/

Site para denúncias de abortos no Texas é removido pelo servidor – outra vez

Sergio Flores / Getty Images

Já desde Maio que a nova lei tem motivado protestos. “Os vossos mitos não têm lugar nas leis de uma nação secular”, lê-se num dos cartazes

O site usado para denunciar abortos no Texas está novamente com problemas desde ontem após já ter sido removido por outro servidor na sexta-feira por violar as políticas de privacidade.

Depois de ter sido removido na sexta-feira, o site usado por activistas anti-aborto para denunciar e dar pistas sobre possíveis interrupções voluntárias da gravidez foi novamente desactivado.

O endereço ProLifeWhistleblower.com já tinha sido removido pelo GoDaddy, o anterior servidor, por violar as políticas de privacidade com a partilha de informações médicas,e foi agora suspenso outra vez por uma agência conhecida por fornecer serviços a grupos de extrema-direita.

“Para todos os propósitos, está offline. Estão a ter dificuldades técnicas. A minha especulação pessoal é que vão ter problemas em mantê-lo online no futuro”, prevê Ronald Guilmette, um especialista na infraestrutura da web, ao The Guardian.

Desde terça-feira que o endereço redirige os utilizadores para o site principal da filial texana da organização evangélica Direito à Vida, que criou o portal para as denúncias na sequência da nova lei do aborto no estado, que o proíbe após seis semanas de gravidez e premeia a delação com pagamentos que podem chegar aos 10 mil dólares.

Muitos activistas têm-se organizado nas redes sociais, especialmente no TikTok, para tentar afectar a eficiência do site, enviando denúncias falsas e fazendo spam e de pornografia.

Depois de ser retirado pelo GoDaddy, o site foi movido para o Epik, que é conhecido pelos critérios largos e por albergar comunidades polémicas e de extrema-direita que muitos outros servidores se recusam a acolher, como o 8chan ou o Gab and Parler.

  Adriana Peixoto, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE