Putin prepara-se para uma guerra nuclear (e tem bunkers para se salvar)

Sergei Karpukhin / POOL / EPA

O presidente da Rússia, Vladimir Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin

O Presidente russo, Vladimir Putin, tem dois “enormes” bunkers 300 metros abaixo do solo, mesmo por baixo de Moscovo. Lá cabem 10 mil pessoas. Isto é Putin a preparar-se para os tempos de guerra, diz o Pentágono.

Segundo um relatório da Defense Intellignece Agency, DIA, citado pelo jornal britânico The Times, a Rússia está a preparar-se para a eventualidade de uma guerra nuclear, por acreditar que os Estados Unidos estão a preparar a queda do presidente Vladimir Putin.

“O Kremlin – complexo fortificado no centro da capital russa – está convencido de que os EUA estão-se planear uma mudança de regime na Rússia”, indica o relatório. “Moscovo está preocupado que os Estados Unidos tentem impor um conjunto de normas internacionais que ameacem a base do poder russo, permitindo a ‘intervenção’ de países estrangeiros nos assuntos internos russos”, lê-se ainda.

Os bunkers “gigantes” são mantidos debaixo de terra – mesmo por baixo da capital russa – para que a elite do Kremlin lá possa viver durante meses após um ataque nuclear – algo que a administração russa está convencida que são esses os planos do Pentágono.

“Há uma instalação subterrânea profunda no Kremlin e um enorme bunker perto da Universidade do Estado de Moscovo, destinadas a assegurar a sobrevivência da autoridade de comando nacional em tempo de guerra”, continua o relatório.

“Sistemas de suporte de vida altamente eficazes permitem operações independentes muitos meses depois de um ataque nuclear”, diz o relatório citado pelo jornal britânico.

Segundo o relatório da Agência de Inteligência de Defesa sobre o poder militar de Moscovo – o primeiro desde os tempos da Guerra Fria, mas que traz de volta a “paranóia” que se vivia nesse tempo – os enormes bunkers estão a 985 pés, cerca de 300 metros, debaixo do solo e têm capacidade para albergar até 10 mil pessoas.

Os abrigos estão ligados a outros fora da cidade e ao terminal VIP no aeródromo de Vnukovo, a 28 kms do centro de Moscovo, caso Putin e a sua comitiva precisem de fugir.

O relatório – que antecede a eleição de Donald Trump como Presidente dos EUA, mas só agora foi divulgado – diz ainda que Putin acredita que a potência americana está empenhada na mudança de regime russo, como parte dos esforços para “promover a democracia em todo o mundo”.

Desde 1981 que o Pentágono produzia uma avaliação sobre as capacidades de guerra da União Soviética, mas esses documentos pararam em 1991, dez anos depois, com a queda do Estado socialista.

O tenente general Vincent Stewart – diretor da DIA – disse que era hora de voltar a fazer os relatórios, devido ao ressurgimento da Rússia no cenário político mundial.

A agência destaca ainda a forma como o Kremlin mantém os bunkers interligados por uma rede ferroviária que dá aos membros da elite política e militar russa a oportunidade de uma fuga rápida na eventualidade de um qualquer evento catastrófico.

Durante a campanha eleitoral de Donald Trump era esperado que as relações entre as duas potências aquecessem e se tornassem numa bonita amizade, mas isso nunca aconteceu – pelo menos até agora – porque a Casa Branca envolveu-se num escândalo que liga a campanha republicana ao Kremlin.

Além disso, a tensão entre as duas potências tem crescido devido à divergência de posições acerca da Síria – a só aumentou depois de Trump ter prometido agir contra Bashar al-Assad, um velho aliado de Putin.

Mas Putin enfrenta agora um desafio substancial: apesar de um aumento contínuo nas despesas com a defesa, este ano o orçamento russo cairá em 30% devido à baixa do preço do petróleo.

