Sorrir pode fazer com que pareça mais velho – a não ser que já esteja na meia idade

De acordo com um novo estudo, sorrir pode fazer com que pareça mais velho. No entanto, para as pessoas que têm mais de 60 anos, este pode não ser um problema.

Melvyn Goodale e Tzvi Ganel desenvolveram um estudo que aprofundou uma pesquisa anterior, mostrando que sorrir pode fazer com que as pessoas pareçam um ou dois anos mais velhas.

Os rostos contêm um número incrível de pistas sociais. Entre as muitas dimensões críticas que as pessoas facilmente extraem dos rostos, a idade costuma ser considerada primária”, refere Goodale, acrescentando que “a identificação precisa da idade de uma pessoa é crucial para compreender os papéis sociais e determinar a natureza da interação social”.

No novo estudo, publicado na revista Scientific Reports no mês de novembro, os participantes observaram centenas de fotografias de rostos de pessoas entre os 20 e 80 anos, sendo que umas estavam a sorrir e outras estavam com um ar mais sério. O objetivo era que os voluntários sugerissem uma idade para cada pessoa que fossem analisando.

Os rostos de pessoas mais jovens, ou seja que se situam na casa dos vinte aos trinta anos, foram “confiavelmente” identificados como parecendo mais velhos quando sorriam. Estes resultados vão ao encontro daquilo que já tinha sido apresentado num estudo anterior, que teve como objeto de estudo fotos de pessoas jovens.

Por outro lado, na avaliação da idade dos rostos de pessoas com mais de 60 anos, sorrir mostrou ter pouco ou nenhum efeito.

Concluiu-se ainda que os homens de meia-idade pareciam mais velhos quando sorriam, mas o sorriso não afetava a perceção da idade na mulheres de meia-idade. Esta situação, refere o estudo, pode ser explicada por uma diferença nas rugas relacionadas com o sorriso.

Os homens de meia-idade têm mais rugas do que as mulheres da mesma faixa etária, sendo que a proeminência dessas rugas ao redor dos olhos aumenta mais quando estes homens sorriem”, explicou Goodale, citado pelo Phys.

Ainda assim, a razão que explica essa diferença entre homens e mulheres de meia-idade continua pouco clara. Os investigadores acreditam que existem diferenças anatómicas e fisiológicas bem estabelecidas que podem dar a resposta. A presença de um estilo de vida mais saudável e mais cuidados com a pele também podem retardar o aparecimento de rugas faciais – e justificar a razão pela qual as mulheres apresentam menos sinais de envelhecimento.

Independentemente da explicação, estas descobertas reforçam a ideia de que a presença de rugas ao redor dos olhos é um fator importante para a perceção da idade – e que a expressão facial pode afetar a proeminência dessas rugas e, consequentemente, a perceção da idade de alguém.

“Estas descobertas são particularmente relevantes numa altura em que vivemos com a pandemia de covid-19, em que tantas pessoas usam máscaras, deixando apenas os olhos visíveis”, remata Goodale.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.