/

Nota artística: Sporting campeão (Boavista é o próximo)

Sei que esta música já foi incluída neste espaço radiofónico. A versão foi outra mas a música era a mesma. Abriu a emissão sobre o FC Porto-Benfica, em janeiro deste ano. Porque esses eram os campeões das últimas duas décadas, ou quase. Esses eram realmente os campeões de Portugal, que deveriam centrar todas as atenções. Falhei. Há uns meses quem previa que, na jornada seguinte ao Benfica-FC Porto, o campeão seria encontrado no…Sporting-Boavista?

Olha adeptos em Alvalade. Cá fora. Mas durante o jogo, sobretudo na primeira parte, quem estava dentro do estádio ouvia perfeitamente as buzinas. Na segunda parte o som predominante era de sirenes, de ambulâncias. Passo à frente. Não vou falar sobre pessoas que não são adeptas de futebol, muito menos adeptas do Sporting; são adeptas da confusão. Mas no primeiro tempo, quando se ouviam essencialmente as buzinas, em certos momentos pareciam aquelas coisas do Mundial da África do Sul.

Rúben Amorim foi o primeiro a entrar. Sentou-se no banco, sozinho, olhou para um relvado deserto, sozinho, e pouco depois cumprimentou um a um os suplentes.

A noite era especial, via-se…

A bola mexe-se. Domínio claro e esperado do Sporting.

Com nota negativa para a lesão, aparentemente grave, de Porro.

O jovem espanhol saiu a chorar, em dia de festa. Porro saiu e entrou João Pereira, subindo para oito o número de futebolistas portugueses no onze do Sporting. Foi o cenário frequente ao longo desta temporada: a maioria dos novos campeões é portuguesa. Os novos heróis são lusos.

Há quanto tempo não víamos um campeão tão português? Desde 2005, no Benfica?

O domínio evidente traduziu-se em golo. Estávamos no minuto 36 e o autor do golo foi Paulinho, cujo nome verdadeiro é João Paulo. Não é Papa mas abençoou o sonho do leão.

Continuo sem perceber aqueles festejos que não são festejos. Paulinho marca e fica irritado. Desta vez, enquanto os seus colegas corriam e sorriam, o avançado pegou na bola e pontapeou o esférico para parte incerta. Furioso, quase. Está certo.

Eis que o Boavista acordou. Nuno Santos, o do Bessa que até é da Luz, esteve perto do golo, pouco antes do intervalo.

Já no segundo tempo, Paulinho voltou a ser o nome em destaque. Porquê? Porque falhou novo golo. E falhou outra vez. E outra vez. Chegou a falhar duas vezes na mesma jogada. Com os ferros da baliza de Léo Jardim a ajudarem a turma do Bessa. Mas Paulinho foi barato, viria a dizer o seu treinador, depois do jogo.

Não houve segundo golo do Sporting, para tranquilizar a equipa da casa.

Mas também não houve golo do Boavista, para impedir a festa da equipa da casa.

O Sporting é campeão!

O Sporting é campeão?

Na última vez que disse isto, ora bem… Alguns jogadores deste plantel nem tinham nascido, quase ninguém sabia quem era o Cristiano Ronaldo, ninguém diria que a Grécia seria campeã europeia, na altura a França era a campeã mundial… Ai isso está igual.

E curiosamente, na época passada, o campeão ficou definido num FC Porto-Sporting. O FC Porto perdeu o título para o Sporting, no ano seguinte.

Agora o campeão ficou definido num Sporting-Boavista. O que quer dizer que o próximo campeão será o Boavista.

Falta saber de que divisão.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.