Restos mortais carbonizados dão novas indicações sobre rituais fúnebres do período Neolítico

L. Maher, D. Macdonald / EFAP

Uma equipa de investigadores encontrou os restos mortais de uma mulher que foi queimada na Jordânia há mais de 20 mil anos. Esta descoberta demonstra que as crenças em relação à morte mudaram muito antes daquilo que se pensava.

Afinal, os caçadores do Médio Oriente mudaram o seu relacionamento com os mortos há quase 20 mil anos. Esta é uma conclusão que os especialistas tiram depois da descoberta dos restos mortais de uma mulher numa cabana de um acampamento sazonal.

Os investigadores acreditam que os enterros de pessoas em casas ou outras estruturas se tenham originado em vilas agrícolas do período Neolítico ao redor do Médio Oriente, há cerca de 20 mil anos, e não há 10 mil como se pensava anteriormente.



A nova descoberta sugere que os habitantes do Neolítico daquela região começaram a associar os mortos a estruturas particulares, numa altura em que grupos de caçadores acampavam, durante uma parte do ano, num local de caça e comércio no leste da Jordânia, relata o artigo publicado no March Journal of Anthropological Archaeology.

O sepultamento de mortos dentro de casas e a queima destas são rituais bem conhecidos desde os períodos neolíticos posteriores, embora a sua combinação como prática mortuária seja rara.

No entanto, para o início do Epipalaeolítico, a queima de uma estrutura que contém a deposição primária de restos mortais é uma novidade e significa um aparecimento precoce da queima intencional de corpos como um ritual fúnebre, recorda o Science News.

Várias escavações no antigo local, agora chamado de Kharaneh IV, revelaram o esqueleto de uma mulher parcialmente carbonizado dentro de uma cabana que foi também incendiada. O corpo da idosa foi colocado de lado com os joelhos flexionados, sendo que algumas análises de padrões de carbonização sugerem que terá sido colocado dentro da cabana pouco antes da estrutura de madeira ser intencionalmente queimada.

A nova descoberta em Kharaneh IV “relaciona a morte de uma pessoa e a destruição ou morte de um prédio como parte de um ritual funerário”, diz Lisa Maher, uma das autoras do estudo. A arqueóloga e a sua equipa suspeitam que a cabana seria o local onde a mulher e a sua família viviam.

O uso do fogo neste tipo de situações pode significar algum tipo de transformação, renascimento, limpeza ou ciclo de vida ou morte, sugere a arqueóloga.

Ana Isabel Moura Ana Isabel Moura, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Ivo Rosa levanta arresto a casa da rua Braamcamp e apartamento de Paris (e já há uma petição para o afastar)

O apartamento da rua Braamcamp, em Lisboa, onde residia o ex-primeiro-ministro José Sócrates, o Monte das Margaridas e a casa em Paris de Carlos Santos Silva deixaram de estar arrestadas na Operação Marquês por decisão …

O novo castelo da Disney em Hong Kong é uma celebração da diversidade

O novo castelo da Disney, no parque temático de Hong Kong, quer celebrar a diversidade, homenageando não apenas uma das suas princesas, mas várias. Walt Disney morreu há 55 anos e, desde então, muita coisa mudou. …

Vacinas (ainda) não são o princípio do fim. Sociólogo prevê que demorará anos a limpar “destroços” da covid-19

O médico e sociólogo norte-americano Nicholas Christakis defende, em entrevista à agência Lusa, que as vacinas não são ainda o princípio do fim da pandemia, considerando que demorará anos a limpar “os destroços” da covid-19. “Somos …

Jornalista grego especializado em crime assassinado a tiro. Primeiro-ministro pede rapidez na investigação

Um jornalista grego especializado em assuntos criminais foi esta sexta-feira morto por desconhecidos em frente da sua casa em Alimos, nos subúrbios de Atenas, anunciou fonte policial. Giorgos Karaïvaz, jornalista da televisão privada grega Star, foi …

Após 5 meses, alguns Boeing 737 MAX terão de voltar a ficar em terra. Há um "possível problema elétrico"

Cinco meses após voltar a voar após dois acidentes fatais, a Boeing voltou a pedir aos seus clientes que imobilizassem algumas das suas aeronaves para corrigir um "possível problema elétrico". De acordo com a AFP, esta …

25 de Abril marca revolução na linha do Minho. CP vai pôr a circular comboios eléctricos

Os comboios eléctricos vão começar a circular na linha do Minho, nos serviços inter-regional e regional, no próximo dia 25 de Abril. Além disso, o comboio Intercidades também vai chegar a Valença. Estas novidades constituem uma …

Em homenagem ao príncipe Filipe, salvas de canhão ouviram-se em todo o Reino Unido (e Buckingham encheu-se de flores)

Salvas de tiros de canhão foram disparadas este sábado ao meio-dia em todo o Reino Unido em homenagem ao príncipe Filipe, marido da rainha Isabel II, que morreu na sexta-feira aos 99 anos. A partir da …

Fátima avança com 13 de Maio com peregrinos (se situação pandémica se mantiver estável)

Ao contrário do ano passado, as celebrações do 13 de Maio deste ano, em Fátima, deverão ocorrer com a presença de peregrinos caso a situação pandémica se mantenha estável.  O Santuário de Fátima prevê que as …

14 polícias mortos em ataque de guerrilhas. EUA anunciam sanções a empresa do Myanmar

Pelo menos 14 polícias perderam a vida este sábado no noroeste do Myanmar (antiga Birmânia) durante um ataque coordenado por várias guerrilhas étnicas, noticiaram meios de comunicação locais. O ataque, que deixou pelo menos cinco oficiais …

Sérgio Conceição criticou calendário da Liga (e arrasou jornalista da CMTV)

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, deu um raspanete a um jornalista da CMTV e apontou o dedo à Liga Profissional pela falta de tempo de descanso da sua equipa entre os jogos da Liga …