Taxas de vacinação disparam após Quebec anunciar imposto para não vacinados

6

O Quebec anunciou um novo imposto exclusivo para não vacinados. Rapidamente, os agendamentos para vacinação dispararam.

Esta “contribuição para a saúde”, em forma de imposto, pode representar uma “quantidade significativa”, embora ainda esteja em discussão, segundo o governo desta província francófona do Canadá, duramente atingida pela nova variante Ómicron.

Segundo o primeiro-ministro do Quebec, François Legault, os 10% dos cidadãos que não receberam nenhuma dose da vacina contra a covid-19 até agora, não devem “prejudicar” os 90% que já estão vacinados.

“Não é para todos pagarem”, insistiu o governante durante uma conferência de imprensa onde referiu os custos com a saúde devido à pandemia.

François Legault explicou que, apesar dos adultos não vacinados representarem apenas 10% da população, estes representam 50% dos internados em cuidados intensivos, considerado estes dados “chocantes”.

O anúncio do Governo não tardou a gerar efeitos práticos. Logo após o anúncio, os agendamentos para vacinação contra a covid-19 dispararam. Num só dia foram administradas 107 mil doses, com os agendamentos para a primeira dose a continuarem a aumentar.

“É encorajador!”, escreveu o ministro da Saúde do Quebec, Christian Dubé, num tweet.

Segundo a NPR, as autoridades de saúde também realçaram que o custo médio de um caso de covid-19 no hospital é de 23 mil dólares canadianos (cerca de 16 mil euros). Para um caso nos cuidados intensivos, o custo sobe para 50 mil (cerca de 35 mil euros).

Este imposto não será aplicado a pessoas que não podem ser vacinadas por razões médicas.

O Quebec já tinha anunciado que os não vacinados serão impedidos de frequentar certos comércios não essenciais, inclusive as lojas de venda de bebidas alcoólicas ou de canábis.

O Quebec, com cerca de oito milhões de habitantes, voltou a implementar medidas restritivas para conter a Ómicron, como o recolher obrigatório a partir das 22:00, e é uma primeiras a considerar ter um imposto específico para não vacinados.

Os hospitais do Quebec registam uma falta de pessoal e enfrentam uma grande pressão, havendo no total 2.742 pessoas hospitalizadas com covid-19, 255 destas em cuidados intensivos.

  ZAP // Lusa

6 Comments

  1. Tristeza. Triste mundo e triste sociedade em que vivemos. E a população em geral aplaude estas medidas coercivas. Estamos no bom caminho para nos tornarmos cidadãos amorfos sem qualquer capacidade de pensar ou de agir.
    Força, sigam em frente com a vacinação e a estupidificação das gentes.
    Apetece dizer: parem este comboio que eu quero sair!

    • Saia, mas rápido. Quando e se ficar doente, trate de pagar os gastos porque os otários não vão pagar por si.

      Triste gente que só pensa em si.

      • Ok vamos um passo mais longe, não devem os nossos impostos pagar as despesas de hospital com doenças que pessoas podem evitar, como abusarem do açúcar do sal , fazer sexo desprotegido, fumarem , beberem e não se exercitarem

        Toda a minha família teve o virus covid e nem à cama fomos ,muito mais ao hospital..
        Mas os nossos impostos servem para pagar os caprichos da população

        Se é para assumir responsabilidade própria então vamos por tudo a pratos limpos.
        Acaba-se pagar as bandas gástricas, os abortos, os medicamentos para diabéticos ou tensão alta, bypass etc

        • Exactamente.
          Sabe-se há muito que o Covid é de risco acrescido para obesos…
          E na rua não vejo que a malta tenha emagrecido e já tiveram 2 anos!

  2. Dá vontade de dizer que os outros otários como eu também não querem pagar por si mas estão a ir-me ao bolso quer eu queira, quer não queira!
    Haja pachorra para tanta preocupação com o bem-estar dos outros…

    P.S.: Se já está protegido com a vacina e continua a andar com máscara e a desinfetar as mãos, os sacos das compras, as solas dos sapatos e tudo em que toca, continua com medo do quê?

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE