O Universo está em excesso de velocidade e pode rasgar-se a meio

JPL-Caltech / NASA

A galáxia M77 (ou NGC 1068) vista nesta ampliação obtida pelo Telescópio Espacial Hubble

A galáxia M77 (ou NGC 1068) vista nesta ampliação obtida pelo Telescópio Espacial Hubble

Os cientistas não sabem ao certo porquê, mas novos cálculos mostram que o universo está a expandir-se mais rápido do que o esperado, possivelmente em resultado de algo que apenas suspeitamos que exista – a radiação escura.

A mais recente pesquisa sobre os movimentos das estrelas descobriu que o universo está a expandir-se entre 5% e 9% mais rapidamente do que no início da sua existência, o que poderá levar a um rasgão bem a meio do Cosmos.

“Um universo engraçado ficou ainda mais engraçado”, diz Brad Tucker, investigador australiano e astrofísico da Universidade Nacional da Austrália (ANU), à Business Insider.

“Pode ser uma nova força semelhante à energia escura, ou uma nova partícula, ou pode ser que a energia escura em si mudou ao longo do tempo”, acrescenta o cientista.

“Pensávamos que estávamos perto de compreender a energia escura, mas agora sabemos que não estamos nem perto de saber a resposta. Há imenso trabalho a fazer”.

Estrelas, planetas e gás representam apenas 5% do universo – o resto é formado por 25% de matéria escura e 70% de energia escura, sendo que ambas são invisíveis e nunca foram diretamente detetadas.

Os valores precisos da expansão a partir de 13,7 mil milhões de anos atrás foram calculados a partir de observações da radiação cósmica de fundo, o brilho muito fraco do Big Bang.

A pesquisa está a ser conduzida pelo Nobel da Física Adam Riess, do Space Telescope Science Institute e da Universidade Johns Hopkins, nos EUA, que em 1998 descobriu a energia escura num trabalho em rede com Brian P. Schmidt e Saul Perlmutter.

Distância duplicada e possível rasgão

O telescópio espacial Hubble foi usado para observar as estrelas variáveis, chamadas de Cefeidas, e supernovas de tipo Ia, ambos com brilho conhecido, o que permite que a sua distância seja determinada com precisão.

A equipa mediu os movimentos de cerca de 2.400 estrelas cefeidas e cerca de 300 supernovas Tipo Ia por mais de dois anos e meio. O trabalho foi referido num artigo da revista Nature em abril, quando ainda aguardava a revisão por pares, e os resultados revistos pelos pares serão publicados na próxima edição da revista The Astrophysical Journal.

A partir destas medições, os cientistas calcularam a taxa de expansão do universo, conhecida como a constante de Hubble, com o valor de 73,2 quilómetros por segundo por megaparsec (um megaparsec equivale a 3,26 milhões de anos-luz).

Este novo valor significa que a distância entre os objetos cósmicos vai duplicar nos próximos 9,8 mil milhões de anos.

NASA, ESA e A. Reiss (STScI/JHU)

Esta imagem captada pelo Hubble mostra a UGC 9391, uma das galáxias usadas no estudo que refinou a medição da velocidade de expansão do Universo

Esta imagem captada pelo Hubble mostra a UGC 9391, uma das galáxias usadas no estudo que refinou a medição da velocidade de expansão do Universo

A equipa tem uma série de teorias para o excesso de velocidade do universo. Uma possibilidade é que a energia escura pode estar a empurrar as galáxias para longe umas da outras com uma força crescente denominada energia escura fantasma.

Outra ideia é que o cosmos conteria uma partícula subatómica na sua história primitiva que viajou perto da velocidade da luz e afetou a taxa de expansão. Estas partículas rápidas são referidas coletivamente como radiação escura e incluem partículas já conhecidas, como os neutrinos.

O impulso na aceleração também pode significar que a matéria escura possui algumas características estranhas e inesperadas, o que pode dizer aos astrónomos que a teoria da gravidade de Einstein é incompleta.

Embora seja improvável que afete o futuro próximo da Humanidade, Tucker diz que os diferentes cenários poderiam ter sérias repercussões para o universo.

“Se a aceleração não for muito rápida, o Universo vai arrefecer enquanto expande, resultando num grande congelamento”, descreve.

“Mas se o universo não conseguir aguentar a sua própria aceleração, haverá um grande rasgão. O Universo vai literalmente rasgar-se a meio, o que seria incrível”.

HypeScience

PARTILHAR

RESPONDER

Coronavírus pode replicar-se na boca e nariz durante uma semana antes de infetar pulmões

O coronavírus pode permanecer e replicar-se na boca e no nariz durante uma semana antes de infetar aos pulmões, à traqueia e aos brônquios, revela um estudo, que mostra igualmente que é expulso do organismo …

PSP vai utilizar câmaras portáteis em drones no estado de emergência

A PSP vai utilizar 20 câmaras portáteis de videovigilância, 18 das quais vão ser instaladas em ‘drones’, durante o estado de emergência devido à pandemia de covid-19, anunciou esta quinta-feira o Ministério da Administração Interna …

Em Nova Iorque, prisioneiros são usados para cavar valas comuns

Nova Iorque está a oferecer seis dólares por hora e material de proteção individual aos prisioneiros de Rikers Island que aceitem ajudar a cavar valas comuns. Projeções da Fundação Gates apontam que, em Nova Iorque, o …

EUA estará a pagar para desviar carregamentos de máscaras adquiridas por França

As autoridades francesas estão a acusar os Estados Unidos de terem pago para desviar um carregamento de máscaras faciais oriundo da China. Este episódio é apenas mais um na saga sobre a escassez de máscaras de …

Cerca de 1200 reclusos podem vir a ser libertados

Cerca de 1200 reclusos podem vir a ser libertados antecipadamente para prevenir a propagação da pandemia de covid-19 no meio prisional, revelou esta quinta-feira a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, em declarações à RTP3. A …

OMS e EUA ponderam alargar recomendação para uso de máscaras

A Organização Mundial de Saúde (OMS) vai reavaliar as suas recomendações sobre o uso de máscaras para prevenir a contaminação com covid-19, disse esta quinta-feira o presidente do grupo de especialistas que vai discutir o …

Covid-19. Mais de 95% das vítimas mortais na Europa tinham mais de 60 anos

O diretor regional para a Europa da Organização Mundial de Saúde (OMS), Hans Kluge, revelou esta quinta-fera que mais de 95% das vítimas mortais da covid-19 na Europa têm mais de 60 anos de idade. Em …

Curva portuguesa mostra abrandamento de novos casos (mas é preciso "cautela")

Portugal tem assistido desde o dia 25 de março a um abrandamento do aumento percentual diário de novos casos de covid-19, segundo dados divulgados pelo Barómetro Covid-19 da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP). Segundo Carla …

"Ganhámos a primeira batalha". Presidente renova estado de emergência

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou oficialmente a renovação do estado de emergência nesta quinta-feira por mais quinze dias, prolongando-se este estado de exceção até 17 de abril. Numa mensagem ao país a …

João Félix e companhia com corte salarial de 70%

Os futebolistas do Atlético de Madrid, incluindo o português João Félix, viram esta quinta-feira confirmada a redução salarial de 70% devido ao Expediente Temporário de Regularização Temporário de Emprego (ERTE) requerido na semana passada pelo …