Reserva Especial de Maputo salva elefante bebé. É alimentada a biberão

Dar leite de biberão a uma elefante bebé não estava nos planos de Graeme Madsen, mas passou a fazer parte da rotina diária dele desde há 10 dias na Reserva Especial de Maputo (REM).

A cria de três meses não tem nome, porque nenhum dos quatro conservacionistas e tratadores quer ficar mais apegada ao animal. A elefante com meio-metro de altura já os segue por todo o lado, a aprender a usar a tromba para estabelecer contacto com o que está por perto e pede um biberão de leite de duas em duas horas.

A bebé foi encontrada pela população da aldeia de Zuali, dentro da área protegida, a poucos quilómetros da capital moçambicana, sem sinais da família, nem de caça furtiva, pelo que se suspeita que tenha ficado para trás, abandonada pela manada, diz Natércio Ngovene, chefe de fiscalização da REM.



“Depois de termos ficado um tempo junto a ele, já estávamos ali a fazer chamadas para encontrar ajuda para o pequeno elefante“, pois já ninguém queria que a natureza seguisse o seu curso mais cruel.

O animal estava muito fraco e desidratado, de acordo com o Diário de Notícias, até que chegou uma chamada “para o levar para o acampamento principal”, relata Natércio. Bebeu seis litros de fluidos e pouco a pouco tem vindo a recompor-se.

A estada será curta, uma vez que a reserva está a tratar da transferência da bebé elefante para um centro de espécies em risco em Hoedspruit, na África do Sul, onde encontrará um outro elefante da mesma idade. “Espera-se que possam crescer juntos e ser libertados num santuário” com mais elefantes, descreve Graeme, natural da África do Sul.

“Está tudo a correr tão bem que não queremos azarar. Depois dão-lhe o nome no santuário”, refere Megan Richards.

Dormem junto dela, porque à noite precisa do biberão de duas em duas horas e o leite em pó deve ser misturado com água à temperatura certa, nem muito quente, nem muito fria. É cansativo, mas recompensador ver o progresso da cria, “um animal bebé com o qual poucos humanos podem ter o privilégio de passar este tempo”, descreve, numa opinião partilhada por todo o grupo.

A alvorada é pelas 05h00 e a tarefa de quem convive com a pequena elefante consiste em mantê-la ativa durante o dia – especialmente ao nascer e pôr-do-sol, replicando o mais possível a vida de uma manada – passeios, banhos na lama e estímulos, com cheiros, formas e texturas onde a pequena paquiderme treina o uso da tromba.

Uma bola de futebol é um desses brinquedos, mas depois também chega a hora da sesta, porque gosta de dormir durante o dia. Perto do olho esquerdo notam-se cicatrizes, marcas de feridas que trazia quando foi encontrada, mas que “já estão a sarar”, o que “é bom sinal”. Prevê-se que durante a próxima semana a elefante siga para casa nova, mas com memórias de Moçambique.

O elefante é um animal em vias de extinção a nível global. A REM tinha 500 elefantes no último censo realizado em 2015 e estima-se que o número tenha crescido.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Metrópole no Camboja medieval. Estudo mostra quantas pessoas viveram no Império de Angkor

Um novo estudo arqueológico mostra quantas pessoas viveram no antigo Império de Angkor ao longo do tempo. A população era comparável à da Roma antiga. Quão grandes eram as antigas cidades? No seu auge, há cerca …

Prazo para limpar terrenos termina hoje. Proprietários voltam a arriscar coimas

O prazo para a limpeza de terrenos florestais termina hoje, após ter sido prorrogado devido à pandemia e às condições climatéricas, pelo que os proprietários em incumprimento ficam sujeitos a contraordenações, com coimas entre 280 …

Entre indiretas a Rui Moreira e farpas a Costa, Rio acusa PS de ter desistido de ganhar o Porto

O Presidente do PSD participou na apresentação da candidatura de Vladimiro Feliz, que considera "competente" e "trabalhador" à Câmara do Porto. Por outro lado, Rio usou a ocasião para acusar o PS de ir a …

Cientistas descobrem o segredo das pessoas que vivem mais de 105 anos

Uma equipa de investigadores descobriu que os idosos que vivem mais de 105 anos tendem a possuir uma base genética única que torna os seus corpos mais eficazes na reparação de ADN. Esta é a primeira …

Quem já teve covid-19 pode agendar vacina em junho. No verão, vacinados podem vir a deixar máscara

Os doentes recuperados há mais de seis meses de infeção por SARS-CoV-2 vão poder marcar a sua vacinação através do portal de auto-agendamento a partir da primeira semana de junho, confirmou fonte da task force …

Governo aprova 11 milhões de euros para SIRESP de indemnização compensatória

A indemnização compensatória foi aprovada no dia em que o Presidente da República promulgou o decreto-lei que define o modelo transitório de gestão, operação, manutenção, modernização e ampliação da rede de comunicações do Estado SIRESP. O …

Tal como os humanos, há animais que podem sofrer ataques cardíacos (mas é raro)

Todos os dias milhões de pessoas no mundo são vítimas de ataques cardíacos. Mas será possível que também os animais possam passar por isto? Um ataque cardíaco ocorre quando um vaso sanguíneo que distribui sangue oxigenado …

Antigos corais revelam terramoto em "câmara lenta". Durou 32 anos

Uma equipa de investigadores descobriu um terramoto em "câmara lenta" que durou 32 anos - o mais lento já registado. O sismo levou eventualmente ao catastrófico terramoto de Sumatra em 1861. Terramotos de "câmara lenta" ou …

Astrónomos encontram uma das mais antigas estrelas do Universo

Uma equipa de investigadores descobriu uma estrela gigante vermelha a 16 mil anos-luz de distância que parece ser um membro da segunda geração de estrelas do Universo. Embora tenhamos uma boa compreensão da forma como o …

Marinha dos EUA está a desenvolver drones para matar ovos em ninhos de pássaros selvagens

A Marinha norte-americana e a empresa Hitron Technologies uniram esforços para desenvolver um drone autónomo projetado especificamente para procurar e destruir o maior inimigo da Marinha: os pássaros. Os drones, que estão já a ser testados …