

A União Europeia (UE) está a preparar-se para forçar as gigantes tecnológicas a partilharem os dados que têm dos consumidores com empresas rivais menores, de acordo com uma nova lei que a Comissão Europeia está …

Morreu Quino, criador de Mafalda

O autor argentino Quino, célebre por ter criado a contestatária personagem de banda desenhada Mafalda, morreu esta quarta-feira em Mendoza, na Argentina, aos 88 anos, revelou a agência Efe. De acordo com o jornal argentino Clarín, …

"Quem decide quem o PS apoia são os órgãos do partido", diz Pedro Nuno Santos

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, afirmou que "quem decide quem o PS apoia são os órgãos do partido", um dia após o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, ter …