Há um tratamento para o cancro que dá aos pacientes “visão noturna”. E já se sabe porquê

HckySo / Flickr

Entre os vários tratamentos para o cancro, existe um que tem um efeito colateral bastante diferente do habitual: os pacientes conseguem ver melhor no escuro.

Segundo o Science Alert, o tratamento em questão chama-se terapia fotodinâmica (TFD), no qual a luz é usada para destruir células malignas, e, estranhamente, faz com que os pacientes consigam ver melhor no escuro.

Agora, os investigadores conseguiram perceber o que causa esta reação: a rodopsina, uma proteína sensível à luz que se encontra na retina dos olhos, interage com um composto fotossensível chamado clorina e6, um componente crucial deste tratamento.

O trabalho baseia-se no que os cientistas já sabiam sobre o composto orgânico da retina, que é encontrado no olho e geralmente não é sensível à luz infravermelha.

A luz visível aciona a retina para se separar da rodopsina — e isso é convertido no sinal elétrico que o nosso cérebro interpreta para ver. Embora não tenhamos muita luz visível à noite, este mecanismo também pode ser acionado com outra combinação de luz e química. Sob luz infravermelha e com uma injeção de cloro, a retina muda da mesma forma que quando se encontra sob luz visível.

Juntamente com alguns cálculos químicos, a equipa de cientistas usou uma simulação molecular para modelar os movimentos de átomos individuais (em termos da sua respetiva atração ou repulsão), bem como a quebra ou a criação de ligações químicas.

Esta simulação foi executada durante vários meses, antes de ser capaz de modelar com precisão a reação química causada pela radiação infravermelha. Na vida real, escreve o mesmo site, a reação aconteceria em poucos nanossegundos.

“Na simulação, colocámos uma proteína virtual de rodopsina inserida na sua membrana lipídica em contacto com várias moléculas de cloro e6 e água, ou várias dezenas de milhares de átomos”, explica Antonio Monari, da Universidade de Lorena, ao Centro Nacional da Investigação Científica (CNRS).

À medida que o cloro e6 absorve a radiação infravermelha, interage com o oxigénio no tecido ocular, transformando-o em oxigénio singleto altamente reativo — além de destruir as células cancerígenas, o oxigénio singleto também pode reagir com a retina e permitir um aumento da visão noturna, mostra o estudo publicado, em outubro do ano passado, na revista científica Journal of Physical Chemistry Letters.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas investigam estranho gelo cor-de-rosa num glaciar dos Alpes italianos

Uma equipa de cientistas anunciou esta segunda-feira estar a tentar averiguar a origem de gelo cor-de-rosa num glaciar nos Alpes italianos. O fenómeno deverá ser provocada por algas que aceleram os efeitos das mudanças climáticas. A origem …

Especialistas de 32 países alertam OMS: covid-19 também se transmite pelo ar

Numa carta aberta à Organização Mundial de Saúde, 239 cientistas pedem que a organização reveja as recomendações que tem emitido, alertando para o facto de a covid-19 poder transmitir-se pelo ar. Numa carta dirigida à Organização …

Moreirense 0-0 Sporting | Nulo em jogo de pólvora seca

A 30ª jornada fechou no Minho com um nulo entre Moreirense e Sporting, que continua sem derrotas sob o comando de Rúben Amorim. A formação leonina poderia muito bem ter vencido em Moreira de Cónegos, pois …

Armazém flutuante. A China está a guardar petróleo no mar (e já se sabe porquê)

A China está a guardar uma quantidade épica de petróleo no mar. De acordo com a CNN, o país comprou tanto petróleo estrangeiro a preços baratos que formou um congestionamento maciço de navios-tanque no mar, …

Peregrinos em Meca proibidos de tocar ou beijar a Caaba por causa da covid-19

Os muçulmanos que vão participar na peregrinação a Meca não poderão tocar ou beijar a Caaba nem a "pedra negra", presentes na Grande Mesquita, local considerado como um dos mais sagrados pelo Islão, informaram as …

Países Baixos continuam a abater milhares de martas. 20 quintas afetadas pela pandemia

Esta segunda-feira, as autoridades holandesas abateram milhares de martas em mais duas fazendas onde foram detetados surtos de covid-19. Esta segunda-feira, as autoridades abateram milhares de martas em mais duas fazendas, sendo agora 20 as quintas …

Cientistas criam robô para fazer testes à covid-19 (e proteger os profissionais de saúde)

O Korea Institute of Machinery & Materials (KIMM) desenvolveu um novo robô de coleta remota de amostras que elimina o contacto direto entre os profissionais de saúde e os pacientes, potencialmente infetados com o novo …

"Não use desodorizante". A peculiar estratégia de Berlim para promover o uso de máscaras nos transportes públicos

"Não use desodorizante". Esta é a peculiar campanha adotada pela empresa que controla os transportes públicos em Berlim, na Alemanha, para promover o uso correto de máscaras, evitando assim novos casos de covid-19.  Tal como escreve …

Vírus pode ter estado adormecido antes de surgir na China, diz investigador de Oxford

O novo coronavírus pode ter estado adormecido algures no mundo antes de ter surgido na China, defendeu o investigador da Universidade de Oxford, Tom Jefferson, apontando para várias descobertas de amostras do vírus em Espanha, …

Federer sente falta de Wimbledon. "Deu-me tudo"

Roger Federer admitiu sentir a falta de Wimbledon, o torneio do "Grand Slam" que, se não tivesse sido cancelado devido à pandemia de covid-19, estaria a decorrer em Londres. O tenista suíço Roger Federer admitiu, esta …