Ursos polares famintos estão a comer baleias (e isso ajuda-os a sobreviver ao aquecimento)

Victor Nikiforov / WWF Rússia

Há mais de um ano, ursos polares reuniram-se num ilha ao largo da costa norte da Sibéria para devorar uma baleia morta. Um estudo recente defende que, no passado geológico, os ursos polares podem ter sobrevivido ao aumento das temperaturas como caçadores de baleias.

Há mais de um ano, mais de 150 ursos polares reuniram-se num ilha remota, ao largo da costa norte da Sibéria, para devorar uma baleia morta. Aquele ajuntamento foi um verdadeiro enxame de ursos polares que se divertiam a comer uma baleia – um evento que pode tornar-se muito comum com o aumento das temperaturas.

Um estudo recente defende que, no passado geológico, os ursos polares podem ter sobrevivido ao aumento das temperaturas como caçadores de baleias, trocando a sua vida como caçadores de focas no gelo. O estudo defende, por sua vez, que alguns ursos polares podem novamente concretizar essa troca, já que a mudança climática provocada pelo Homem faz com que a camada de gelo do mar Ártico caia.

Segundo a Gizmodo, este decréscimo do gelo do mar traduz-se em cerca de 26 mil ursos polares espalhados pelo alto Ártico, que terão de caminhar e gastar muita mais energia para caçar focas que, atualmente, são a sua fonte principal de alimento.

No entanto, o estudo mostra que as carcaças das baleias são as “maiores parcelas de matéria orgânica no oceano”. Geralmente, as carcaças acabam no fundo do mal. Todavia, a acumulação de gases dentro da carcaça em putrefação de uma baleia morta pode levá-la para a costa.

A questão é: conseguirão as baleias mortas ser o suficiente para sustentar os ursos polares, em vez de serem apenas um almoço grátis ocasional? Em alguns lugares, sim.

O artigo científico, publicado na Ecological Society of America, no dia 9 de outubro, dá conta de que, numa população hipotética de 1.000 ursos, eram consumidas 26.400 focas, o que equivale a cerca de 20 carcaças.

Estes números contrastam favoravelmente às quase 50 carcaças de baleias grandes estimadas para serem despejadas no litoral do Alasca e do leste da Sibéria a cada verão. “Os cientistas levantam a hipótese de que a passagem para a dieta à base de baleias ajudou alguns ursos polares a atravessar príodos quentes como o Eemiano, há 130-115.000 anos, durante os quais a extensão do gelo do mar Ártico foi diminuída.

Kristin Laidre, principal autora do artigo e bióloga marinha da Universidade de Washington, alertou que o estudo analisou apenas as taxas de encalhe de baleias em algumas partes do Ártico, e que em outros habitats pode não haver um número tão grande de baleias mortas.

“A Gronelândia, que é muito montanhosa, não é um lugar onde temos muito enfraquecimento”, disse Laidre. “Há definitivamente partes do Ártico onde isso é improvável ou não ocorre.”

Além disso, mesmo que a história climática da Terra nos diga que os ursos polares sobreviveram a um ártico no passado, isso não significa necessariamente que estes animais serão capazes de se adaptar ao rápido aquecimento que está a ocorrer atualmente.

Esperemos que sim. Ainda assim, se ouvir por aí que os ursos polares estão a comer baleias, acene com a cabeça e lembre-se que a natureza está a fazer os possíveis para se adaptar à confusão que criamos no nosso planeta.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Sonho que se tornou pesadelo". Fernando Santos admite mudanças no onze

O selecionador Fernando Santos disse hoje que Portugal vai carimbar a passagem aos ‘oitavos’ de final do Euro2020 e admite fazer mudanças na equipa para o encontro da derradeira jornada do Grupo F, com a …

Cientistas descobriram dois novos tipos de células cerebrais em ratos

Cientistas descobriram dois novos tipos de células gliais, um tipo de células do sistema nervoso central que dá suporte ao cérebro, em ratos. De acordo com o site EurekAlert!, investigadores da Universidade de Basileia, na Suíça, …

As bactérias intestinais podem influenciar a gravidade de um AVC

Uma equipa de investigadores da Cleveland Clinic, nos Estados Unidos, descobriu uma nova associação cérebro-intestino que está a surpreender a comunidade científica. Os resultados do estudo mostram como um metabólito produzido por bactérias intestinais pode amplificar …

O icónico Tamagotchi está de volta, mas desta vez em forma de smartwatch

No ano em que se celebram os 25 anos do Tamagotchi, surge uma nova versão do icónico brinquedo. O Smart é um Tamagotchi na forma de um relógio inteligente, para se usar no pulso. O …

Rã com olhos vermelhos descoberta no Equador. Chama-se Led Zeppelin

Os seus olhos vermelhos cativaram os investigadores, que decidiram batizar de Led Zeppelin uma nova espécie de rã terrestre descoberta no Equador. A Pristimantis ledzeppelin foi descoberta pelos equatorianos David Brito e Carolina Reyes, cientistas do …

Itália 1 - 0 País de Gales | “Azzurri” vencem mas galeses apuram-se

Imparável! Com o apuramento para os “oitavos” já no bolso, a Itália entrou em campo com nada mais, nada menos do que oito mexidas em relação à equipa que tinha iniciado o último jogo, frente …

Casa de banho do século XII encontrada em bar de tapas em Sevilha

Recentemente, um grupo de trabalhadores encontrou uma casa de banho do século XII dentro de um bar de tapas espanhol. A descoberta está a ajudar a perceber como era a vida em Sevilha na época. No …

Suíça 3 - 1 Turquia | Seferovic e Shaqiri “abrem o livro”

A Suíça venceu de forma categórica a Turquia por 3-1, afastou os turcos da prova e terminou o Grupo A no terceiro lugar, com quatro pontos, esperando agora pelo final da fase de grupos para …

Presidente eleito do Irão promete governo "revolucionário e anticorrupção"

O Presidente eleito do Irão, o clérigo ultraconservador Ebrahim Raissi, prometeu hoje formar um governo "trabalhador, revolucionário e anticorrupção", aludindo ao estrito cumprimento dos princípios do sistema teocrático do país. Num comunicado, Raissi apresentou-se como “um …

Na Coreia do Norte, um pacote de café pode chegar aos 80 euros

Residentes norte-coreanos dizem que uma pequena embalagem de chá preto ou um pacote de café podem chegar aos 60 e 80 euros, respetivamente. Esta semana, o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, reconheceu que o …