Um supercomputador pode ter desvendado o mistério da formação da Lua

Scientific Visualization Studio/ NASA

Uma equipa de astrónomos deu um importante passo para entender como é que a Lua se pode ter formado a partir de uma colisão gigante entre a Terra primitiva e outro objeto massivo, há 4,5 mil milhões de anos.

Segundo o Phys, investigadores da Universidade Durham, no Reino Unido, utilizaram um supercomputador para realizar simulações de um planeta do tamanho de Marte, chamado Theia, a colidir com a Terra primitiva.

Os resultados mostram que a colisão poderia produzir um corpo orbital que, por sua vez, poderia evoluir para um objeto semelhante à Lua. O artigo científico foi recentemente publicado na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

As simulações rastrearam o material da Terra primitiva e de Theia durante quatro dias após a colisão. Depois, foram executadas outras simulaçõe, depois de os investigadores girarem Theia como se fosse uma bola de bilhar.

O supercomputador produziu resultados diferentes dependendo do tamanho e da direção do spin inicial de Theia: Num extremo, a colisão fundiu os dois objetos, enquanto no outro extremo houve um impacto de “vai-e-volta”.

No entanto, os cientistas relataram que, entre esses resultados, houve vários: é o caso de um aglomerado que é criado e se estabelece numa órbita ao redor da Terra após o impacto. Esse aglomerado simulado apresenta um pequeno núcleo de ferro, semelhante ao da Lua, com uma camada externa de materiais composta da Terra primitiva e de Theia.

“O facto de algumas das nossas simulações terem produzido o aglomerado orbital de material, com um disco de material adicional ao redor da Terra pós-impacto que ajudaria o aglomerado a crescer em massa com o tempo, é fenomenal”, comentou Sergio Ruiz-Bonilla, autor principal do estudo.

O próximo passo da equipa é realizar mais simulações, mas desta vez alterando a massa, a velocidade e a taxa de rotação da Terra primitiva e de Thei. O intuito é observar o efeito que estes dados têm na formação de uma potencial Lua.

“Pode haver uma série de possíveis colisões por investigar que nos podem levar ainda mais perto de entender a formação da Lua”, explico Vincent Eke, couator do estudo, ao portal.

Acredita-se que a nossa Lua se formou há cerca de 4,5 mil milhões de anos após uma colisão que envolveu a Terra primitiva e um planeta antigo do nosso Sistema Solar, mas até agora não existem muitos dados para corroborar esta teoria.

Apesar de os cientistas terem o cuidado de dizer que esta não é uma prova definitiva da origem da Lua, eles acrescentam que pode ser uma fase promissora da investigação para entender como o nosso satélite natural pode ter sido formado.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Marinha dos EUA está a desenvolver drones para matar ovos em ninhos de pássaros selvagens

A Marinha norte-americana e a empresa Hitron Technologies uniram esforços para desenvolver um drone autónomo projetado especificamente para procurar e destruir o maior inimigo da Marinha: os pássaros. Os drones, que estão já a ser testados …

Cientistas criam hologramas que se movem pelo ar

Uma equipa de cientistas da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, conseguiu desenvolver um holograma que projeta imagens em movimento. Se é fã de Star Treck, ficará impressionado com a mais recente inovação. Um grupo de …

Gangue detido por falsificar a especiaria mais cara do mundo

As autoridades espanholas detiveram um gangue que fazia milhões de euros por ano a falsificar a especiaria mais cara do mundo: o açafrão. Os 17 membros da quadrilha foram detidos na região de Castela-Mancha. Os criminosos …

Santuário medieval recebe escultura em pedra que usa máscara contra a covid-19

Uma catedral histórica do Reino Unido renovou um santuário do século XIV, acrescentando um detalhe que coloca em evidência o momento pandémico que o mundo vive. Agora, a nova escultura está a usar uma máscara …

Aos 10 anos, Adewumi chegou à elite mundial do xadrez (e fugiu ao Boko Haram)

Tanitoluwa Adewumi foi perseguido pelo Boko Haram, fugiu da Nigéria e foi sem-abrigo nos Estados Unidos. Agora, com apenas 10 anos, chegou à elite mundial do xadrez. Grande Mestre é um dos títulos vitalícios concedidos pela …

Hegemonia económica da China cada vez mais longe. Queda demográfica coloca Pequim sob pressão

O objetivo do país é tornar-se na maior potência económica do mundo nos próximos anos, mas a corrida pela hegemonia - disputada com os EUA - pode não ser uma meta fácil de alcançar. O …

Miss Universo 2021. Concorrente da Singapura usa roupa com o slogan "Stop Asian Hate"

Bernadette Belle Ong, uma concorrente do Miss Universo 2021, vestiu uma roupa com as cores de Singapura que continha as palavras Stop Asian Hate ("parem com o ódio contra os asiáticos"). Bernadette Belle Ong aproveitou o …

A Índia está a tornar quase impossível a vacinação dos sem-abrigo

A Índia está a dificultar o processo de vacinação dos sem-abrigo, uma vez que o programa requer um número de telemóvel e uma morada residencial. Muitas pessoas não têm nem um, nem outro.  Na Índia, quase …

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …