O que levou à queda do Império Romano? Talvez envenenamento por chumbo

O gosto dos romanos por adoçantes feitos com chumbo pode justificar os comportamentos dos imperadores e a eventual queda da civilização.

Invasões bárbaras, dependência da escravatura, instabilidade política, corrupção ou excessivos gastos militares são razões há muito apontadas para a queda do Império Romano. Mas será que a intoxicação por chumbo também pode ter sido um dos factores?

O chumbo é um material prático: é barato, fácil de moldar e resistente à corrosão quando exposto à água e ao ar, mas também altamente tóxico quando entra no corpo humano, podendo causar anemia, problemas nervosos ou infertilidade.



Foi já em 1943 que um estudo revelou os efeitos nefastos da exposição ao chumbo, especialmente no desenvolvimento cognitivo das crianças.

O cálcio é o veículo de comunicação dos neurónios no cérebro e o chumbo age como um substituto do cálcio. Isto desequilibra as ligações entre os neurónios, tornando-as insuficientes ou excessivas, e causando oscilações de humor e dificuldades de aprendizagem.

Apesar de serem muito avançados no ramo da engenharia, os romanos estavam muitos passos atrás da medicina moderna e não sabiam destas consequências. Usavam o chumbo para várias coisas, como canos, utensílios, panelas ou como um adoçante artificial para vinhos ou comida.

Este debate começou em 1983, depois da publicação de um estudo do investigador Jerome Nriagu no New England Journal of Medicine, que avaliou as dietas dos imperadores entre 30 A.C. e 220 D.C e concluiu que 19 dos 30 líderes romanos tinham uma preferência por comida fervida em panelas de chumbo e que muitos sofreram de gota, provavelmente causada por isso mesmo.

Investigadores que recriaram o xarope que os romanos utilizavam encontraram concentrações de chumbo 60 vezes superiores aos valores que a Agência de Proteção Ambiental Americana permite na água para consumo.

Os níveis de chumbo oscilavam entre 240 e 1000 miligramas por litro, sendo “uma colher de chá (5ml) deste xarope já mais do que suficiente para causar uma intoxicação crónica”, escreveu Nriagu.

A verdade é que os comportamentos bizarros de alguns dos imperadores podem ser vistos como sinais de intoxicação por chumbo. Por exemplo, Nero matou a própria mãe e as duas esposas, tendo assassinado a segunda ao pontapé enquanto estava grávida.

Já Calígula supostamente apontou o seu cavalo como Senador e convidava pessoas para jantar com o animal. Por sua vez, Heliogábalo torturava e sacrificava crianças e pediu aos médicos que dessem órgãos femininos a um escravo com quem tinha casado.

Mas será tudo isto uma consequência do chumbo ou apenas exemplos de imperadores consumidos pelo poder? O geoquímico Clair Patterson, cujo trabalho convenceu governos a banir a presença de chumbo na gasolina, acredita na primeira hipótese.

No entanto, John Scarborough discorda. Numa crítica ao estudo de Nriagu, o classicista apelidou o trabalho de fazer uma pesquisa desleixada, afirmando que os romanos já sabiam dos danos do chumbo e que as intoxicações não eram endémicas na civilização.

Nriagu desvalorizou as críticas. “Scarborough não entende nada, absolutamente nada, sobre envenenamentos por chumbo. Absolutamente zero“, acusou o professor emérito da Universidade do Michigan.

Uma equipa de arqueólogos e cientistas franceses tentou responder à questão levantada por Nriagu com um estudo de 2014 sobre a contaminação da água feita pelos canos.

A investigação concluiu que a água teria cerca de 100 vezes mais chumbo do que a água de nascente local, mas que era “improvável” que estas concentrações fossem “verdadeiramente prejudiciais”. O grupo sublinhou também que já foram feitas muitas críticas que invalidam a teoria de Nriagu.

Dan Diffendale/Flickr

O chumbo era bastante usado no sistema de canalização dos romanos

Num estudo de 2019, foram examinados os esqueletos da época romana em Londres. A equipa usou amostras de 30 ossos das coxas e 70 ossos da Idade do Ferro como comparação e concluíram que estes últimos tinham entre 0.3 a 2.9 microgramas de chumbo por grama enquanto que nos primeiros os valores já estavam entre 8 a 123.

Estes números podem já ter efeitos nefastos na saúde, como hipertensão, infertilidade, doenças renas, danos aos nervos, gota, entre outros. Mas de acordo com a arqueologista da Universidade de Durham Janet Montgomery, os esqueletos também absorvem chumbo e outros metais do solo.

“Não sabemos se o chumbo que mediram nos ossos se acumularam de uma pequena exposição ao chumbo ao longo de um grande período de tempo, ou se deriva de um período de grande exposição muitos anos no passado, ou uma mistura das duas opções”, explicou Janet Montgomery à Chemistry World.

A ligação de causalidade entre o chumbo e o fim da civilização romana continua a ser debatida. Resta-nos continuar a acompanhar os esforços da comunidade científica para tentar desvendar os mistérios da queda do Império.

AP, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Sem Cristiano, o que se passa com a Juventus?

Nenhum triunfo em quatro jornadas do campeonato. Não acontecia há 60 anos. E o problema maior não estará no ataque, apesar da saída de Cristiano Ronaldo. Estreia na temporada: 2-2 no terreno da Udinese. Receber o …

Costa foi omnipresente, agradeceu a regueifa e recarregou a "bazuca" como arma política

António Costa correu oito concelhos do Norte, em missão de campanha eleitoral. A "bazuca" europeia é usada como arma política, assim como a gestão da pandemia. A pandemia era um ponto de inflexão para as eleições …

"Queremos justiça", exigem famílias de vítimas do ataque em Cabul. CIA alertou para a presença de civis

A família das 10 vítimas mortais do ataque com drone dos EUA a um veículo em Cabul exigem que os operadores sejam julgados em tribunal. A CIA terá alertado para a presença de civis segundos …

Rio abre o jogo sobre o futuro do PSD. Não se recandidata se fizer "igual, pior ou muito pouquinho melhor"

Líder social-democrata deu a conhecer o que é, para o próprio, um bom resultado nas próximas autárquicas, recusou-se a falar sobre as movimentações internas no PSD, expôs o papel do partido na votação do OE …

Corpo encontrado em parque natural será de Gabby Petito

Este domingo foi encontrado um corpo no parque nacional de Wyoming, nos Estados Unidos, que corresponde ao da jovem Gabrielle Petito, que se encontrava desaparecida, anunciou a polícia federal norte-americana (FBI). "No início do dia de …

Nuno Espírito Santo admite que "muita coisa correu mal", mas não escapa às críticas

O Tottenham saiu derrotado por 3-0 do embate com o Chelsea. Nuno Espírito Santo reconheceu os problemas na equipa, que foi duramente criticada por Roy Keane. O Chelsea manteve-se no comboio dos líderes da Liga inglesa, …

Críticas às novas tabelas da ADSE em várias áreas da Saúde

A nova tabela da ADSE, que entrou em vigor a 01 de setembro, tem enfrentado críticas de vários setores da Saúde, desde dentistas a nutricionistas, principalmente pelos valores atribuídos a alguns atos, exclusões e restrições. A …

Cuba é o primeiro país a vacinar crianças a partir dos dois anos

Depois de um drástico aumento de casos e mortes em crianças, a estratégia de vacinação em Cuba mudou. Com o objetivo de ter mais de 90% dos 11 milhões de habitantes imunizados até Dezembro, as autoridades …

Penálti que deu vitória ao Sporting devia ter sido repetido

Um penálti convertido por Pedro Porro deu a vitória, este domingo, ao Sporting. Especialistas entendem que a grande penalidade devia ter sido repetida. O Sporting CP conquistou uma vitória sofrida, este domingo, após derrotar o Estoril …

Marques Mendes: Governo vai abrir discotecas e acabar com limite à lotação no comércio e restaurantes

Marques Mendes considera também que a task force para a vacinação deve ser extinta em Outubro e que em Dezembro deve ser decidida uma terceira dose para os cidadãos acima de 65 anos. No seu habitual …