É responsabilidade a mais. Médicos não querem integrar Brigadas Rápidas dos lares

Está a ser difícil contratar médicos para as Brigadas de Intervenção Rápida dos lares que foram anunciadas pelo Governo. Mesmo a receberem acima da tabela de pagamentos, os médicos receiam a falta de condições e a responsabilidade acrescida em tempos de pandemia.

Dos 20 especialistas ou médicos de família e de medicina geral que deveriam integrar as Brigadas de Intervenção Rápida nos lares nenhum foi ainda contratado, conforme avança ao Expresso o director de operações da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), Ricardo Garcia.

Não tem sido fácil encontrar médicos para trabalhar nos lares, sobretudo no Interior. A alternativa tem sido o regime de prevenção, estar de chamada ao lar quando necessário, e em prestação de serviços”, explica Ricardo Garcia.

“A falta de condições também está a dificultar o recrutamento. Por exemplo, não existir um gabinete ventilado no lar”, refere o responsável da CVP.

A “responsabilidade acrescida” leva também os médicos a recusarem integrar estas Brigadas, mesmo a receberem acima da tabela pública, com valores a rondarem os 50 euros por hora, segundo destaca o Expresso.

Ricardo Garcia nota, contudo, que existe “um pré-acordo para garantir os cuidados clínicos”, realçando que tem a informação de que pode haver “alguma confiança na existência e colocação desses colaboradores” médicos que terão como tarefas prestar cuidados rotineiros como “assegurar o controlo das doenças crónicas, renovar medicação, avaliar o estado de saúde”.

Estas Brigadas Rápidas devem incluir 400 elementos nos 18 distritos do país, sendo que, neste momento, estão já contratados 275 ajudantes e auxiliares que vão garantir que os idosos não ficam ao abandono no caso de quarentena de funcionários.

Em processo de negociação está a contratação de 85 enfermeiros e de 20 psicólogos.

A bolsa de voluntários da Ordem dos Enfermeiros tem ajudado a dirimir a dificuldade de recrutamento no caso destes profissionais que serão também pagos acima da tabela.

Os ajudantes e auxiliares são indicados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional e são desempregados ou trabalhadores em lay-off ou com horários reduzidos. Estes profissionais vão ter formação já depois de serem colocados nos lares.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Deixem-se de tretas. O problemas nos lares é e foi um inadequado ou inexistente plano de prevenção da COVID-19. Não é com médicos ou enfermeiros que se resolve. Previne-se com um adequado plano de prevenção e testagem a todos aqueles que entram e saem da instituição, que devem ser testados com frequência e claro com uma adequada utilização da etiqueta respiratória, controlo da temperatura corporal, desinfeção frequente das mãos, desinfeção do calçado à entrada, entre outras medidas profiláticas e de contenção do vírus.

  2. Não nos queremos comparar com a Suécia relativamente à sua postura face aos mais velhos, durante a pandemia. Mas o que é isto senão negligência e desinteresse pelos problemas desses mais velhos que além da idade que têm ainda se encontram trancados em lares e, por consequência, muito mais vulneráveis?!

RESPONDER

É mesmo possível reconhecer um ditador pelas suas características faciais

Os líderes democraticamente eleitos tendem a ter rostos mais atraentes e simpáticos do que os líderes autoritários, conclui um polémico estudo. É comum as pessoas formarem juízos de valor baseados na aparência de um rosto. No …

Moedas já fala como presidente. "Temos que deixar a política da fricção e apostar na construção de soluções, de resultados"

Carlos Moedas, que se vê como um presidente inclusivo", recusa uma política de "fricção", nomeadamente na oposição ao poder nacional e promete concentrar-se nos "resultados e nas pessoas" para melhorar a vida dos lisboetas. Carlos Moedas, …

Responsabilidade é a característica mais importante para alcançar bons resultados escolares

Cerca de 300 estudantes do concelho de Sintra participaram no estudo internacional que teve como objetivo correlacionar o desempenho escolar com as competências sociais e emocionais dos mesmos. A responsabilidade é uma das características mais importantes …

CCB condenado por violar direitos laborais de técnicos de espetáculos

O Centro Cultural de Belém (CCB) foi condenado em tribunal por violação dos direitos laborais de 12 técnicos de espetáculos. Segundo o jornal Público, os juízes do Tribunal da Relação de Lisboa deram razão a 12 …

Berlinenses apoiam expropriação de grandes proprietários para conter preços da habitação

Resultados do referendo são um sinal da crescente divisão que se vive na sociedade berlinense em relação à especulação imobiliária. Agentes imobiliários interpretam o resultado como um "mau sinal" que pode levar à "paralisação imediata …

Portugal com 230 novos casos de covid-19 e uma morte. País cada vez mais próximo da zona verde da matriz de risco

Portugal registou, esta segunda-feira, 230 novos casos e uma morte na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). País está mais próximo da zona verde da …

Restauração defende manutenção do lay-off simplificado

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) defendeu hoje a continuidade do lay-off simplificado para apoio à manutenção dos postos de trabalho das atividades da restauração, similares e alojamento turístico. “Esta medida assume …

Cumbre Vieja deixou de expelir lava, mas os sismos voltaram

O vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, nas Canárias, parou de emitir lava. Apesar de a atividade ter sido a mais baixa da última semana, as autoridades alertam que a situação pode mudar rapidamente. A atividade …

Portugal continental tem 83,89% da população com vacinação completa

Cerca de 8,27 milhões de pessoas em Portugal continental tinham a vacinação completa contra a covid-19 até às 19h00 deste domingo, revelou à agência Lusa fonte oficial da task force que coordena o processo de …

Mulheres ganham 9% das câmaras, menos do que em 2017

Das 308 câmaras do país, 28 foram ganhas por uma mulher, o que corresponde a aproximadamente 9% do total e menos do que as 32 autarcas eleitas em 2017, segundo o portal de dados estatísticos …