/

Inovação faz com que tumores se autodestruam graças a um “cavalo de Tróia”

1

Plückthun Lab

Uma equipa de investigadores da Universidade de Zurique, na Suíça, desenvolveu uma nova tecnologia que permite que o corpo produza agentes terapêuticos no local exato onde são necessários.

A inovação pode ser eficaz para reduzir os efeitos colaterais do tratamento do cancro e na administração de novas terapias contra a covid-19 diretamente nos pulmões, escreve o portal Medical Xpress.

Os investigadores alteraram um adenovírus para agir como um ‘cavalo de Tróia’ para entregar genes para o tratamento do cancro diretamente nas células tumorais. Esta técnica não causa dano nas células saudáveis, o que é um benefício em comparação com a quimioterapia, por exemplo.

Assim que chegam às células tumorais, os genes atuam para eliminar os tumores. Os resultados do estudo foram publicados na revista científica PNAS.

“Nós enganamos o tumor para que se elimine através da produção de agentes anticancerígenos pelas suas próprias células”, disse Sheena Smith, coautora do estudo.

“Os agentes terapêuticos, como anticorpos terapêuticos ou substâncias sinalizadoras, geralmente ficam no local do corpo onde são necessários, em vez de se espalharem pela corrente sanguínea, onde podem danificar órgãos e tecidos saudáveis”, explicou, por sua vez, o líder da equipa de investigadores, Andreas Plückthun.

A tecnologia SHREAD — como os autores lhe chamam — fez o próprio tumor produzir um anticorpo contra o cancro da mama, chamado trastuzumabe, num rato.

Alguns dias depois, a tecnologia produziu mais anticorpos no tumor do que quando foi injetado diretamente. Os efeitos colaterais verificados também eram bastante inferiores.

Os investigadores realçam que esta tecnologia não será só útil no tratamento do cancro: também é aplicável para a administração de uma ampla gama de biofármacos.

“Ao fornecer o tratamento SHREAD aos pacientes através de um aerossol inalado, a nossa abordagem poderia permitir a produção direcionada de tratamentos de anticorpos covid nas células pulmonares, onde são mais necessárias”, disse Smith.

Os vetores adenovirais já estão a ser usados em várias das vacinas contra a covid-19, incluindo Janssen, AstraZeneca e Sputnik V.

  Daniel Costa, ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.