Pyongyang avisa: Acabar com programa nuclear é “sonho irrealizável”

(dv) KCNA / YONHAP

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un

A Coreia do Norte classificou como “um sonho irrealizável” o desejo norte-americano de pôr fim ao programa nuclear norte-coreano e defendeu o seu “direito legítimo” a lançar “satélites espaciais”.

“Os nossos lançamentos de satélites são um exercício legítimo de um direito reconhecido pela Carta das Nações Unidas” e baseiam-se na “lei internacional sobre o uso pacífico do espaço”, pode ler-se num artigo publicado hoje pelo diário oficial norte-coreano Rodong Sinmun, citado pela Efe.

A comunidade internacional vê estes lançamentos como ensaios de mísseis encobertos.

No artigo, Pyongyang diz que continuará a promover o seu “desenvolvimento pacífico” de programas espaciais “em linha com a tendência internacional”, referindo outros lançamentos de foguetes equipados com satélites realizados este ano por países como a Argélia ou a Venezuela.

O Conselho de Segurança da ONU impôs na sexta-feira, por unanimidade, novas sanções à Coreia do Norte em resposta ao ensaio, no final de novembro, de um míssil balístico intercontinental que poderá atingir território dos Estados Unidos.

Os 15 Estados-membros do Conselho de Segurança aprovaram por unanimidade uma resolução proposta pelos Estados Unidos, que endurece as amplas sanções internacionais contra o regime de Kim Jong-un.

As novas sanções incluem sérias restrições ao envio de produtos petrolíferos para Pyongyang e a repatriação dos norte-coreanos que trabalham no estrangeiro, e cujos rendimentos beneficiam o Governo do país.

“Definimos esta ‘resolução de sanções’ arranjada pelos EUA e os seus seguidores como uma grave violação da soberania da nossa República, como um ato de guerra que viola a paz e a estabilidade na península coreana e na região e rejeitamos categoricamente a ‘resolução'”, disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte no comunicado.

O Ministério disse que as sanções equivalem a “um completo bloqueio económico” da Coreia do Norte.

“Se os EUA desejam viver em segurança, devem abandonar a sua política hostil contra a República Democrática Popular da Coreia – o nome oficial da Coreia do Norte -, e aprender a coexistir com o país que tem armas nucleares e devem acordar do seu sonho irrealizável de o nosso país desistir das armas nucleares que desenvolvemos e completámos com todo o tipo de dificuldades”, lê-se no comunicado, divulgado pela agência oficial norte-coreana e citado pela AP.

Em 2017, a ONU endureceu por várias vezes as sanções contra a Coreia do Norte em resposta ao incremento dos ensaios nucleares e de mísseis concretizados pelo regime.

As sanções aprovadas na sexta-feira são uma resposta ao ensaio realizado em finais de novembro, quando foi utilizado um míssil balístico mais avançado.

Segundo Pyongyang e numerosos especialistas, o projétil tem capacidade para alcançar todo o território continental dos Estados Unidos.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O detetive a bordo do rover da NASA Perseverance

Marte está muito longe da famosa 221 Baker Street, mas um dos detetives mais conhecidos da ficção estará representado no Planeta Vermelho quando o rover Perseverance da NASA pousar no dia 18 de fevereiro de …

Nem o mar profundo se safa das alterações climáticas

Um novo estudo mostra que as alterações climáticas já estão a bater à porta do mar profundo, e os seus habitantes poderão em breve estar em perigo. De acordo com o site IFLScience, a equipa de …

Príncipe belga pede desculpa por violar confinamento em festa ilegal em Espanha

O príncipe Joachim da Bélgica disse “lamentar profundamente” não ter respeitado “todas as medidas” do confinamento durante uma viagem a Espanha, onde participou numa festa ilegal em Córdoba que está a ser investigada pela polícia. Depois …

Politólogo que previu que Trump seria Presidente vaticina a sua reeleição

O politólogo que previu que Donald Trump seria Presidente dos Estados Unidos vaticina agora a sua reeleição em novembro de 2020. Helmut Norpoth, professor de ciências políticas da Universidade Stony Brook, nos Estados Unidos, previu …

Índia regista mais de oito mil novos casos. Tem "uma longa batalha" pela frente

A Índia registou mais de oito mil novos casos de covid-19 num único dia, um novo recorde desde o início da pandemia no país, foi este domingo anunciado. O número de casos confirmados de covid-19 na …

Jovens bolivianos forçaram picada de viúva-negra. Queriam ser como o Homem-Aranha

Três irmãos bolivianos de 8, 10 e 12 anos acabaram hospitalizados depois de fazerem com que uma viúva negra os picasse para que ficassem com super-poderes como o Homem Aranha. "Pensando que a [picada] lhes …

Bloco exige retirada de norma "insultuosa" no apoio a recibos verdes

O Bloco de Esquerda (BE) exigiu este domingo ao Governo que retire do formulário de apoio para os trabalhadores independentes uma norma "insultuosa" que lhes exige o compromisso de retomarem a atividade no prazo de …

Espetada de porco 2.0. Novameat propõe carne impressa em 3D para o jantar

A Novameat, uma empresa espanhola de tecnologia alimentar, apresentou um novo produto: carne de porco à base de plantas impressa em 3D, a que batizaram de espetada de porco 2.0. A Novameat quer apoiar um sistema …

Uber acusada de exploração de trabalhadores em Itália

Um tribunal de Milão ordenou a nomeação de um administrador judicial para a Uber Itália durante um ano, após ter determinado que o serviço de entrega de refeições da empresa explorava os trabalhadores. De acordo com …

Pinto de Costa: "Se Rui Moreira tivesse avançado, não me candidatava"

Pinto da Costa revelou que não teria avançado para a recandidatura à presidência do FC Porto se o presidente da Câmara do Porto tivesse entrado na corrida. "Se o Rui Moreira se tivesse candidatado, embora …