O último minuto deste ano tem um segundo a mais

O acréscimo é feito para compensar pequenas variações entre o tempo marcado pelos relógios atómicos e o período de rotação da Terra.

O último minuto do dia 31 de dezembro deste ano terá 61 segundos, para compensar as pequenas variações na duração do dia que se acumularam, e que produzem uma desfasagem entre o tempo no qual se baseiam os relógios atómicos e o período de rotação da Terra.

De acordo com Francisco Colomer, do Observatório Astronómico Nacional de Espanha, o período de um dia não dura 24 horas exactas: “é uma aproximação”.

A invenção dos relógios atómicos, há mais de 50 anos, permite uma medição do tempo extremamente precisa, mas há outro padrão: a rotação da Terra. As duas medidas nem sempre estão sincronizados, pelo que de vez em quando é preciso acrescentar um segundo a um dia – como neste Réveillon.

O segundo extra é acrescentado no mundo todo no último dia deste ano, às 23h59min59 do Tempo Universal Coordenado (UTC). Será contado de forma extraordinária o segundo 23:59:60, que nunca é marcado, e depois passaremos para a meia-noite.

Como o fuso horário de Lisboa está exactamente no tempo UTC, em Portugal o segundo a mais é contado no minuto 23h59min59. Em cidades como Madrid, Berlim, Paris, Roma,  posicionadas à frente do UTC, a mudança só ocorrerá na madrugada do dia 1 de janeiro.

Este segundo a mais é chamado “segundo intercalar” e é decidido pelo Serviço Internacional da Rotação Terrestre, com sede em Paris, que divulga o dia que receberá o acréscimo de tempo. Isto é feito graças à informação enviada de diferentes observatórios pelo mundo.

A rotação terrestre não ocorre em 24 horas exactas – há minúsculas variações na duração do dia, que ocorrem porque a Terra tem a sua rotação afectada pelo acoplamento do núcleo, do manto, dos oceanos e da atmosfera.

Esta rotação é medida diariamente por telescópios – com observações radioastronómicas e técnicas de interferometria – que todos os dias enviam os dados para Paris.

Quando a diferença entre os dois padrões ultrapassa os 0,9 segundos, o Serviço Internacional da Rotação Terrestre decide inserir ou retirar um “segundo intercalar”. Nunca foi descontado um segundo, apenas acrescentado.

Francisco Colomer, que diz haver um debate aberto sobre se isto é necessário ou não, detalha que a última vez que um segundo foi acrescentado aos relógios foi no dia 30 de junho do ano passado. A última inserção num Réveillon foi em 2008.

Em 1970, um acordo internacional reconheceu a existência das duas escalas de tempo: o período de rotação do planeta e o chamado Tempo Universal Coordenado, e embora actualmente a hora seja determinada pelos relógios atómicos, ambas são necessárias.

Segundo Colomer, o tempo astronómico mede o “comportamento real do Universo”, e isso é imprescindível para, por exemplo, projectos espaciais.

ZAP // Fala RN

PARTILHAR

RESPONDER

Sondas espaciais com "cunho" português vão passar perto de Vénus

As sondas espaciais europeias Solar Orbiter e BepiColombo, ambas com tecnologia e ciência portuguesas, vão passar perto de Vénus a 9 e 10 de agosto, respetivamente, anunciou esta segunda-feira a Agência Espacial Europeia (ESA). A passagem …

Elvis Presley terá morrido de doenças genéticas (e não por overdose de medicamentos)

Segundo um novo livro de Sally Hoedel, a morte de Elvis Presley estará, afinal, relacionada com o tratamento para doenças congénitas das quais sofria. O cantor norte-americano, que morreu há quase 44 anos, estava fortemente medicado …

A cidade mais populosa de África está a viver em contra-relógio

Os habitantes da Nigéria, o país mais populoso de África, já estão habituados a contornar as inundações anuais que invadem o país. No entanto, este ano a situação saiu fora do controlo, com o principal …

"Pensávamos que a Casa Branca mandava". Biden sob fogo devido ao fim da proibição dos despejos

A inacção de Joe Biden perante o fim das moratórias que proíbem os despejos durante a pandemia está a ser criticada até dentro do próprio Partido Democrata. A moratória federal aos despejos acabou este sábado, para …

Na ausência de Biles, Sunisa Lee coroou-se rainha da ginástica. É a primeira hmong a ganhar ouro

Sunisa Lee chegou a Tóquio com a missão de ajudar os Estados Unidos a garantir o ouro e de garantir a presença em finais individuais de aparelhos. Com o abandono de Biles, tornou-se a estrela …

Presidente afegão culpa retirada “abrupta” dos EUA pelo rápido avanço dos talibãs

O chefe de Estado afegão prometeu vencer o conflito com as milícias talibãs e os Estados Unidos dizem-se prontos a receber mais milhares de refugiados. O Presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, prometeu esta segunda-feira vencer o …

42% das pessoas em enfermaria no Hospital de são João têm vacinação completa

No Centro Hospitalar de São João (CHSJ), 42% das pessoas internadas em enfermaria e 15% das internadas em unidades de cuidados intensivos tinham a vacinação completa. Segundo os últimos dados da Direção-Geral da Saúde (DGS), apenas …

António Oliveira e uma arbitragem "conveniente"

Athletico Paranaense perdeu novamente no Brasileirão e a equipa de arbitragem ajudou os vencedores, queixou-se o treinador português. O Athletico Paranaense, líder do Brasileirão nas primeiras jornadas, está numa fase negativa: apenas uma vitória nas últimas …

André Ventura - Chega

Autárquicas. Chega concorre sozinho a 220 municípios para avaliar o seu "impacto"

André Ventura anunciou esta segunda-feira que o Chega irá concorrer nas eleições autárquicas a “cerca de 220 municípios” do país, sublinhando que o partido vai a votos sozinho para avaliar o seu “impacto”, mas sem …

Ex-guarda nazi julgado aos 100 anos por cumplicidade em assassinatos

Um homem de 100 anos que supostamente serviu como guarda num campo de concentração nazi será julgado em outubro por cumplicidade no assassinato de mais de 3.500 pessoas durante a Segunda Guerra Mundial, informou a …