Os bunkers e os líderes mundiais – uma história íntima

Esta não é a primeira vez que se ouve falar em bunkers para salvar líderes mundiais. O norteamericano Robert Vicino, especialista em sobrevivência, alega que os líderes das principais nações mundiais “já sabem que o fim do mundo está próximo”, e estão secretamente a preparar-se para ele construindo bunkers subterrâneos.

Em fevereiro, o especialista deu uma entrevista ao britânico The Sun, na qual conta que os líderes mundiais estão a preparar-se para o fim do mundo, construindo bunkers subterrâneos secretos para a elite política, diz Vicino, que garante que os governos dos EUA e do Reino Unido já estão a fazer planos secretos para salvar as suas vidas, planos esses que não nos incluem. “Eles não têm um plano para si ou para mim, só para eles“.

Segundo o perito, o maior destes abrigos nos EUA foi planeado em 1983 e encontra-se debaixo da cidade de Denver. Tem capacidade para apenas 10 mil pessoas e está “reservado exclusivamente a funcionários do governo e pessoas poderosas”.

O especialista cita ainda um “exercício de preparação para um desastre nuclear” realizado na Rússia, no qual participaram 40 milhões de pessoas, que diz ser uma prova de que o fim pode estar mais próximo do que imaginamos.

Mas segundo Robert Vicino, a razão destes planos secretos não é uma provável Terceira Guerra Mundial – o verdadeiro receio da elite que governa o mundo e se prepara para o seu fim é na realidade que aconteça um desastre natural de proporções gigantescas.

CF, ZAP //

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

  1. Isto não tem pés nem cabeça. Quem acredita que esta denominada “elite” depois de alguns meses, de uma guerra nuclear, pode sair destes bunkers, sacudir a radio atividade do capote, e continuar as suas vidinhas tranquilamente…???

      • Proponho que façamos uma campanha pra por fim às sanções econômicas que os Estados unidos fazem em alguns países. A Rússia e Putin sofrem muito comas sanções dos Estados Unidos. A propaganda dos Estados Unidos diz que o real vale mais que o rublo. Isso é uma mentira! A Rússia não tem os mesmos direitos que a maioria dos países do mundo.
        FIM das sanções impostas pelos Estados Unidos!

    • Eventualmente estes bunkers não estão preparados para meses mas sim décadas .
      Para meses estão preparados os bunkers do cidadão comum que se prepara também para o pior .
      Guerra nuclear seria o fim do ecosistema do planeta , mas no entnato é a ultima arma a ser usada por super potências (EUS/Russia) , ambos sabem disso e nenhum deles as quer usar .
      No entanto existem os maluquinhos da cabeça tipo (Coreia do Norte) , e sim esses são os mais perigosos .
      No entanto uma guerra nuclear entre super potências está fora de questão enquanto Trump e Putin estiverem no poder .
      Se Trump for tirado do poder , e lá posto a Hillary ou alguém da sua gangue , então o mais provável é isso acontecer mesmo .
      à que ter em atenção 2 coisas :
      1ª este relatório foi feito no tempo do Obama
      2º já estaríamos numa guerra global caso não houvesse as eleições o ano passado nos estados unidos e Trump tivesse perdido para Hillary .

      O que fez Putin aguentar a pressão Anti-Russia (made in EUA e Europa) foi o fato de existirem eleições e algo mudar nos EUA .

      Por acaso foi o que aconteceu , e foi a sorte de ainda estarmos todos vivos .

  2. Julgam mesmo que sabem o que putin vai fazer ? Ele vai estar a fazer lançamentos de mísseis nucleares a partir de portugal bebendo um exelente whisky , pois o nosso rico país pais é ótimo para planear ataques sem que sejam encontrados ex:ETA

  3. Não vejo ninguém falar em ajudar os milhões de refugiados e de ajudar outros milhões que passam fome na África, mas sim em comprar/fabricar mísseis e bankes. Sabe porque? Porque isso é pensamento de ativistas de pessoas comuns como eu e como muitos que querem realmente ajudar o próximo e não olhar para o próprio umbigo.

    • Moisés, vamos fazer uma campanha pra pedir o fim das sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos. Que tal?

