Ucrânia ataca Rússia com música para a Eurovisão

Jamala / Facebook

Jamala, a cantora escolhida para representar a Ucrânia na Eurovisão

Jamala, a cantora escolhida para representar a Ucrânia na Eurovisão

Os ucranianos escolheram este domingo uma música de uma cantora da Crimeia que aborda os anos de repressão provocados pelo ditador Estaline.

A artista escolhida para representar a Ucrânia na próxima edição do festival da Eurovisão chama-se Jamala, uma muçulmana que faz parte da minoria tártara da Crimeia, revela a BBC.

Com o tema “1944”, a artista pretende homenagear os 240 mil tártaros que sofreram com a deportação imposta por Estaline, tendo sido enviados para a Ásia Central.

Segundo a emissora britânica, muitas dessas pessoas não resistiram à travessia ou morreram de fome depois de terem chegado ao destino.

Uma dessas vítimas foi a bisavó da cantora, que viu a sua vida mudar de forma significativa quando teve de sair do país, juntamente com os cinco filhos.

“Esta música é mesmo sobre a minha família. Precisava desta canção para me libertar a mim mesma, para libertar a memória da minha bisavó e em memória daquela rapariga que não teve direito a sepultura”, explicou Jamala.

A cantora refere-se à filha da sua bisavó, que faleceu durante a viagem até ao continente asiático.

Muitas dessas memórias foram revividas em 2014, quando a Rússia decidiu anexar a Crimeia ao seu território, altura em que esse grupo étnico começou a sentir-se novamente oprimido.

A cantora, de 32 anos, confessa que ao cantar este tema pensa também nos seus familiares que atualmente vivem nessa região.

“Atualmente, os tártaros residentes na Crimeia estão num território ocupado e é muito difícil para eles”, conta.

“Estão sob uma enorme pressão. Alguns desapareceram sem deixar rasto. E isto é terrível. Espero que a história não se repita”, acrescenta.

Embora não aborde de forma direta essa temática, a última vencedora do concurso na Ucrânia, Ruslana, acredita que faz a ligação com o que se vive atualmente.

“Esta música… é precisamente o que todos estamos a passar na Ucrânia nos dias de hoje”, comentou.

A letra é quase toda em inglês e em alguns versos a cantora afirma “Eles vêm a tua casa, Matam-vos a todos e dizem ‘Não somos culpados'”.

Ainda não é conhecido o parecer da Eurovisão relativamente à música escolhida pelos ucranianos, embora seja certo que as suas regras proíbam temas que abordem assuntos políticos.

Caso disso foi, em 2009, quando a Geórgia viu a canção “We Don’t Wanna Put In” desqualificada por criticar o presidente russo, Vladimir Putin, através de vários trocadilhos.

Este ano, a edição do concurso acontece em Estocolmo, na Suécia, nos primeiros dias de maio, na qual Portugal não estará presente.

ZAP

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. É a revolta de um povo que se levanta contra a ditadura comunista desta vez disfarçada de democrata mas que na prática não se consegue libertar de muitos métodos fascistas do passado.

  2. É bom que sejam relembrados os crimes hediondos cometidos pelo Regime comunista do sádico Estaline e também convém denunciar para os mais novos o que foi esses tempos de puro terror .
    Agora também convém relembrar o déspota Putin e os crimes cometidos na Crimeia contra os Tártaros e os Ucranianos .
    É execrável ver gente jovem tecer loas a regimes assassinos e isso acontece em 99% das vezes por pura ignorância,ninguém bem informado votaria em partidos de ideologia comunista.

  3. Em primeiro lugar a Federação da Rússia não é um País com regime comunista mas sim com um sistema Capitalista.
    A Crimeia é um território Russo, desde pelo menos os tempos de Catarina, a Grande, povoada com Russos em esmagadora maioria.
    Só foi “incorporada”, por decreto, na Rep. Socialista da Ucrânia numa noite de bebedeira do líder soviético Nikita Kuroschov, que, aliás, era ucraniano.

