Terramotos deixam cerca de 8.500 pessoas desalojadas em Porto Rico

STR / EPA

Cerca de 8.500 pessoas ficaram desalojadas na sequência dos terramotos que atingiram Porto Rico na última semana, informou na terça-feira o secretário de Estado daquele território incorporado nos Estados Unidos (EUA), Elmer Román.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

De acordo com o comunicado emitido pelo governante, citado pela agência Efe, o número total de desalojados é de 8.460, dos quais 3.939 foram acolhidos em 12 instalações administradas pelo Departamento da Habitação, noticiou a agência Lusa.

Os restantes 4.521 habitantes desalojados foram acolhidos em 30 centros também administrados por este departamento e que incluem infraestruturas municipais e de organizações sem fins lucrativos.

Elmer Román detalhou que 134 idosos e 26 menores estão sob tutela do Departamento da Família de Porto Rico. O secretário de Estado sublinhou também que 99% dos clientes da Autoridade de Energia Elétrica já dispõem de serviço elétrico e que 98,7% dos clientes da Autoridade de Aquedutos e Esgotos também já têm acesso à água.

A Guarda Nacional de Porto Rico estabeleceu na terça-feira cinco acampamentos para substituir os acampamentos informais que os cidadãos desalojados criaram junto às áreas onde viviam. Estes acampamentos foram posicionados nos municípios de Guánica, Yauco, Guayanilla, Ponce e Peñuelas.

O Governo de Porto Rico espera agora a maior contribuição possível das autoridades federais norte-americanas para fazer face aos danos materiais de pelo menos 110 milhões de dólares (mais de 98 milhões de euros).

Um sismo de magnitude 6,6 na escala de Richter atingiu Porto Rico, em 07 de janeiro. O Serviço Geológico dos EUA informou que o sismo atingiu o sul da ilha a uma profundidade de 10 quilómetros. Embora as autoridades não tenham emitido um alerta de ‘tsunami’, o centro de informação de ‘tsunamis’ do Pacífico avisou que havia essa possibilidade.

Um dia antes, um sismo de 5,8 destruiu cinco casas na cidade costeira de Guánica, no sudoeste, e danificou dezenas de outras. O abalo causou ainda pequenos deslizamentos de terra e cortes de energia.

Os sismos são classificados segundo a sua magnitude como micro (menos de 2,0), muito pequeno (2,0-2,9), pequeno (3,0-3,9), ligeiro (4,0-4,9), moderado (5,0-5,9), forte (6,0-6,9), grande (7,0-7,9), importante (8,0-8,9), excecional (9,0-9,9) e extremo (superior a 10), acrescentou a Lusa.

  Lusa //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.