/

Depois da Austrália e dos EUA, Reino Unido anuncia boicote aos Olímpicos

Neil Hall / EPA

O Reino Unido juntou-se esta quarta-feira aos Estados Unidos e à Austrália e anunciou, através do primeiro-ministro, Boris Johnson, um boicote diplomático aos Jogos de Inverno.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O Reino Unido anunciou, esta quarta-feira, um boicote diplomático aos Jogos de Inverno de Pequim por questões de direitos humanos.

“Haverá, de facto, um boicote diplomático aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim. Não haverá qualquer representação diplomática do Reino Unido. É um boicote diplomático e não desportivo, já que essa não é a política do nosso governo”, disse Boris Johnson, na sua sessão semanal no parlamento britânico.

O Reino Unido junta-se assim à Austrália, que também esta quarta-feira anunciou um boicote à competição, depois de, na segunda-feira, Estados Unidos terem sido a primeira nação a tomar essa decisão.

Após a decisão norte-americana, um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da República Popular da China disse que o país vai responder com “contramedidas firmes” ao boicote diplomático.

“A tentativa dos Estados Unidos, de perturbar os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, foi tomada com base em preconceitos ideológicos, mentiras e rumores e que vão revelar, aos olhos de todos, as más intenções dos Estados Unidos”, afirmou Zao Lijian.

No Twitter, a embaixada de Pequim em Washington disse que o boicote “só pretende politizar o desporto, criar divisões e provocar o confronto”.

Grupos de direitos humanos têm pressionado um boicote total aos Jogos de Inverno de Pequim, acusando a China de abusos de direitos contra minorias étnicas.

A competição vai decorrer entre 4 e 20 de fevereiro do próximo ano, na capital chinesa.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.