/

“Sopro do Diabo”. Leonardo DiCaprio produz documentário sobre incêndios de Pedrógão Grande

Paulo Cunha / Lusa

O documentário foi exibido na COP26 e tem estreia marcada para 2022. O realizador também já venceu um Óscar em 2016.

Foi uma das maiores tragédias em Portugal e esteve nas notícias um pouco por todo o mundo, mas os acontecimentos dos incêndios de Pedrógão Grande vão ser agora ainda mais expostos internacionalmente. O actor vencedor de um Óscar e dedicado a causas ambientais Leonardo DiCaprio está a produzir um documentário que usa os enormes incêndios de 2017 como pano de fundo para alertar para as consequências das alterações climáticas.

“From Devil’s Breath” é o nome da produção, que em tradução livre equivale a “Sopro do Diabo“, e é uma curta-metragem que integra a série “The Tipping Point” que será exibida em duas sessões da COP26, a cimeira climática das Nações Unidas. A estreia está prevista para 2022.

A série foi anunciada na terça-feira pela Day Zero Productions de Trevor Noah, o apresentador do programa “The Daily Show”, e pela produtora norte-americana Sugar23 e a P&G Studios.O realizador é Orlando von Einsiedel, que também venceu um Óscar em 2016 pelo documentário “Os Capacetes Brancos”.

A obra relata as histórias dos sobreviventes e de quem perdeu tudo com o fogo e retrata também os esforços de quem luta para que uma tragédia da mesma dimensão não se repita. “Sopro do Diabo” divulga também uma ferramenta que pode ajudar a prevenir incêndios por juntar organizações de todo o mundo que se dedicam à reflorestação sustentável.

O realizador afirmou à revista Time que o documentário foi “profundamente emocional” por ter de “testemunhar em primeira mão” como a crise climática está a destruir “inúmeras vidas”. Já DiCaprio revela que tem orgulho de integrar um projecto que conta uma “importante história” que “é emocionante, poderosa e oportuna”. O actor marcou também presença em Glasgow para a COP26.

A mesma revista avança que o documentário se foca “na improvável narrativa na primeira pessoa de duas histórias que colidem; a extraordinária comunidade de sobreviventes dos incêndios fatais de 2017 em Portugal, a lutar para garantir que o que viveram nunca mais pode acontecer; e uma descoberta científica revolucionária que pode ajudar a proteger-nos a todos da emergência climática”.

O compositor nomeado para um Emmy Patrick Jonsson, a fotógrafa vencedor de um Pulitzer Lynsey Addario e banda Bastille, que escreveu uma música para a curta também contribuíram para o projecto.

Recorde-se que os incêndios de Pedrógão Grande mataram 66 pessoas e destruíram 53 mil hectares de floresta, tendo sido precisa uma semana para apagar o fogo.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.