    • Moisés, façamos uma campanha pra por fim nas sanções dos Estados Unidos. A Rússia e seu povo sofrem com as sanções impostas pelos Estados Unidos. FIM dos bloqueios econômicos!

  4. A questão de imagem do Império dos Cowboys (USA e abusa), não é Donald Trump (presidente de cabaret ordinário), como não foi George W. Bush (vaqueiro tresloucado do Texas).
    O problema mesmo foi Barack Obama. E porquê?
    Pois é muito simples: foi Obama que branqueou, mascarou, dissimulou, a verdadeira natureza das intervenções americanas através do mundo: desestabilizar, saquear, assassinar, patrocínio do terrorismo, 2 bombas atómicas em cima de civis, pena de morte, poluição descontrolada do planeta, etc., etc.
    Nada mudou entre o Bush velho e o bronco Donald Trump.
    Apenas apareceu um “entertainer” pelo meio, o palhaço Obama, com os ignorantes aplaudindo entusiasticamente o número e a dançarem a valsa.
    Essa é a dura realidade, tudo o resto não passa de toscos contos da carochinha.

  5. Se só ficar a elite política então já não farão falta mais armas.
    .
    Essa bicharada de gravatas de seda e fatos boss, acabam por se matar todos uns aos outros à paulada!

RESPONDER

Cientistas dão um importante passo na criação de uma Internet quântica segura

Uma nova investigação da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, revelou o elo que faltava para termos uma Internet quântica funcional e prática: uma forma de corrigir os …

Os pedregulhos de Bennu brilham como faróis para a Osiris-Rex da NASA

Este verão, a sonda OSIRIS-REx empreenderá a primeira tentativa da NASA de tocar a superfície de um asteroide, recolher uma amostra e recuar em segurança. Mas, desde que chegou ao asteroide Bennu há mais de …

Cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para futuros desastres

Especialistas ouvidos pelo portal One Zero acreditam que cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para populações que possam vir a enfrentar desastres naturais no futuro potenciados pelas alterações climáticas. À medida que os desastres naturais …

Descobertas três novas espécies de pterossauro em Marrocos

Cientistas encontraram três novas espécies de pterossauro, que viveram no deserto do Sahara, há 100 milhões de anos, em Marrocos. De acordo com o site EurekAlert!, estas três novas espécies de pterossauro faziam parte de um …

Texto português do século XVI mostra eficácia da quarentena

Um especialista australiano descobriu num texto português do século XVI uma prova de que a quarentena ou o isolamento podem impedir a globalização de uma doença como a covid-19, que já provocou mais de 30 …

Coronavírus. Mercados chineses continuam a vender morcegos

Nem com a pandemia de covid-19 a China abre mão dos seus velhos hábitos. Embora o novo coronavírus tenha tido origem num mercado de animais exóticos, em Wuhan, muitos destes sítios continuam a funcionar normalmente …

No Twitter, o discurso de ódio contra chineses cresceu 900%

A L1ght, uma empresa que mede a toxicidade das plataformas digitais, partilhou recentemente um relatório no qual revela que o discurso de ódio contra a China e contra os chineses teve um crescimento de 900%. Donald …

Há mais pessoas em quarentena do que vivas durante a 2ª Guerra Mundial

Um terço da população mundial - 2,6 mil milhões de pessoas - está em quarentena. São mais seres humanos em isolamento do que aqueles que estavam vivos para testemunhar a 2ª Guerra Mundial. Na terça-feira, o …

Biblioteca virtual no Minecraft dá voz a jornalistas censurados de todo o mundo

Enquanto governos de todo o mundo reprimem a liberdade jornalística e censuram a sua imprensa nacional, a Reporters Without Borders está a trabalhar para chegar ao público através de um canal improvável: uma enorme biblioteca …

Há mais 19 mortos em Portugal. Número de casos confirmados perto dos 6.000

Portugal registou, este domingo, mais 19 mortes devido ao surto de covid-19. O número de casos confirmados é de 5.962, mais 792 em relação aos números de sábado. A Direção-Geral de Saúde revelou este domingo o …