As rochas da Lua podem produzir água graças ao vento solar

Marshall Space Flight Center / NASA

Quando o vento solar se dirige à superfície da Lua a 450 quilómetros por segundo, enriquece a sua superfície com ingredientes que podem produzir água.

Usando um programa de computador, cientistas da NASA simularam a química que ocorre quando o vento solar sopra sobre a superfície da Lua. À medida que o Sol enviava protões à Lua, descobriram que estas partículas interagem com os eletrões na superfície lunar, formando átomos de hidrogénio.

Esses átomos migram pela superfície e ligam-se aos abundantes átomos de oxigénio ligados à sílica e a outras moléculas transportadoras de oxigénio que formam o solo lunar. Juntos, o hidrogénio e o oxigénio formam a molécula de hidroxilo, um componente da água – ou H2O.

“Pensamos na água como um composto especial e mágico“, disse em comunicado William M. Farrell, físico de plasma do Goddard Space Flight Center da NASA, que ajudou a desenvolver a simulação. “Mas isto é surpreendente: todas as rochas têm potencial para produzir água, especialmente depois de ser irradiada pelo vento solar.”

Compreender quanta água, ou os seus componentes químicos, está disponível na Lua é fundamental para o objetivo da NASA de enviar humanos para se estabelecerem permanentemente lá, disse Orenthal James Tucker, físico que liderou o estudo.

“Estamos a tratar de aprender sobre a dinâmica do transporte de recursos valiosos como o hidrogénio ao redor da superfície lunar e em toda a sua exosfera para que possamos saber onde ir a recolher esses recursos”, referiu.

Várias naves espaciais utilizaram instrumentos infravermelhos para identificar a química da sua superfície, como a sonda Deep Impact da NASA, que teve inúmeros encontros com o sistema Terra-Lua a caminho do cometa 103P/Hartley 2; a sonda Cassini da NASA, que foi para a Lua a caminho de Saturno; e Chandrayaan-1 da Índia, que orbitou a Lua há uma década. Todas encontraram evidências de água ou os seus componentes.

Mas, como estes átomos e compostos são formados na Lua, permanece uma questão em aberto. É possível que os impactos dos meteoros desencadeiem as reações químicas necessárias, mas muitos cientistas acreditam que o vento solar é o principal motor. A simulação de Tucker, que acompanha o ciclo de vida dos átomos de hidrogénio na Lua, apoia a ideia do vento solar.

“De estudos anteriores, sabemos quanto hidrogénio vem do vento solar, também sabemos quanto existe na atmosfera muito fina da Lua e temos medições de hidroxila na superfície”, disse Tucker. “O que fizemos agora é descobrir como estes três inventários de hidrogénio estão fisicamente interligados”.

Mostrar como os átomos de hidrogénio na Lua se comportam ajudou a resolver por que as espaço-naves encontraram flutuações na quantidade de hidrogénio em diferentes regiões da Lua. A equipe concluiu que o hidrogénio acumula energia em regiões mais quentes, como o equador da Lua, uma vez que os átomos de hidrogénio depositados expelem rapidamente os gases da superfície para a exosfera.

Por outro lado, parece que se acumula mais hidrogénio na superfície mais fria perto dos pólos porque há menos radiação solar e as emissões de gases são reduzidas.

Em geral, a simulação de Tucker mostra que, à medida de que o vento solar passa pela superfície da Lua, quebra as ligações entre os átomos de silício, ferro e oxigénio que compõem a maior parte do solo da Lua.

À medida que os átomos de hidrogénio fluem através da superfície da Lua, ficam temporariamente presos ao oxigénio. Eles flutuam entre as moléculas de oxigénio antes de se espalharem para a atmosfera da Lua e, finalmente, para o espaço. “Todo o processo é como uma fábrica de produtos químicos“, disse Farrell.

Uma ramificação chave do resultado é que todos os corpos expostos de sílica no espaço tem o potencial de criar hidroxila e, portanto, tornar-se uma fábrica química de água.

 

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Os animais começaram a fazer sons para poderem conversar no escuro

O reino animal está cheio de diferentes vocalizações. A produção sonora apareceu há entre 100 milhões e 200 milhões de anos e a sua origem está fortemente ligada à vida no escuro. Os vertebrados são animais …

O novo líder do CDS reclama uma nova direita (e quer um partido "sexy")

Francisco Rodrigues dos Santos sagrou-se este domingo o 10º presidente do CDS, reclamando no seu discurso de vitória a herança de todos os seus antecessores, desde o fundador, Freitas do Amaral, a Assunção Cristas. O tom …

Paços 0 - 2 Benfica | “Águia” não vacila e passa pressão

O Benfica foi a Paços de Ferreira vencer por 2-0, colocando pressão sobre o FC Porto, segundo classificado, que na próxima terça-feira recebe o Gil Vicente. A formação “encarnada” foi superior na maioria dos principais momentos …

Governo reabre processo para corrigir mapa das freguesias

O Governo reabriu o processo para a correção ao mapa de freguesias, num compromisso com as associações de municípios e de freguesias, anunciou o secretário de Estado da Descentralização e Administração Local, Jorge Botelho. “Iremos retomar …

Google cria modelo de cérebro mais detalhado (e com maior resolução) de sempre

A recriação 3D do cérebro de uma mosca da fruta - que mostra 20 milhões de sinapses e 25 mil neurónios - é a que tem a maior resolução até ao momento. Uma equipa de …

Morreu Kobe Bryant, uma das maiores estrelas de sempre da NBA

Kobe Bryant, um dos maiores basquetebolistas de sempre, morreu na manhã deste domingo em Calabasas, Califórnia, num desastre de helicóptero. De acordo com a TMZ, Bryant viajava com, pelo menos, três outras pessoas num helicóptero privado, …

Há seis queixas de violência policial por semana

Em Portugal, são apresentadas em média seis queixas semanais por violência policial, escreve o semanário Expresso na sua edição deste fim-de-semana, citando os dados mais recentes da Procuradoria-Geral da República. De acordo com os números, relativos …

CRISPR tornou galinhas resistentes a um vírus comum

A técnica de edição genética CRISPR tem sido usada para tornar as galinhas resistentes a um vírus comum, uma abordagem que poderia aumentar a produção de ovos e de carne em todo o mundo. Mesmo quando …

A Cybertruck de Musk poderá ser "incrivelmente barata" de produzir

A Cybertruck de Elon Musk, CEO da Tesla e da Space X, pode ser "incrivelmente barata" de produzir graças à sua inovadora tecnologia de carroçaria, afirmou um especialista em entrevista à Autoline Network. O engenheiro Sandy …

Novo estudo associa o burnout a uma consequência fatal

Uma nova investigação associa o burnout a um aumento de até 20% no risco de desenvolver fibrilhação auricular, a arritmia crónica mais frequente. O burnout é uma perturbação psicológica causada pelo stress excessivo devido a uma …