Rio não responde a críticas de adversário. “Estou na Croácia, não estou no Montenegro”

Manuel Fernando Araújo / Lusa

O presidente do PSD, Rui Rio

O presidente do PSD seguiu a regra de não falar de política interna fora do país e só abriu uma exceção para falar da manifestação dos polícias.

Depois do discurso que tinha feito no Congresso do PPE, em Zagreb, Luís Montenegro atacou o líder do PSD. “Não entro nisso, nem pensar“, disse aos jornalistas à saída do evento.

Rui Rio recusou entrar numa troca de acusações: “Não merece [nenhum comentário]. Estou na Croácia, não estou no Montenegro, nem na Macedónia, nem na Sérvia, estou na Croácia“.

A exceção de Rui Rio sobre o panorama nacional foi, de acordo com o Observador, para falar da manifestação de polícias que decorreu esta quinta-feira em frente à Assembleia da República. O líder do PSD entende “totalmente que as forças de segurança não estejam contentes, tranquilas e satisfeitas com a evolução que tem havido, por responsabilidade do governo e por responsabilidade, muitas vezes, dos tribunais”.

Rio disse compreender o “desagrado” e, “no limite”, a manifestação de desagrado. Porém, avisu que considera inaceitável abusos por parte dos manifestantes. “O que eu não compreenderei de certeza absoluta é se nesta manifestação voltarem a aparecer casos como já tivemos no passado, seja naquela cena de tentar subir a escadaria da Assembleia, seja já há muitos mais anos atrás naquele famoso confronto de secos e molhados”.

Para o presidente do PSD, a “manifestação” tem de ser pacífica, pois não entende que “jamais se volte a dar uma imagem de polícias contra polícias. Isso não posso aceitar. E isso está do lado dos polícias que se estão a manifestar e não dos outros que estão em serviço”. O líder da oposição apelou a que os manifestantes fizessem o protesto da “forma mais ordeira possível, porque só assim conseguem ter ganho de causa e razão. Caso contrário, perdem completamente a razão.”

O presidente do PSD falou ainda do encontro bilateral que teve com o líder do PP espanhol, Pablo Casado, ao confessar que tinha “particular interesse em perceber como pode evoluir a situação em Espanha, mas isso não fiquei com o interesse resolvido, na exata medida em que não há uma noção exata da forma como as coisas vão evoluir em Espanha”.

O homólogo, de acordo com Rio, concorda que, em Portugal, não existe a mesma fragmentação do país vizinho. “Em Espanha reconhecem que, em Portugal, apesar de tudo o xadrez partidário é mais estável”, concluiu.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Navios em Portugal poluem tanto quanto as oito cidades com mais carros

O transporte marítimo deve integrar o regime de comércio de licenças de emissão da União Europeia (UE), defendeu, esta segunda-feira, a associação ambientalista ZERO, exigindo limites de emissão de dióxido de carbono (CO2) para navios …

Já são conhecidos os nomeados aos Globos de Ouro. Netflix lidera com "O Irlandês" e "Marriage Story"

A cerimónia de entrega de prémios realiza-se a 5 de janeiro de 2020 no hotel Beverly Hilton, em Los Angeles, e será apresentada por Ricky Gervais. Já são conhecidos os nomeados à 77ª edição dos Globos …

Falhas na formação de médicos levam ministra a criar grupo de trabalho

A ministra da Saúde determinou a constituição de um grupo de trabalho para criar um manual de regras e procedimentos para a avaliação das capacidades de formação de médicos no SNS, depois de falhas apontadas …

Surto de sarampo leva Samoa a fechar escolas e serviços. Ativista anti-vacinação detido

Com o objetivo de conter o surto de sarampo que já matou 60 pessoas, o governo de Samoa está a pedir à população que coloque uma bandeira vermelha em frente às casas nais as pessoas …

Poluição do ar leva Sarajevo a cancelar todos os eventos públicos

As autoridades bósnias consideram que a poluição na capital do país, Sarajevo, atingiu níveis perigosos nos últimos dias. Perante a densa nuvem de nevoeiro que paira na cidade, o governo regional decidiu cancelar todos os …

A banana colada à parede que custou 108 mil euros foi comida

A banana mais cara do mundo, presa a uma parede com fita adesiva, foi descascada e comida por um artista que visitava o stand da galeria Perrotin, na feira de arte contemporânea Art Basel, nos …

Empresas norte-americanas reforçam domínio na venda global de armas

O Instituto Internacional de Estudos de Paz de Estocolmo (SIPRI) revelou esta segunda-feira que as empresas norte-americanas aumentaram o domínio no comércio global de armas em 2018, para 59% do volume total entre as 100 …

Faltam medicamentos para doenças crónicas nas Farmácias (e ninguém sabe porquê)

Há medicamentos para doenças crónicas que estão, constantemente, em falta nas Farmácias Portuguesas. Uma situação preocupante, sobretudo para os pacientes que deles precisam, e que não tem uma explicação. A Associação Nacional de Farmácias está …

Mais de dois mil coalas mortos devido aos incêndios na Austrália

O presidente da Aliança das Florestas do Nordeste da Austrália disse que os incêndios florestais que deflagram no leste do país, desde o início de novembro, provocaram a morte a mais de dois mil coalas. O …

Regionalização sem referendo é “golpe de estado palaciano”

Luís Marques Mendes falou este domingo, no habitual espaço de comentário político na SIC, sobre a regionalização, os "tempos difíceis para a direita", Greta Thunberg e Joe Berardo. Houve ainda tempo para falar sobre o …