Físicos da Universidade de Ciência e Tecnologia da China conseguiram realizar com sucesso uma experiência de teletransporte quântico entre o espaço e a Terra, a uma distância de mais de 1.200 km.

O entrelaçamento quântico – a física na sua forma mais estranha – saiu da Terra para o espaço. Investigadores liderados pelo físico Jian-Wei Pan usaram o satélite Micius, lançado em agosto do ano passado e que se encontra em órbita a 100 km da Terra, para enviar partículas quânticas entrelaçadas do espaço para a Terra.

As partículas foram enviadas do satélite para estações terrestres a 1.200 quilómetros de distância, batendo o recorde mundial anterior de teletransporte. Desde os anos 1970 que os físicos tentam aumentar a distância a que conseguem entrelaçar partículas, e em outubro a NASA teletransportou uma partícula quântica a 6 km de distância.

O entrelaçamento quântico é um fenómeno teórico segundo o qual duas partículas que tenham interagido entre si ficam ligadas uma à outra, “partilhando” a sua existência, mesmo que estejam a anos-luz de distância – ou seja, alterações numa dada propriedade de uma delas provocam alterações na outra partícula.

Esta é uma enorme, gigantesca proeza“, disse o físico Thomas Jennewein, da Universidade de Waterloo, no Canadá, à revista Science. “Eles tinham lançado esta ideia louca e conseguiram mesmo concretizá-la”.

Na sua experiência, a equipa de investigadores chineses enviou um raio laser para o espaço, em direcção a um cristal localizado no Micius. O cristal emitiu emitiu então mais de 1000 pares de fotões entrelaçados, com estados de polarização opostos.

Os pares de fotões foram então separados e enviados para a Terra, em direcção às estações de pesquisa de Delingha e Lijiang, localizadas nas montanhas do Tibete, a 1200 quilómetros de distância uma da outra.

Depois de medirem o estado de polarização dos fotões em cada uma das estações, os cientistas concluíram que os pares mantinham estados de polarização opostos numa percentagem muito maior do que seria de esperar probabilisticamente – provando assim haver um “efeito fantasmagórico à distância” entre os pares de fotões. Os resultados da experiência foram apresentados num artigo publicado esta sexta-feira na revista Science.

Jian-wei Pan, C. Bickel / Science

-

Numa segunda fase da experiência, vai agora ser enviado para a Terra um feixe de fotões entrelaçados com fotões mantidos no satélite, sendo então induzida uma interacção dos fotões em Terra com um terceiro fotão, com estado de polarização desconhecido.

Após essa interacção, a mudança do estado de polarização dos fotões em Terra será reflectida nos seus pares em órbita – confirmando não só que o “efeito fantasmagórico” existe, mas que é possível alterar as propriedades quânticas dos fotões à distância.

O teletransporte quântico depende da captura de pormenores fundamentais de um objecto – os seus “estados quânticos” – para transmitir instantaneamente essa informação de um local para outro, de modo a recriar, noutro lugar pré-determinado, um objecto com exactamente os mesmo valores das mesmas propriedades quânticas.

O conceito teórico é controverso. Até o ilustre físico Albert Einstein, um dos autores do famoso Paradoxo de EPR, que pela primeira vez postulou a “acção fantasmagórica à distância”, afirmou a certa altura ela era demasiado estranha para ser real.

Actualmente, os físicos não conseguem transportar matéria instantaneamente – por exemplo, um ser humano – mas podem usar o teletransporte quântico para transmitir informação de um local para outro.

A longo prazo, esta propriedade da mecânica quântica poderia vir a competir com as ligações convencionais à Internet, que já usa milhares de quilómetros em cabos para ligar dispositivos por todo o mundo, e ser usada, por exemplo, para a encriptação de dados – permitindo o envio de mensagens invioláveis a longas distâncias.

