Cientistas “ressuscitaram” genes de um mamute extinto

Uma equipa de cientistas japoneses e russos conseguiu ativar o material genético de uma jovem mamute que morreu há 28 mil anos.

O grupo publicou o estudo na revista Nature Scientific Reports. Depois de uma série de testes preparatórios, os geneticistas escolheram os núcleos celulares menos danificados pela longa congelação e decomposição parcial em vários tecidos do mesmo espécime, encontrados em 2010 e apelidados de Yuka. Eles inseriram-nos em oócitos de rato e observaram a dinâmica da sua adaptação.

Algumas destas células germinativas recompuseram a sua estrutura e incorporaram as proteínas básicas, mas a ativação completa para a última divisão não foi confirmada, relata o grupo.

Os graus de dano no ADN, que variaram entre os núcleos, foram comparáveis aos experimentados pelos espermatozóides dos ratos quando congelados e descongelados sucessivamente e reduziram em alguns oócitos reconstruídos.

“Isto sugere que, apesar dos anos que passaram, a atividade das células ainda pode acontecer e partes dela podem ser recriadas”, disse o engenheiro genético Kei Miyamoto, da Universidade de Kindai, à AFP.

O artigo destaca o valor de todos os dados obtidos no estudo. Os autores realizaram uma datação por radiocarbono que estabeleceu a idade do mamute com maior precisão do que a disponível no início desta década: 28.140 anos, com uma margem de erro de 230 anos.

A autenticidade das amostras de tecido recolhidas, após um longo congelamento, foi confirmada pelo sequenciamento de todo o genoma. As bibliotecas genómicas de ADN dos restos mortais de Yuka foram reconstruídos aravés de moléculas de polimerase, uma enzima que permite a amplificação eficiente com elevada fidelidade, excluindo o dano após a morte do animal.

Os cientistas identificaram cerca de 900 proteínas diferentes quando comparadas com um banco de dados comum para mamíferos, algo essencial para experiências reprodutivas. Além disso, compararam quase 1.500 milhões de sequências com as respetivas partes do genoma de um elefante africano e mapearam centenas de milhões de sequências. O mesmo tipo de análise também foi realizado com cinco outros mamutes descobertos em diferentes regiões.

Os autores estimam que o trabalho fornece uma plataforma para trazer os núcleos de animais extintos de volta à vida, embora não permita que clonem o mamute diretamente.

De acordo com informações publicadas em 2013, Yuka morreu na Sibéria quando tinha dez anos. É possível que o mamute tenha partido a pata traseira enquanto fugia de predadores felinos. O animal foi morto por um grupo de humanos primitivos, que lhe arrancaram pedaços de carne. Com o objetivo de voltar a comer da sua carne, os caçadores enterraram os restos de Yuka no chão congelado. Porém, isso não aconteceu.

PARTILHAR

RESPONDER

É a quantidade de alimento que determina quem se torna a abelha-rainha

Um novo estudo sugere que é a quantidade de alimento, e não a sua qualidade, como se pensava até agora, que determina quem se torna a abelha-rainha. Quais são os fatores que determinam qual é a …

Em Miami e Nova Iorque, os polícias ajoelharam-se por George Floyd

Em Miami e em Nova Iorque, alguns agentes da autoridade juntaram-se aos manifestantes por breves momentos, para mostrar o seu respeito pela memória de George Floyd. Nos Estados Unidos, os protestos pela morte de George Floyd …

A Nova Zelândia está em cima de uma enorme bolha de lava

A Nova Zelândia situa-se no topo dos restos de uma pluma vulcânica gigante. Este processo é o responsável pela atividade vulcânica e desempenha um papel fundamental no funcionamento do nosso planeta. Nos anos 70, vários cientistas …

Petição busca estatuto de vítima para crianças em contexto de violência doméstica

Uma petição lançada na sexta-feria que reivindica a criação do estatuto de vítima para as crianças que vivem em contexto familiar de violência doméstica já foi assinada por mais de 1300 pessoas, entre elas personalidades …

Assimétrica e flutuante. A primeira casa impressa em 3D na República Checa vai "nascer" em 48 horas

A primeira casa impressa em 3D na República Checa vai estar pronta no próximo mês para demonstrar a velocidade e a eficácia de uma técnica de construção que será sete vezes mais rápida e terá …

Anonymous garantem que princesa Diana foi assassinada para abafar caso Epstein

O movimento internacional de ciberativistas Anonymous - ou alguém que alega operar em seu nome - garante que a princesa Diana, que morreu num acidente de viação em agosto de 1997, foi, na verdade, assassinada …

Empresa de mineração pede desculpa por destruir cavernas sagradas aborígenes

A empresa mineira Rio Tinto admitiu que destruiu as cavernas pré-históricas que eram locais de culto para os aborígenes australianos e pediu desculpa. As cavernas de pedra Juukan Gorge 1 e 2 – dois locais de …

Itália exige "respeito": vai abrir fronteiras, mas excluir países que impõem restrições a italianos

Apesar de acredita "no espírito europeu", o ministro dos Negócios Estrangeiros italiano sublinhou que o país está pronto "para fechar as fronteiras" àqueles que não o respeitem. A Itália vai abrir as suas fronteiras internacionais a …

As Forças Armadas sul-africanas não estavam preparadas para um inimigo invisível

A Força de Defesa Nacional da África do Sul não está preparada para combater uma pandemia silenciosa como a da covid-19. Este "inimigo invisível" veio trazer à tona as fragilidades do país. As Forças Armadas da …

Putin convoca referendo sobre alterações constitucionais para 1 de julho

A aprovação da reforma constitucional permitirá ao atual Presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprir mais dois mandatos suplementares a partir de 2024. Vladimir Putin anunciou a data de 1 de julho para o referendo nacional de …