Renault constitui-se assistente em processo contra Carlos Ghosn para “fazer valer os seus direitos”

WEF / Flickr

Carlos Ghosn

A fabricante automóvel Renault anunciou na segunda-feira que se constituiu assistente no processo de investigação do seu antigo presidente Carlos Ghosn por abusos de bens sociais e branqueamento.

Segundo noticiou a agência Lusa, em comunicado, citado pela agência EFE, o grupo explicou que tomou a decisão para fazer valer os seus direitos, acrescentando que não exclui a possibilidade de ser indemnizada, em função do resultado da investigação.

Em 19 de fevereiro, a polícia de Nanterre, cidade que pertence à região metropolitana de Paris, anunciou a investigação por atos cometidos desde 2009, onde se incluem transferências feitas pela Renault à Suhail Bahwan Automobiles (SBA), uma empresa do Médio Oriente que distribuí veículos da Renault e da Nissan.

Por outro lado, está a ser investigada a possibilidade de utilização de dinheiro da empresa para pagar despesas particulares.

Entre a utilização inapropriada de fundos estão 22 milhões de dólares (19,7 milhões de euros) para comprar e renovar casas para uso próprio no Rio de Janeiro e Beirute e pagamentos de 750 mil dólares (672 mil euros) em ‘cash’ de consultadoria a uma irmã de Ghosn “sem que a empresa tivesse recebido nada em troca”.

Em 21 de fevereiro, a audiência no Tribunal de Trabalho onde Carlos Ghosn pretende reclamar à Renault uma reforma de 250 mil euros depois do abandono abrupto da liderança do grupo automóvel francês em janeiro de 2019 foi adiada para 17 de abril.

O pedido de adiamento foi justificado com a necessidade de preparar a defesa, sobretudo depois de os advogados da Renault terem apresentado um dossier de argumentação da sua posição contra a atribuição de uma indemnização a Ghosn.

Ghosn considera que tem direito aos 250 mil euros (equivalentes a três meses de salário) porque quando deixou a empresa há pouco mais de um ano tinha 22 anos de antiguidade como empregado. Contudo, a Renault alega que desde 2005 Ghosn tinha deixado de ser um assalariado ao assumir o posto de presidente executivo.

Carlos Ghosn, de 65 anos, foi detido em novembro de 2018, em Tóquio, por alegadas irregularidades financeiras. No final de dezembro, o empresário violou as condições de liberdade sob fiança e fugiu do Japão.

Lusa //

PARTILHAR

RESPONDER

Áustria corrige Trump. Os seus cidadãos não vivem em florestas

O Governo austríaco decidiu corrigir a afirmação do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que afirmou que as pessoas naquele país europeu vivem em "cidades da floresta". Trump referiu recentemente a Áustria e outros países europeu …

UE em rota de colisão com a Polónia. Em causa estão os crimes de ódio

A relação entre a União Europeia e a Polónia está cada vez mais comprometida. As duas partes têm chocado no que toca à discussão dos crimes de ódio. No seu primeiro discurso sobre o estado de …

Leixões nega ter colocado adeptos na bancada a ver um jogo

Episódio aconteceu numa partida de voleibol em Gondomar. Presidente garante que jovens pertencem aos órgãos sociais do clube, Federação não confirma a identidade à entrada. A Supertaça de voleibol começou, no Grupo B, com o duelo …

Ventura quer ser Sá Carneiro do século XXI e ter juventude partidária

O presidente do Chega vai apresentar-se este fim de semana em Évora para a II Convenção Nacional do partido populista de direita como “o principal continuador em Portugal” de Sá Carneiro, o falecido líder fundador …

Alemanha tem provas materiais de que Maddie está morta

As autoridades alemãs têm provas materiais de que Madeleine McCann está morta, garante o porta-voz da Procuradoria de Braunschweig, Hans Christian Wolters, à RTP. Apenas está por provar o envolvimento de Christian Brueckner no homicídio …

BE quer que direito das grávidas a acompanhante seja respeitado

O Bloco de Esquerda (BE) quer que as normas da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre gravidez e parto no âmbito da covid-19 sejam revistas para que o direito das mulheres grávidas a estarem acompanhadas seja …

Proposta do PCP para passar Novo Banco para esfera pública foi chumbada

A recomendação ao Governo proposta pelo PCP para reverter da venda do Novo Banco, transferindo-o para a esfera pública, foi hoje chumbada no parlamento com os votos contra de PS, PSD, CDS-PP, PAN, Iniciativa Liberal …

Trump ataca voto por correspondência. Resultados podem não ser "determinados de forma precisa"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, reforçou na quinta-feira no Twitter os ataques ao voto por correspondência nas eleições de novembro, ao que a rede social reagiu ligando duas das suas mensagens a informação verificada …

Quatro candidatos disputarão sucessão de Santana no Aliança

O novo líder do Aliança, que sucederá ao fundador do partido, Pedro Santana Lopes, vai ser escolhido entre quatro candidatos no próximo congresso nacional, agendado para 26 e 27 de setembro em Torres Vedras. Segundo noticiou esta …

Recomendação do PS para tarifa social de Internet sem oposição (mas partidos querem mais)

A recomendação do PS ao Governo para que crie uma tarifa social de acesso à Internet não mereceu esta quinta-feira oposição de nenhuma bancada, mas foram vários os partidos que defenderam a necessidade de “ir …