    Há um filme antigo sobre a «Carga da Brigada Ligeira», que é sobre a tentativa dos Ingleses. Franceses e Turcos combinados tentarem sacar a Crimeia do Império Russo nos idos de 1800…..Não havia lá Ucrânia nenhuma….! Estas jogadas já são muito antigas

    Onde há hoje um regime imposto por um golpe, e dominado por pró-nazis do Previe Sector (seguidoresde Stepan Bandera), é na Ucrânia!
    Esses nazis ucranianos cometeram todo o tipo de crimes no Donbass, como o bárbaro crime no edifício dos Sindicatos de Odessa, onde queimaram dezenas de pessoas desarmadas vivas…..

    O resto é propaganda.
    Actualmente há uma Brigada de Tártaros da al-Kaida que foi transferida da Síria, pelos serviços secretos Turcos, para combater na Ucrânia….Deve ser a esta brigada dos terroristas islâmicos da al-Kaida que esta “cantora” pertence !
    Abençoado V. Putin que os está a derrotar na Síria onde estes terroristas crucificavam Cristãos e matavam todo o tipo de inocentes!
    Que Deus o proteja e ajude a Fed. da Rússia a salvar-nos destes satânicos da Nom !

    Quem quiser saber mais ver o blog «el espíadigital.com», em castelhano ou o Voltairenet.org, em Português. Têm muito sobre a Crimeia e o Donbass……

RESPONDER

Em apenas três anos, a Austrália perdeu um terço dos seus coalas

A seca, os incêndios florestais e a desflorestação na Austrália levaram o país a perder um terço dos seus coalas nos últimos três anos. A Austrália perdeu cerca de 30% dos seus coalas nos últimos …

Há modelos matemáticos que preveem se uma música vai ser viral — os mesmos utilizados com a covid-19

O uso de modelos matemáticos para antecipar o nível de sucesso de uma música pode começar a ser usado, a partir da publicação do presente estudo, por artistas e editoras para melhorar o desempenho dos …

Alemanha. Funcionário de posto de combustível abatido a tiro por cliente que se recusou a usar máscara

Um homem de 49 anos matou um funcionário de um posto de combustível na Alemanha, após tentar comprar cerveja sem utilizar a máscara. No país, o uso deste equipamento de proteção é obrigatório para entrar …

Um violino gigante flutuou no Grande Canal de Veneza (ao som de Vivaldi)

No passado fim de semana, um violino gigante, com quase 12 metros de comprimento, desceu o Grande Canal de Veneza. A bordo estava um quarteto de cordas, que tocou Four Seasons de Vivaldi. O Noah's Violin …

Assembleia de credores aprova recuperação da Groundforce

Esta quarta-feira, os credores da Groundforce aprovaram a recuperação da empresa. Em causa está uma dívida de 154 milhões de euros. Os credores da Groundforce, reunidos esta quarta-feira em assembleia de credores, no tribunal de Monsanto, …

Europeus acreditam numa "guerra fria" entre os EUA e a China e Rússia

A maioria dos cidadãos da União Europeia (UE), 62%, considera que os Estados Unidos (EUA), com apoio das instituições comunitárias, estão numa nova "guerra fria" com a China, mas recusam envolvimento nacional, revelou um inquérito …

Desenho de Van Gogh esteve guardado mais de 100 anos. Agora, é exibido pela primeira vez

O Museu de Amesterdão, nos Países Baixos, ganhou um novo inquilino: Study for 'Worn Out', um desenho recém-descoberto de Vincent van Gogh. O holandês Vincent van Gogh ainda continua a impressionar o mundo inteiro com a …

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã, com receio de que os avanços dos últimos 20 anos tenham sido conquistados em vão. A Vice falou com algumas professoras afegãs que garantem continuar …

Apenas um terço das crianças em 91 países tem acesso a uma alimentação adequada, alerta UNICEF

Apenas um terço das crianças com menos de dois anos em 91 países em desenvolvimento têm acesso aos alimentos que necessitam para um crescimento saudável, revelou um relatório da UNICEF, apontando que nenhum progresso foi …

Preços das casas voltaram a aumentar no segundo trimestre

Entre abril e junho, o índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos. A revelação foi feita esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu …