Sobrevivência da TAP depende da “implementação rigorosa” da reestruturação

(dr) TAP

Ramiro Sequeira, presidente executivo da TAP

O presidente executivo interino da TAP, Ramiro Sequeira, despediu-se esta segunda-feira dos trabalhadores sublinhando que a sobrevivência da companhia aérea dependerá da “implementação rigorosa” do plano de reestruturação.

Num email enviado aos trabalhadores, a que a agência Lusa teve acesso, antes da assembleia-geral de quinta-feira que deverá aprovar o novo conselho de administração da TAP, Ramiro Sequeira diz que “o próximo capítulo – a implementação rigorosa do plano de restruturação -, é vital para a sobrevivência da TAP”.

“E, meus caros, ‘ou nos unimos como equipa ou morreremos como indivíduos'”, lê-se igualmente no email.

Na semana em que termina as suas funções, o gestor disse que viveu “enormes, complexos e duros desafios destes últimos meses”, desafios esses que, ao terem impacto em milhares de outras pessoas, se tornaram numa missão “numa empresa que precisava de um rosto e liderança para avançar no contexto da pandemia, elaborar o plano de reestruturação, preparar a retoma e, não menos importante, manter em velocidade cruzeiro e em segurança o dia-a-dia”.

“Uma coisa temos como garantido: fizemos parte de um relevante e determinante capítulo destes preciosos 76 anos de história e de todos os que estão por vir”, referiu.

Assim, acrescentou, dez meses passados, a “TAP está a retomar, lentamente, as operações, em segurança, tem um plano de reestruturação e de recuperação, que todos esperamos seja aprovado em breve, manteve o papel essencial para o país e para os portugueses ao assegurar, sempre e sem excepção, a continuidade territorial”.

“Assegurou o repatriamento de milhares de compatriotas e o transporte de material médico crítico. Alcançámos, em parceria com todos os sindicatos, acordos fundamentais e essenciais a este caminho, que permitiram baixar o impressionante número de 2000 trabalhadores excedentários para menos de 200, estando assim este duro processo na sua fase final”, sinalizou.

Ramiro Sequeira iniciou a função de presidente executivo da TAP em setembro do ano passado, substituindo Antonoaldo Neves no cargo que ocupava desde 2018, na sequência do acordo entre o Governo e os accionistas privados para a reorganização do quadro societário da TAP – com a saída de David Neeleman.

Em 2020, a TAP voltou, então, ao controlo do Estado português, que passou a deter 72,5% do seu capital. O empresário Humberto Pedrosa tem 22,5% e os trabalhadores os restantes 5% do grupo.

A TAP está a ser alvo de um processo de reestruturação, devido à situação financeira difícil causada pela pandemia, que implicou a redução do número de trabalhadores e levou a Comissão Europeia a autorizar o auxílio estatal de 1,2 mil milhões de euros.

Já este ano, no final de abril, a Comissão Europeia aprovou um novo e intercalar auxílio estatal de Portugal à TAP, no valor de 462 milhões de euros, para novamente compensar prejuízos decorrentes da pandemia e, segundo a transportadora, garantir liquidez até à aprovação do plano de reestruturação por Bruxelas (que ainda decorre).

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Sondas espaciais com "cunho" português vão passar perto de Vénus

As sondas espaciais europeias Solar Orbiter e BepiColombo, ambas com tecnologia e ciência portuguesas, vão passar perto de Vénus a 9 e 10 de agosto, respetivamente, anunciou esta segunda-feira a Agência Espacial Europeia (ESA). A passagem …

Elvis Presley terá morrido de doenças genéticas (e não por overdose de medicamentos)

Segundo um novo livro de Sally Hoedel, a morte de Elvis Presley estará, afinal, relacionada com o tratamento para doenças congénitas das quais sofria. O cantor norte-americano, que morreu há quase 44 anos, estava fortemente medicado …

A cidade mais populosa de África está a viver em contra-relógio

Os habitantes da Nigéria, o país mais populoso de África, já estão habituados a contornar as inundações anuais que invadem o país. No entanto, este ano a situação saiu fora do controlo, com o principal …

"Pensávamos que a Casa Branca mandava". Biden sob fogo devido ao fim da proibição dos despejos

A inacção de Joe Biden perante o fim das moratórias que proíbem os despejos durante a pandemia está a ser criticada até dentro do próprio Partido Democrata. A moratória federal aos despejos acabou este sábado, para …

Na ausência de Biles, Sunisa Lee coroou-se rainha da ginástica. É a primeira hmong a ganhar ouro

Sunisa Lee chegou a Tóquio com a missão de ajudar os Estados Unidos a garantir o ouro e de garantir a presença em finais individuais de aparelhos. Com o abandono de Biles, tornou-se a estrela …

Presidente afegão culpa retirada “abrupta” dos EUA pelo rápido avanço dos talibãs

O chefe de Estado afegão prometeu vencer o conflito com as milícias talibãs e os Estados Unidos dizem-se prontos a receber mais milhares de refugiados. O Presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, prometeu esta segunda-feira vencer o …

42% das pessoas em enfermaria no Hospital de são João têm vacinação completa

No Centro Hospitalar de São João (CHSJ), 42% das pessoas internadas em enfermaria e 15% das internadas em unidades de cuidados intensivos tinham a vacinação completa. Segundo os últimos dados da Direção-Geral da Saúde (DGS), apenas …

António Oliveira e uma arbitragem "conveniente"

Athletico Paranaense perdeu novamente no Brasileirão e a equipa de arbitragem ajudou os vencedores, queixou-se o treinador português. O Athletico Paranaense, líder do Brasileirão nas primeiras jornadas, está numa fase negativa: apenas uma vitória nas últimas …

André Ventura - Chega

Autárquicas. Chega concorre sozinho a 220 municípios para avaliar o seu "impacto"

André Ventura anunciou esta segunda-feira que o Chega irá concorrer nas eleições autárquicas a “cerca de 220 municípios” do país, sublinhando que o partido vai a votos sozinho para avaliar o seu “impacto”, mas sem …

Ex-guarda nazi julgado aos 100 anos por cumplicidade em assassinatos

Um homem de 100 anos que supostamente serviu como guarda num campo de concentração nazi será julgado em outubro por cumplicidade no assassinato de mais de 3.500 pessoas durante a Segunda Guerra Mundial, informou a …