São Francisco desiste de ter robôs assassinos

ZAP // DALL-E-2

A cidade de São Francisco, nos EUA, voltou atrás na decisão de autorizar a polícia a usar robôs equipados com armas letais.

A proposta, que tinha sido aprovada a semana passada pelo Conselho de Supervisores, o órgão legislativo da cidade local, permitiria que a polícia tivesse acesso a robôs com a capacidade de matar.

A decisão foi alvo de duras críticas por parte de grupos de defesa das liberdades civis.

Depois de votar por unanimidade a suspensão a proposta na terça-feira, o Conselho enviou a questão a uma comissão especializada para uma análise mais aprofundada.

A medida, a ser aprovada, teria permitido ao Departamento de Polícia de São Francisco matar suspeitos com robôs em situações extremas. A polícia da cidade tem já 12 robôs, usados maioritariamente para desarmar explosivos.

Catherine Connolly, do grupo ativista Stop Killer Robots, afirmou à BBC que a decisão representava um “terreno escorregadio”, que poderia distanciar os humanos das mortes.

Manifestantes e vários membros dissidentes do Conselho reuniram-se na escadaria da autarquia local, fazendo um apelo para que a cidade revertesse a decisão.

Em segunda votação, habitualmente destinada a endossar as decisões do Conselho, o órgão de governo da cidade decidiu alterar o sentido do voto. A proposta original agora rejeitada agora será aperfeiçoada ou totalmente descartada.

A polícia argumentou que os robôs só seriam usados ​​em circunstâncias extremas. Segundo Robert Rueca, porta-voz da SFPD, os “robôs poderiam potencialmente ser equipados com cargas explosivas para romper estruturas fortificadas contendo pessoas violentas, armadas ou perigosas”.

Segundo Rueca, os robôs também poderiam ser usados ​​para “incapacitar ou desorientar suspeitos violentos, armados ou perigosos que representassem risco de morte”.

Este tipo de robô letal já está em uso noutras cidades dos Estados Unidos. Em 2016, a polícia de Dallas, no Texas, usou um robô armado com explosivos C-4 para matar um atirador que tinha assassinado cinco agentes da polícia local e ferido vários outros.

A votação ocorreu depois de uma nova lei no Estado da Califórnia, aprovada este ano, ter determinado que as forças policiais da cidade mantenham um inventário dos equipamentos de nível militar e obtenham aprovação para seu uso.

  ZAP // BBC

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.