Tony Blair ainda acredita e quer reverter o Brexit

Monika Flueckiger / swiss-image.ch / World Economic Forum

Tony Blair, ex-Primeiro-ministro britânico

O antigo primeiro-ministro britânico defende a realização de um novo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

Este domingo, Tony Blair confirmou, em entrevista à Radi 4 da BBC, que está a tentar reverter o Brexit. O ex-primeiro-ministro britânico afirmou que “é exatamente isto” que pretende, sem especificar no entanto como poderá reverter a situação.

Blair aponta o dedo ao Serviço Nacional de Saúde (NHS). O antigo primeiro-ministro afirma que o serviço está a desmoronar-se. “Esta é uma tragédia nacional” que prova que as garantias da Vote Leave – que garantia que a saída da União Europeia levaria a um maior financiamento da Saúde britânica – não vão concretizar-se.

É por esta razão que Tony Blair defende que os eleitores merecem voltar às urnas num novo referendo para decidir o futuro do país, já que uma das promessas, feitas durante a campanha a favor do Brexit, em 2016, não foi cumprida.

Blair refere-se a um dos slogans da campanha Vote Leave, que alegava que o Reino Unido iria investir 350 milhões de libras, até agora destinados à UE, no Serviço Nacional de Saúde, caso o Brexit vencesse.

Segundo o Expresso, depois do resultado do referendo, percebeu-se rapidamente que este argumento era falso, já que não tomava em consideração questões orçamentais como o dinheiro que o Reino Unido recebe anualmente da União por outras vias, por fazer parte do bloco.

“Quando os factos mudam, as pessoas têm direito a mudar a sua opinião“, defende o antigo líder trabalhista, acreditando que a situação do Serviço Nacional de Saúde pode levar os eleitores a mudar de atitude.

“Muitas pessoas terão votado a favor do Brexit porque lhes foi dito que, se saíssem da Europa, todo o dinheiro iria voltar aos cofres britânicos e ser investido nos serviços de saúde. Essa foi uma promessa muito específica feita pelos defensores do Brexit”, explica Tony Blair.

Na opinião do ex-primeiro-ministro, não há verba extra a vir do Brexit para a saúde e, além disso, “vamos gastar menos dinheiro nos serviços de saúde, não mais dinheiro, porque o crescimento económico desacelerou e porque temos esta grande fatura a saldar com a União Europeia”.

Durante a entrevista, Tony Blair assumiu que há pessoas que votariam novamente a favor da saída do Reino Unido, por acreditarem que “a pertença à UE é inconsistente”. No entanto, defende que um grande grupo, nomeadamente eleitores trabalhistas, só apoiaram o Brexit devido às “preocupações económicas e culturais”.

As declarações de Blair surgem na véspera da reunião, que terá lugar esta segunda-feira, de Theresa May com Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Câmara de Oliveira de Azeméis pagou contas de concelhia do PSD, acusa Ministério Público

O Ministério Público (MP) deduziu esta quarta-feira acusação contra 68 arguidos no âmbito da operação “Ajuste Secreto”. Entre os acusados está o antigo autarca da Câmara de Oliveira de Azeméis Hermínio Loureiro, que é a …

PAN defende atribuição de cartão de cidadão a sem-abrigo

A iniciativa recomenda ao executivo socialista, liderado por António Costa, que seja atribuído "um cartão de identificação a todos aqueles que não têm uma casa ou um teto". O PAN apresentou na Assembleia da República um …

Governo quer criar regras especiais para alunos do profissional acederem ao Ensino Superior

O Governo quer criar um modelo de acesso específico para alunos do ensino profissional que queiram prosseguir estudos superiores, uma proposta que chegou a estar desenhada na anterior legislatura, mas que ainda não avançou. Segundo noticiou …

Menos de metade dos médicos do SNS trabalha em regime de exclusividade

Menos de metade (42,9%) dos médicos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) trabalha em regime de exclusividade, avança o Jornal de Notícias, citando números da Administração Central dos Serviços de Saúde.  Segundo dados apresentados esta quinta-feira …

Grávidas e crianças até aos 10 anos não devem comer peixe-espada e atum, recomenda Espanha

A Agência Espanhola de Segurança Alimentar e Nutrição publicou novas recomendações no final de outubro para o consumo de determinados tipos de pescado, nomeadamente o atum e o peixe-espada, tubarão ou cação e Lúcio. Em causa …

Deputado Lobo d'Ávila abre portas ao futuro no CDS. "Não digo não" ao partido

O ex-deputado Filipe Lobo d'Ávila afirmou que não afasta a possibilidade de se candidatar à liderança do CDS. O potencial candidato à sucessão de Assunção Cristas indicou que a estratégia do partido, nos últimos anos, …

Só o Governo prevê uma aceleração em 2020. OCDE também está pouco otimista (e deixa um conselho a Centeno)

A economia portuguesa vai abrandar nos próximos anos, segundo antecipa a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE). No Economic Outlook publicado esta quinta-feira, as previsões para a economia nacional aponta para um crescimento …

Trump exige que se pare "a caça às bruxas" em reação a testemunho de embaixador

"Esta caça às bruxas deve parar agora. Tão prejudicial para o nosso país!", escreveu Donald Trump no Twitter, em reação ao testemunho do seu embaixador da União Europeia. O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, manifestou …

Seis embaixadores portugueses mudam de países

Há seis embaixadores portugueses que vão mudar de cidade. O Presidente da República já assinou o decreto que rege a nomeação de novas chefias para tutelar as embaixadas de Portugal em Berlim, Madrid, Praga e …

Rúben Dias pede dois milhões por ano. Vieira não está disposto a pagar tanto

A negociação de contrato entre Rúben Dias e o SL Benfica atingiu um impasse. O jogador não se contenta com um salário inferior a dois milhões de euros líquidos por ano, mas Vieira não está …