“Assim que tivermos satélites à volta da Terra a transmitir sinais quânticos entrelaçados, teremos dado um gigantesco salto para ultrapassar as limitações do entrelaçamento em terra com cabos de fibra óptica”, explica a física Verónica Fernández Mármol, investigadora do Conselho Nacional da Ciência de Espanha, em Madrid.

Ainda é cedo para que a frase “Beam me up, Scotty” salte dos filmes de ficção científica para a nossa rotina diária, mas… já esteve mais longe.

AJB, ZAP // Science Mag

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Bombeiros tentam combater o fogo na Serra da Arada, em São Pedro do Sul, Viseu

Sistema de Comunicações que falhou no incêndio vai custar 568 milhões ao Estado

"O que nasce torto nunca se endireita". O ditado popular aplica-se quase na perfeição ao Sistema de Comunicações que é usado por bombeiros e forças de segurança e que falhou durante o grande e trágico …

Mesquita de al Nouri em Mossul destruida

Estado Islâmico destrói a mesquita onde foi proclamado o califado

Da mesquita al Nouri de Mossul, no Iraque, restam agora apenas ruínas. As forças iraquianas confirmaram que o Estado Islâmico fez explodir a mesquita medieval, esta quarta-feira. Foi nessa mesma mesquita que agora aparece destruída, que …

-

Terrorista procurado há 43 anos detido em Fátima a rezar

A Polícia Judiciária deteve esta quarta-feira, em Fátima, um homem de nacionalidade italiana procurado pelas autoridades por ter cometido em 1974 um atentado com recurso a explosivos em Brescia, em Itália. O italiano estava a rezar …

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes

FC Porto acusa Benfica de espiar o telemóvel do presidente da Federação

As acusações do FC Porto, feitas através do director de comunicação do clube no Porto Canal, continuam e, desta feita, referem-se à alegada espionagem dos encarnados às SMS do actual presidente da Federação Portuguesa de …

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Trump escolheu banqueiro para o governo porque não queria "uma pessoa pobre"

Num encontro com simpatizantes no estado de Iowa esta quarta-feira, Donald Trump afirmou que não queria uma "pessoa pobre" a trabalhar na sua Administração. No evento, o presidente dos EUA disse também que, apesar de …

A Ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa

Constança Urbano de Sousa não se demite porque seria uma "atitude cobarde"

A ministra da Administração Interna afirmou, esta quarta-feira, que não ponderou a sua demissão e que, enquanto tiver a confiança do primeiro-ministro, não o vai fazer porque seria uma atitude cobarde. Em entrevista à RTP, a …

A primeira-ministra britânica Theresa May

Theresa May pede desculpa por gestão do incêndio na torre em Londres

A primeira-ministra do Reino Unido apresentou desculpas pela forma como as autoridades responderam inicialmente ao incêndio na torre Grenfell, em Londres, que fez na semana passada pelo menos 79 mortos. Numa intervenção no Parlamento, Theresa May …

-

Aldeia chinesa enriquece com indústria ilegal de barrigas de aluguer

A indústria de barrigas de aluguer é desde há uma década uma importante fonte de receitas para a aldeia chinesa de Qili, na província de Hubei, apesar de a gestação de substituição estar proibida no …

-

Proteção Civil diz que incêndio em Góis está dominado

O fogo que desde sábado passado lavra no concelho de Góis, no distrito de Coimbra, foi dado como dominado esta quinta-feira, às 07h41, informou o comandante operacional, Carlos Tavares. "É um trabalho que tem que ser …

Dedo de pé em madeira com 3.000 anos é uma das próteses mais antigas do mundo

Dedo de pé em madeira com 3 mil anos pode ser a prótese mais antiga do mundo

Egiptólogos suíços acreditam ter descoberto uma das próteses humanas mais antigas do mundo - um dedo de pé em madeira com cerca de 3 mil anos. Conhecido como o Grande Dedo Greville Chester (ou Greville Chester Great …