Relação confirma trabalhador despedido por comentários no Facebook

European Parliament

-

O Tribunal da Relação do Porto confirmou a sentença do Tribunal do Trabalho de Matosinhos de despedimento, por justa causa, de um trabalhador que fez comentários na rede social Facebook sobre a empresa a que estava vinculado.

O acórdão da Relação do Porto, datado de 08 de setembro, “confirmou, na íntegra, e sem qualquer voto de vencido dos juízes desembargadores, a sentença da primeira instância”, como referiu hoje à Lusa o advogado Tiago Piló, responsável pela coordenação da defesa da empresa Esegur.

Piló ressalvou que a decisão do Tribunal da Relação do Porto “foi totalmente inovadora no panorama da jurisprudência” em Portugal, lembrando que também a sentença do Tribunal do Trabalho de Matosinhos, de dezembro do ano passado, “foi inédita”.

Na decisão da primeira instância, o juiz considerou que os comentários publicados pelo funcionário em página em que era administrador eram “ofensivos da imagem, dignidade e bom nome da empresa de segurança, dos responsáveis e de alguns colaboradores”.

Em tribunal, o empregado argumentava que tinha “direito à privacidade” e à “liberdade de expressão”.

O juiz do Tribunal do Trabalho de Matosinhos entendeu que “é inaceitável que a liberdade de expressão e de comunicação não tenham qualquer tipo de limites externos”.

“Neste caso, o trabalhador era representante sindical, que, ao abrigo da lei, tem proteção especial. No caso, ele, que invocou o carácter privado dos ‘posts’ no Facebook, não poderia valer-se dessa proteção”, referiu Tiago Piló.

O trabalhador, que desempenhava as funções de vigilante, fez comentários sobre a entidade patronal na sua página no Facebook, de setembro a dezembro de 2012, num grupo privado constituído por 140 membros, formado por trabalhadores ou ex-trabalhadores da empresa.

Como o grupo era constituído por funcionários, o juiz considerou que os comentários “podem e devem ser objeto de controlo por parte do empregador, para efeitos de punição disciplinar”.

Além dos comentários, o funcionário, que acusava a empresa de “o humilhar, calar, dizer mentiras e ordenar perseguições” nos conteúdos, complementava os comentários com fotografias de palhaços, com o intuito de retratar superiores hierárquicos.

Até à sentença do Tribunal do Trabalho de Matosinhos, da qual o funcionário recorreu para o Tribunal da Relação do Porto, os processos idênticos terminaram com acordos entre as partes, não chegando a ser proferida uma decisão.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. A ser assim, a maior parte dos jornalistas deveriam ser condenados, e esses sim, por graves mentiras e distorções de notícias.

  2. “é inaceitável que a liberdade de expressão e de comunicação não tenham qualquer tipo de limites externos”
    Liberdade de expressão sem liberdade. Ridículo.

RESPONDER

Ciência explica porque é que alguns cheiros desencadeiam memórias fortes

O cheirinho de pão acabado de sair do forno pode, por exemplo, funcionar como um portal do tempo, levando-nos de volta àquele pequeno café em Paris que visitámos há alguns anos. Os cheiros têm a capacidade …

Quase 40% dos americanos com dificuldades financeiras. Doar sangue é a sua maior receita

A economia dos Estados Unidos (EUA), considerada uma das maiores do mundo, permitiu avanços sociais e tecnológicos inestimáveis. Contudo, atualmente, cerca de 40% dos norte-americanos afirmam ter dificuldade em pagar por comida, por habitação, por …

"Políticos devem ser colocados contra a parede". Greta pede desculpa

A ativista do clima Greta Thunberg pediu desculpa por ter dito que os políticos devem ser colocados “contra a parede”, após diversas pessoas terem considerado que a jovem estava a defender a violência. A sueca de …

Carnaval belga retirado da lista de Património Imaterial da UNESCO após queixas de antissemitismo

As festas da cidade de Aalst, na Bélgica, foram retirada da lista do Património Imaterial da Humanidade, depois de a UNESCO ter sancionado a presença de carros carnavalescos contendo imagens antissemitas. O presidente da Câmara …

Conselho de Ministros aprova proposta de OE2020 (e foram quase 10 horas de reunião)

O Conselho de Ministros aprovou hoje a proposta de Orçamento do Estado para 2020, dez horas depois de a reunião extraordinária ter começado, anunciou hoje o primeiro-ministro na sua página na rede social Twitter. "O Conselho …

Nova espécie de baleia mostra como este animal evoluiu para conseguir nadar

Cientistas descobriram uma nova espécie de baleia, que existiu há 35 milhões de anos, que pode dar novas pistas sobre como as baleias evoluíram para conseguir nadar. De acordo com a revista Newsweek, os investigadores analisaram …

Casal separado após sobreviver a Auschwitz reencontra-se 72 anos depois em Nova Iorque

Em 1944, David Wisnia e Helen "Zippi" Spitzer eram dois prisioneiros judeus e secretamente namorados que, miraculosamente, conseguiram sobreviver ao campo de concentração nazi Auschwitz, na Polónia. Porém, no final da guerra, foram separados depois de …

Benfica 4-0 Famalicão | Pizzi entrega saco cheio de Natal

O Benfica terminou o seu ano de Liga NOS com mais uma vitória, de novo por 4-0, tal como havia acontecido na anterior partida no Estádio da Luz, ante o Marítimo. Desta vez frente ao …

Morreu o ator Danny Aiello

Morreu esta quinta-feira, em Nova Jérsia, o ator Danny Aiello, que recordamos pelos seus muitos êxitos dos anos 80. Tinha 86 anos. "É com profunda dor que comunicamos que Danny Aiello, amado marido, pai, avô, ator …

Videojogo chinês incita jogadores a atacar os "traidores" em Hong Kong

Há um novo videojogo que está a ganhar popularidade na China. Chama-se "Fight the Traitors Together" e permite que os jogadores ataquem manifestantes de Hong Kong. No jogo, os jogadores podem bater nos manifestantes pró-democracia, sendo …