Efeito colateral de tratamento contra o cancro escurece os cabelos grisalhos

Vários pacientes que participaram em testes para um novo tratamento contra o cancro terminaram a experiência sem cabelos brancos. Entre 52 indivíduos com cancro de pulmão, 14 recuperaram a cor de cabelo.

A queda dos fios é um efeito colateral comum em tratamentos de quimioterapia, já a mudança da cor do cabelo apanhou os cientistas de surpresa. “Foi um efeito colateral totalmente inesperado”, explicou Noelia Rivera, dermatologista da Universidade Autónoma de Barcelona e co-autora do estudo publicado na JAMA Dermatology.

Quando o primeiro paciente consultou os especialistas sobre esta transformação, a equipa pensou que se tratava de um caso isolado. Mas, ao conversar com outros pacientes e analisar fotografias tiradas antes e depois do tratamento, foi possível concluir que os medicamentos Keytruda, Opdivo e Tecentriq, usados em tratamentos de imunoterapia contra o cancro, provocavam uma mudança na cor dos cabelos dos pacientes.

Em 14 pacientes, o cabelo tornou-se castanho escuro ou negro. Os outros 38 pacientes ou não eram grisalhos na época do tratamento ou não notaram mudanças.

“Os pacientes dizem que é a cor que tinham quando eram jovens, mas como a maioria da nossa população tem o cabelo castanho escuro ou preto, e como não tivemos loiros no estudo, não podemos dizer com absoluta certeza de que não se trata simplesmente de um escurecimento do cabelo”, explica Rivera.

Um factor interessante associado à mudança de cor do cabelo é que o novo estudo parece indicar que o tratamento está a funcionar para os pacientes. Todos – com exceção de um – dos 14 pacientes que manifestaram uma mudança de cor no cabelo responderam bem ao tratamento.

No entanto, Rivera esclarece que o estudo ainda não foi concluído, e o tratamento ainda está em fase de testes.

(dr) Jama Network - American Medical Association

(dr) Jama Network - American Medical Association

Agora, muitos especialistas questionam quais são as possibilidades de desenvolver um tratamento para reverter os cabelos brancos a partir desta descoberta. Mas, segundo a especialista, este medicamento não pode ser usado em pessoas saudáveis para fins estéticos porque tem efeitos colaterais sérios.

O tratamento de imunoterapia estimula o sistema imunológico a combater o cancro, porque os tumores conseguem desativar o sistema de defesa do corpo, que deixa de os reconhecer como uma ameaça. O medicamento injetado na corrente sanguínea faz com que as células de defesa continuem a funcionar.

Como estimula o sistema imunológico, este medicamento tem provocado reações nas quais as células de defesa de alguns pacientes atacam o próprio organismo, provocando doenças autoimunes.

“Este tratamento pode provocar doenças autoimunes do sistema endócrino, pode alterar a tiróide e outros órgãos, as glândulas suprarrenais, a hipófise, pode afectar o fígado de forma autoimune, entre outros”, destaca Riviera.

No entanto, Rivera destaca que se for encontrado o mecanismo molecular responsável pela mudança da cor do cabelo dos pacientes, será possível desenvolver um fármaco mais seguro com essa intenção específica.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Vila Real vs FC Porto | Goleada com poker de Adrián

O FC Porto garantiu hoje a passagem à quarta eliminatória da Taça de Portugal de futebol, ao golear por 6-0 o Vila Real, num encontro marcado pelos quatro golos de Adrián López, que abriu e …

85% dos medicamentos estão em falta na Venezuela

A Federação Farmacêutica Venezuelana (Fefarven) informou hoje que estão em falta 85% dos medicamentos que se comercializam no país. A denúncia surgiu um dia depois de o Governo venezuelano estabelecer preços fixos para 56 medicamentos, durante …

Obrigar as crianças a beijar os avós é mesmo uma "violência"

O professor universitário Daniel Cardoso pôs o país a discutir se é ou não uma violência obrigar as crianças a beijar os avós. Uma posição que é defendida por inúmeros especialistas e que nem sequer …

Cidade da Maia testa passadeira 3D

O município da Maia está a testar a colocação de passadeiras 3D, cujo objetivo é criar uma ilusão de ótica que faz os condutores abrandar quando se aproximam, descreveu hoje a autarquia. Em causa está, de …

Portugal recebe em novembro cerca de 150 refugiados que estão no Egito

Portugal vai receber, em novembro, cerca de 150 refugiados que estão no Egito, primeiro grupo de mais de mil pessoas que vão ser reinstaladas em Portugal até 2019, disse hoje o ministro da Administração Interna. "Vamos …

Crianças até 2 anos são as que mais usam apps

Mais de metade das crianças com menos de 8 anos usa aplicações como entretenimento e as crianças que mais usam os dispositivos eletrónicos têm até 2 anos. Segundo o estudo "Happy Kids: Aplicações Seguras e Benéficas …

Abstenção galopante alastra-se à faixa dos 30-44 anos

A abstenção aumentou de forma galopante em Portugal, dos 8,1% em 1975 para os 44,2% nas legislativas de 2015, e a tendência está a alastrar das gerações mais jovens para a faixa dos 30 aos …

Descida da propina vai retirar bolsas a alunos carenciados. Medida "demagógica e perversa"

A descida do valor máximo da propina poderá significar o fim da bolsa para muitos alunos carenciados, alertou o reitor da Universidade Nova de Lisboa, que considera a medida ''demagógica e perversa''. Segundo a proposta de …

Hugo Abreu caiu da viatura e “não se mexeu mais”. Instrutor dos comandos viu e ignorou

Rodrigo Seco afirmou que, no decurso da Prova Zero, os dois instrutores desvalorizaram os sintomas de mal-estar, sinais de cansaço e ignoraram os vários pedidos dos instruendos para que pudessem beber água. Um dos instruendos do …

Nunes da Fonseca é o novo Chefe do Estado-Maior do Exército

O tenente-general José Nunes da Fonseca é o escolhido para suceder ao general Rovisco Duarte como Chefe do Estado-Maior do Exército. Rovisco Duarte demitiu-se no âmbito do caso do roubo de armas em Tancos. O nome …