/

Novo estudo propõe tratamento com injeção semanal de insulina para diabéticos tipo 2

3

A diabetes tipo 2 pode ser difícil de controlar sem medicação. Mas para algumas pessoas, a ideia de tomar injeções diárias em vez de medicação é suficiente para as levar a evitar o tratamento com insulina.

O tratamento com insulina, administrada através de uma injeção diária, é uma terapia habitualmente associada à diabetes tipo 1. Os doentes com a variante tipo 2 da doença conseguem habitualmente controlar com medicação os níveis de insulina no organismo.

No entanto, algumas pessoas com diabetes tipo 2 optam por substituir a medicação por terapia com insulina, e a tendência não é maior devido ao inconveniente de tomar uma injeção diária de insulina.

Agora, um novo tratamento baseado na administração semanal de insulina para diabéticos tipo 2 parece poder oferecer uma alternativa às injeções diárias.

De acordo com os resultados do estudo, publicado no The New England Journal of Medicine a 22 de setembro, a injeção aplicada uma vez por semana é tão eficaz e segura quanto os tratamentos tradicionais de insulina.

Harpreet Bajaj, autor principal do estudo, explica que “muitas pessoas com diabetes tipo 2 preferem simplicidade, o que significa menos injeções e mais conveniência do que o que é fornecido atualmente com os regimes de tratamento de insulina uma ou duas vezes por dia”.

“Esta é a primeira terapia de insulina com injeção semanal, e os resultados do estudo sugerem que pode ser tão eficaz como o tratamento diário“, explica Robert Gabbay, responsável científico da Associação Americana de Diabetes, ao MedicalXpress. “Se o tratamento tiver bons resultados na fase 3 do estudo, poderá melhorar a qualidade de vida para as pessoas com diabetes tipo 2.

O novo tratamento está a ser desenvolvida pela farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk e é denominada insuline icodec. O método atua através da ligação à albumina, uma proteína originada no fígado que está relacionada com o equilíbrio de fluídos dentro do corpo.

A ligação à albumina ajuda a manter uma libertação lenta e sustentada da insulina. A pesquisa foi conduzida com 247 indivíduos que foram divididos em dois grupos. Um dos grupos recebeu as tradicionais injeções diárias, e o outro grupo recebeu injeções de icodec, diz o Interesting Engineering.

No final, o tratamento com icodec revelou-se tão eficaz no controlo dos níveis de açúcar no sangue como as tradicionais injeções diárias de insulina.

Bajaj sublinha que “este estudo de fase 2 demonstra o benefício potencial que a insulina icodec pode oferecer a pessoas com este tipo de diabetes, facilitando assim a transição para uma nova opção de tratamento sem a carga diária”.

De acordo com Robert Gabbay, da American Diabetes Association, para além deste tratamento ser muito mais cómodo, também vai ajudar as pessoas mais velhas, que são mais propensas a erros, ou pessoas mais jovens, que têm estilos de vida mais imprevisíveis e incomuns, a administrar a insulina.

Gabbay considera que este novo método vai trazer “uma menor probabilidade de erro, pois a medicação deverá ser administrada apenas uma vez por semana, em vez de sete vezes”.

  ZAP //

3 Comments

  1. Bom dia. Não é uma crítica, mas sendo eu diabético tipo 2, não tomo insulina, apenas comprimidos Metformina, normalmente uma vez ao dia, embora saiba que muitos diabéticos do tipo 2 têm de tomar insulina. A toma de insulina diária é mais para diabéticos tipo 1, sempre que os valores se encontrem altos. Pretendo saber se a informação deste artigo está correcta para a diabetes tipo 2. Obrigado.

    • Caro Francisco,
      Obrigado pelo seu reparo.
      A informação está correta, mas pouco clara. Não se trata de um tratamento à base de insulina para diabéticos tipo 1.
      Trata-se efetivamente de um tratamento que permite a diabéticos tipo 2 — que poderiam em teoria controlar os níveis de insulina com medicação mas prefiram fazê-lo (ou tenham que o fazer) com administração de insulina. O novo tratamento substitui injeções diárias por uma injeção semanal.
      O título e o texto da notícia foram clarificados.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.