Sete em cada 10 sítios naturais da UNESCO estão em risco

Sete em cada 10 sítios naturais da UNESCO poderão ser afetados pelas alterações climáticas, alertou o especialista Filipe Duarte Santos numa conferência dedicada aos “Territórios UNESCO e as alterações climáticas”.

Filipe Duarte Santos afirmou que 71% dos sítios naturais da UNESCO incluídos numa lista de mais de mil locais defendidos pelos critérios como património mundial, serão afetados pelas alterações climáticas.

O presidente do Conselho Nacional do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável falava em Lisboa numa conferência promovida pela UNESCO sobre alterações climáticas, na qual salientou que as concentrações de dióxido de carbono (CO2) aumentaram 42% desde o período pré-industrial.

As temperaturas na Terra, que estiveram 52 milhões de anos num processo descendente, vão fazer o percurso inverso em apenas centenas, avisou o especialista.

Há 52 milhões de anos a temperatura era, em média, 10 graus superior à de hoje e começou a descer desde então, disse o especialista, acrescentando que o planeta está a fazer o percurso inverso em poucas centenas de anos.

Lembrando que são os combustíveis fósseis os que provocam maiores emissões de CO2 (62%), e que desde 1970 há uma tendência de subida da temperatura, Filipe Duarte Santos alertou para consequências dessa subida, como os fenómenos de extremos meteorológicos mais frequentes ou a subida do nível do mar, que levam a ciclones tropicais também mais intensos e com mudança de trajetória, aproximando-se da Europa.

A juntar a tudo isso, há a destruição de recifes de coral pelo aumento da temperatura da água, há a “descida abrupta” do pH dos oceanos (água mais ácida devido à absorção do CO2), que se tinha mantido constante nos últimos 25 milhões de anos.

Além disso, há uma tendência cada vez maior de menos chuva nos países do sul da Europa e no Mediterrâneo, na ordem dos 30% menos, disse Filipe Duarte Santos.

Perigo maior que o terrorismo

O presidente da Comissão Nacional da UNESCO, José Filipe Morais Cabral, defendeu que as alterações climáticas são um perigo maior que, por exemplo, o terrorismo, porque “põem em causa a sobrevivência do planeta”.

O aumento do nível da água dos oceanos “pode levar a uma catástrofe humana de dimensões jamais vistas”, disse o embaixador, que falava em Lisboa num colóquio promovido pela UNESCO sobre as alterações climáticas.

O responsável lembrou também que em Portugal há 11 reservas da biosfera e quatro geoparques naturais, sítios classificados pela UNESCO e que assumem um importante papel na mitigação das alterações climáticas. E porque a UNESCO valoriza a questão deverá fazer ainda este ano uma nova conferência sobre alterações climáticas, disse o embaixador.

Também presente na conferência, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, salientou igualmente a responsabilidade que Portugal tem nesta matéria, por ser um dos países mais afetados e também mais empenhado na luta contra as alterações climáticas.

Temos responsabilidades e devemos ter consciência disso”, disse o ministro, lembrando que o país é apontado como tendo um bom índice de desempenho nesta matéria, ainda que o planeta não esteja a fazer o suficiente e que as alterações se combatem mitigando os efeitos e fazendo a adaptação à nova realidade.

Santos Silva lembrou ainda que o tema das alterações climáticas já ganhou importância nas 102 escolas portuguesas organizadas na rede UNESCO, e nos 60 centros UNESCO do país.

José Paulino, do departamento de alterações climáticas da Agência Portuguesa do Ambiente, lembrou o trabalho que tem vindo a ser feito para adaptação, que começou em 2010 e que levou a que hoje haja um programa de ação para as alterações climáticas, que deve ser adotado “nas próximas semanas ou meses”.

O primeiro programa financiado sobre a matéria, disse, foi trabalhar com municípios para que se identifiquem ameaças e se desenvolvam estratégias, sendo que 27 municípios “já sabem hoje por onde começar a atuar e que respostas devem dar”.

É que, alertou o responsável, o clima transforma-se a uma velocidade tal que tudo o que era conhecido “já está posto de lado”. “As alterações climáticas não permitem fazer essa separação clara entre épocas climáticas como havia anteriormente”, disse.

Com Portugal “numa situação pouco invejável”, os fenómenos extremos vão sempre causar danos “por muito que estejamos preparados”. Mas o dinheiro que se gastar na adaptação será sempre menos do que se gasta depois, para fazer face aos prejuízos, disse José Paulino.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Twitter passa a alertar utilizadores que colocam "like" em informações incorretas

O Twitter passou a alertar os utilizadores quando estes tentam 'curtir' uma publicação que contenha informações consideradas incorretas, medida que faz parte da esforço da empresa para combater a desinformação. Esta mudança significa que os utilizadores …

Erosão causada por tempestade tropical revela naufrágio do século XIX na Florida

Depois da tempestade tropical Eta arrebatar o norte da Florida no início deste mês, um banhista fez uma descoberta inesperada enquanto caminhava na costa de St. Augustine. Ao caminhar pelas dunas de areia de Crescent Beach, …

Uma mentira de um trabalhador de uma pizzaria forçou o confinamento na Austrália do Sul

O estado da Austrália do Sul decretou um confinamento geral, no dia 18 de novembro, depois de um funcionário de uma pizzaria ter mentido. Segundo o Huff Post, o homem, de nacionalidade espanhola, estava infetado com …

Jogar Monopólio, Scrabble ou até bilhar pode ser (ainda) mais divertido com uma nova mesa touch

Por mais divertidos que sejam os jogos de tabuleiro, estes podem ser um passatempo caro pois quem realmente gosta não se cansa de os comprar. Agora, a empresa Arcade1Up criou o Infinity Game Table que …

A apreensão histórica de cetamina na Tailândia não foi assim tão histórica. Eram só aditivos alimentares

Análises laboratoriais revelaram que a apreensão "histórica" de cetamina anunciada pelo Governo da Tailândia há cerca de duas semanas foi, na verdade, uma apreensão de aditivos alimentares e agentes de limpeza. As autoridades tailandesas anunciaram, …

Para clínicas de Terceiro Mundo. Dispositivo movido a energia solar esteriliza equipamentos médicos ao ar livre

As autoclaves são consideradas essenciais para esterilizar equipamentos médicos, mas não estão disponíveis nos países de Terceiro Mundo, onde o acesso à eletricidade é limitado. Um novo dispositivo portátil, movido a energia solar, pode ser …

China pondera novas regras sobre estrangeiros para "proibir o extremismo religioso"

Um projeto-lei publicado esta semana pelo Ministério da Justiça chinês aponta para novas restrições sobre a atuação de fiéis estrangeiros no país, com o intuito de evitar a disseminação do "extremismo religioso" ou do uso …

Regar, cortar e matar insetos. Robô dá conta de todas as tarefas de jardinagem (e até afasta intrusos)

A jardinagem é uma terapia para muitas pessoas, mas também pode ser um incómodo. O robô Yardroid foi projetado para lidar de forma autónoma com essas tarefas, utilizando inteligência artificial. Semelhante a um tanque em miniatura, …

ProToiro vai impugnar IVA das touradas e avança com queixa em Bruxelas

A Federação Portuguesa de Tauromaquia (ProToiro) vai avançar com a impugnação do valor do IVA na tauromaquia e com uma queixa na Comissão Europeia, exigindo que a taxa passe de 23% para 6%. Em comunicado, a …

Braga 3-3 Leicester | Vardy rouba triunfo luso nos descontos

Um "balde de água fria". A recepção do Sporting de Braga ao Leicester não foi parca em emoção e em bom futebol. Os minhotos foram superiores na primeira parte e chegaram ao intervalo em vantagem. Contudo, …