“Eu não sou o Marco Paulo, mas tenho dois amores.” Santana Lopes admite regresso ao PSD

2

Mário Cruz / Lusa

Rui Rio e Pedro Santana Lopes

Pedro Santana Lopes deu uma entrevista à CNN Portugal, esta segunda-feira, na qual deixou bem patente o seu amor eterno pelo PSD. O fundador do Aliança admitiu, até, o regresso.

“Gosto muito do PPD/PSD, nunca deixei de gostar.” A jura de amor de Pedro Santana Lopes foi transmitida esta segunda-feira, pela CNN Portugal, numa entrevista na qual o fundador do Aliança admitiu um possível regresso ao partido onde tudo começou.

“Há uma pessoa que quer muito […], que é a Conceição Monteiro. Teve um desgosto enorme por eu sair. […] Acho que é provável, eu sou de lá, eu pertenço lá“, disse Santana. “Gosto de voar sozinho, mas sei qual é o meu bando.”

Sem precisar o momento do eventual regresso ao PSD e confessando ter “dois amores” (Aliança e PSD), o dirigente salientou que, quando o fizer, será pela “mesma porta” por onde saiu, “discretamente“, “festas, euforias, assobios ou palmas”.

Para já, sublinhou, “não vou voltar para lado nenhum, vou continuar independente”. Pedro Santana Lopes garantiu que o regresso não estará relacionado com uma eventual aproximação do PSD ao poder, a poucos dias das eleições legislativas.

O autarca da Figueira da Foz rompeu com os sociais-democratas há três anos, depois de ter perdido as eleições para a presidência para Rui Rio. “Houve uma ligação que acabou”, comentou, durante a entrevista, sem se mostrar arrependido da decisão.

Santana quis seguir outro caminho, referindo-se ao partido Aliança, que, na sua ótica, “correu muito mal“. “Ainda hoje as pessoas acham que sou PPD/PSD em muito sítio, é uma marca que fica para a vida.”

“Ele pode vencer as eleições”

Numa análise aos últimos dois anos de governação, Santana deixou um elogio ao atual primeiro-ministro e secretário-geral do PS, António Costa. “Não vou dizer que foi um herói, mas gerir um país num processo de pandemia é dificílimo”, afirmou, antes de salientar a existência de um maior desgaste.

Quanto às legislativas do próximo domingo, e em particular sobre o futuro político que se avizinha, o autarca vê como forte um entendimento entre o PS e o PSD.

“António Costa já disse tudo e o seu contrário, está muito errático. Hoje já está disposto ao diálogo com toda a gente”, disse, acrescentando que a solução mais viável poderá mesmo ser um entendimento ao centro.

Já quanto a Rui Rio, “tem um bom programa, tem-no exposto, os portugueses sabem que é uma pessoa séria”. “Ele pode vencer as eleições. É o único que aprendeu que o grande problema de Portugal é a economia e o crescimento.”

  ZAP //

2 Comments

  1. A que o tacho obriga. Esta gente faz mesmo tudo para assegurar um tacho. A nossa polítca está cheia de gente rasca.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE