/

Mais de 60% das séries vistas por jovens em 2020 incluíram cenas com tabaco. A Netflix foi a maior culpada

A plataforma de streaming Netflix foi a principal fonte de conteúdos para jovens que incluem cenas com consumo de tabaco, apesar de ter prometido acabar com estas retratações em 2019.

Com o mundo em confinamento, o streaming viveu um grande boom em 2020, mas os conteúdos das plataformas continuaram a retratar um mau hábito com frequência: fumar, mesmo depois de estudos já terem concluído que mostrar personagens a participar no vício aumenta a probabilidade dos jovens decidirem experimentar.

De acordo com um novo relatório da organização sem fins lucrativos anti-tabaco Truth Initiative relativo a 2020, 27 milhões de jovens foram expostos a imagens de alguém a fumar ou fazer vaping apenas nas séries de streaming.

“Este comportamento tornou-se muito prevalecente entre todos nós, mas especialmente entre os jovens durante a pandemia quando toda a gente estava presa em casa e a ver mais conteúdos do que nunca“, revela Robin Koval, CEO da Truth Initiative, citada pelo USA Today.

Mais de 60% das séries mais vistas entre os jovens entre 15 e 24 anos incluem cenas com tabaco, uma descida de 13% em relação aos dados de 2019.

Depois de ter prometido em 2019 que ia deixar de mostrar personagens a fumar nas suas produções originais, a Netflix voltou a ser a maior culpada, com centenas de cenas nas séries The Queen’s Gambit (220) — que retratou o consumo de tabaco em todos os episódios — ou The Umbrella Academy (205).

Na altura da sua promessa, a platafoma de streaming cingiu-se às séries criadas com uma audiência mais jovem em mente (com 14 ou menos anos) e incluiu excepções para a “visão criativa” ou para tornar a série mais realista caso se passe noutro período histórico, lembra a Forbes.

“Desde a implementação da nossa política, temos orgulho de que as nossas séries mais novas que são populares entre os jovens, como Shadow and Bone, Sweet Tooth e Never Have I Ever não incluem tabaco“, revelou a Netflix ao USA Today.

O estudo concluiu também que 13 Reasons Why e Fuller House removeram todas as cenas com cigarros e que Big Mouth, Shameless e Lucifer reduziram a quantidade de cenas em comparação com temporadas passadas.

Apesar da temporada mais recente de Stranger Things ter sido lançada em 2019, foi na mesma um dos conteúdos mais vistos em 2020 e está na lista, o que mostra que a influência dos programas mais antigos também deve ter sida em conta.

Outras séries que também mostram um consumo elevado de tabaco em 2020 incluem os Simpsons, Bob’s Burgers, e On My Block.

Segundo uma análise da Universidade de Chicago, mas de um terço dos filmes lançados em 2020 considerados apropriados para públicos jovens incluem cenas com tabaco. O estudo também avaliou vídeos musicais e concluiu que quase um em cada quatro das músicas dos top 10 semanais da Billboard mostram cigarros.

Uma grande mudança que se notou foi a remoção do incónico cigarro azul de Cruella do filme da Disney dedicado à vilã dos 101 Dálmatas que foi lançado em Maio de 2021.

A nível mundial, uma em cada cinco crianças entre 13 e 15 anos fuma regularmente, segundo um estudo publicado na British Medical Journal. Os jovens que são expostos a imagens de pessoas a fumar em filmes têm uma probabilidade quase duas vezes maior de adoptarem o vício, de acordo com outro relatório.

  Adriana Peixoto, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE