Sánchez desloca-se a Barcelona para “visitar agentes feridos” e lembra obrigações de Torra

Mariscal / EPA

Pedro Sánchez, primeiro-ministro espanhol

O presidente do governo espanhol, em funções, Pedro Sánchez, desloca-se esta segunda-feira a Barcelona, após ter criticado o presidente do governo regional da Catalunha por não ter condenado com firmeza os atos de violência dos últimos dias.

“Condenar a violência de forma veemente, amparar as forças de segurança que a combatem e evitar a discórdia civil”, escreve o chefe do Executivo espanhol numa carta enviada a Quim Torra em que refere que o presidente do governo autónomo tem a obrigação de se posicionar contra os atos violentos dos manifestantes.

A carta enviada esta segunda-feira a Torra é a resposta do governo espanhol à missiva do presidente da Generalitat enviada no sábado ao primeiro-ministro. No documento, Quim Torra negou acusações anteriores sobre falta de diálogo e recriminou o primeiro-ministro por ter pretendido, disse, “dar lições sobre condenar ou lutar contra a violência”.

“Em resposta à sua carta de 19 de outubro e às declarações públicas dos últimos dias, permito-me recordar-lhe que o primeiro dever de qualquer responsável público é velar pela segurança dos cidadãos, e dos espaços públicos e privados”, respondeu Sánchez à carta de Torra.

O chefe do Executivo espanhol diz também que o “segundo dever” de um responsável público “é preservar a convivência entre todos os que integram a sociedade civil e evitar a fratura da comunidade.

Sánchez acusa Torra de ter evitado a questão da violência em vários pontos da Catalunha, inclusivamente os acontecimentos ocorridos perto do gabinete do próprio presidente da Generalitat.

O primeiro-ministro diz ainda que Torra “virou as costas às forças e aos corpos de segurança” que protegem o público com “grande profissionalismo expondo-se a grandes riscos”. “Virou as costas e ignorou mais de metade da população catalã simplesmente porque não partilha dos seus propósitos, em vez de se comportar com o presidente de todos os catalães”, refere Sánchez.

Fontes governamentais disseram à Efe que Sánchez, que deve visitar os agentes feridos nos confrontos com manifestantes em Barcelona, vai reunir-se com as forças e corpos de segurança do Estado responsáveis pela segurança na Catalunha.

As sentenças do Tribunal Supremo aos políticos catalães no âmbito do “Processo” independentista desencadearam os protestos em vários pontos da região autónoma e que se prolongam desde a semana passada.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Casamento com 200 pessoas autorizado em Arruda dos Vinhos. Câmara contesta

O presidente da Câmara de Arruda dos Vinhos criticou a decisão da autoridade de saúde de autorizar a realização de um casamento “com cerca de 200 pessoas”, considerando que vai colocar a população do concelho …

Novo Banco desmente demissão de gestores após polémicas com Fundo de Resolução e Vieira

O Novo Banco veio a público desmentir a notícia do Público que alega que três gestores de topo da instituição se demitiram, após divergências internas envolvendo várias polémicas relacionadas com o Fundo de Resolução, com …

Milhões da bazuka europeia só chegam em junho

Portugal e os restantes Estados-membros das União Europeia (UE) só deverão receber os respetivos fundos da bazuka europeia de apoio à retoma no pós-pandemia na segunda metade de 2021, em meados de junho. A confirmar-se …

Braço de ferro entre Costistas e Nunistas novamente adiado

O PS voltou a adiar, agora de 31 de Outubro para 7 de Novembro, a reunião da Comissão Nacional que decidirá a orientação do partido face às eleições presidenciais. Fica assim adiado o braço-de-ferro entre …

Cercas sanitárias e recolher obrigatório. Governo avalia novas medidas na próxima semana

O Ministério da Saúde, liderado por Marta Temido, vai voltar a reunir na próxima semana com o Conselho Nacional de Saúde Pública (CNSP), num encontro em que serão discutidas novas medidas para travar a propagação …

Presidenciais EUA. Biden promete vacina gratuita para todos, Trump apela ao voto latino

Joe Biden e Donald Trump continuam em campanha eleitoral para a corrida à Casa Branca, numas eleições que estão agendadas para 3 de novembro. O candidato presidencial democrata Joe Biden prometeu esta sexta-feira que a vacina …

Há 72 concelhos com risco "muito elevado" de contágio. Governo esconde mapas de perigo

O Governo insiste em não divulgar os mapas de perigo com o risco de contágio por coronavírus que foram feitos por peritos da Direcção Geral de Saíde (DGS). Isto numa altura em que o Expresso …

Nuno Melo estuda candidatura à liderança do CDS

O eurodeputado Nuno Melo não excluiu uma candidatura à liderança do CDS, avança este sábado o semanário Expresso. Confrontado pelo jornal, o eurodeputado não excluiu uma eventual candidatura à liderança dos centristas, dizendo apenas que "não …

Testes de diagnóstico já podem ser requisitados através do SNS24

O modelo de requisição de testes de diagnóstico à covid-19 através da linha de saúde 24 começou esta sexta-feira a funcionar, à semelhança dos meses mais complexos de março e abril, avançou a ministra da …

"Turbulência política", desvalorização do "vírus da China" e geopolítica. China, Irão e Rússia destroem Trump

As eleições presidenciais que se vão realizar no próximo dia 3 de novembro nos EUA têm despertado o interesse dos eleitores, mas não só. São vários os países do mundo que estão de olhos postos …