Rússia estava preparada para atacar o Japão, antes de invadir a Ucrânia

21

Pavel Bednyakov / EPA

A Rússia estava preparada para atacar o Japão no verão de 2021, alguns meses antes de o país ter invadido a Ucrânia, em fevereiro deste ano.

A informação é conhecida graças a uma carta de um denunciante do Serviço Federal de Segurança (FSB) da Rússia, partilhada num email com a revista Newsweek.

Em agosto de 2021, a Rússia estava “a preparar-se seriamente para um conflito militar localizado com o Japão”, disse o agente num e-mail a Osechkin, em março.

“A confiança de que os países entrariam em estágio de confronto agudo e até mesmo de guerra era alta. A razão pela qual a Ucrânia foi escolhida para a guerra no final cabe a outros responderem”, escreveu ainda o agente.

O denunciante detalhou movimentos de helicópteros de guerra com o intuito de eventualmente atacarem o Japão. A propaganda de Moscovo também planeava rotular os japoneses de “nazis” e “fascistas”.

O email é datado de 17 de março e foi enviado por um agente, apelidado de “Wind of Change”, a Vladimir Osechkin, ativista russo de direitos humanos exilado em França.

O agente secreto russo revela ainda o descontentamento e revolta dentro da FSB depois do início da guerra na Ucrânia.

As várias cartas enviadas a Osechkin foram traduzidas e estão disponíveis para download mediante doação ao Wind of Change Research Group, uma organização não governamental sediada em Washington, nos EUA.

Christo Grozev, um especialista no FSB mostrou uma das cartas a “dois contactos” da principal sucessora da KGB da URSS, que garantiram que “sem dúvida que foi escrita por um colega”.

Uma paz que nunca foi alcançada

Depois do fim da Segunda Guerra Mundial, Rússia e Japão nunca assinaram um tratado de paz, principalmente devido à disputa das ilhas Curilhas.

Embora o Japão dispute a soberania das ilhas mais a sul, a que denomina “Territórios do Norte”, todo o arquipélago permanece sob administração da Rússia desde o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945, como resultado do Tratado de São Francisco, fazendo parte do Oblast de Sacalina.

A principal atividade é a pesca, com a região a ter um valor económico muito grande, devido a riquezas minerais e pesca em abundância. Além disso, devido à sua localização Hokkaido e a península russa de Kamchatka, as ilhas oferecem vários benefícios militares e políticos.

Em agosto de 2021, o FSB desclassificou informações gráficas sobre como cidadãos soviéticos foram torturados por serviços especiais japoneses durante a Segunda Guerra Mundial. O denunciante do FSB disse que o serviço foi encarregado de lançar uma “campanha de informação contra o Japão na sociedade russa”.

“Eles meio que trocaram o Japão pela Ucrânia”, acrescentou o whistleblower. “Basta olhar para as coisas que a Rússia estava a considerar [antes] de atacar o Japão, é louco, assim como o facto de a Rússia ter atacado a Ucrânia é louco. É uma loucura”.

  Daniel Costa, ZAP //

21 Comments

  1. Não, não era o Japão era Portugal, segundo um whistleblower que eu conheço, e iam atacar em primeiro o aeroporto de Vale de Rocins, tanto disparate…

      • Mas a Rússia invadiu a Ucrânia?!?! Que eu saiba há uma operação militar especial que passa por ver quanto tempo é que os russos demoram a regressar de Kiev a Moscovo. E parece que demoram pouco tempo. Já estão quase na fronteira.

  2. Ao Zap:

    Escreveram: “Embora o Japão DISPUTA a soberania das ilhas mais a sul (…)”. Está errado. Não se usa o presente do indicativo, mas sim o presente do conjuntivo “embora o Japão DISPUTE a soberania (…)”

    Também não se traduz “INSANE” por “INSANO”. Em português diz-se “LOUCO” ou “LOUCURA”: “It’s insane”—>”É uma loucura”.

  3. A Rússia ia atacar o planeta todo…poupem me!!! Ele não se adianta para além da Ucrânia porque sabe que colocar um pé num país que pertença à Nato ,ele nem tempo tem de dizer Ai…e secalhar ainda vemos a Ucrânia a entrar pela Rússia a dentro…eh pá não era para se dizer…

    • O Japão é o planeta todo?!
      Vontade não falta ao Putin para subjugar o mundo aos seus interesses; felizmente para a humanidade este novo Hitler é fraquinho!…

  4. Não haverá limites à capacidade para disparatar, quando se trata da Rússia? Será que os orgãos de comunicação social acham que somos todos atrasados mentais?

  5. O certo é que um louco, um Hitler do séc. XXI, invadiu um país soberano com o intuito de anexar território e o que faz é assassinar pessoas e destruir esse país. Puro terrorismo de estado, em que mobiliza, sem olhar a meios, os seus cidadãos como carne para canhão.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.