Putin prepara-se para uma guerra nuclear (e tem bunkers para se salvar)

Sergei Karpukhin / POOL / EPA

O presidente da Rússia, Vladimir Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin

O Presidente russo, Vladimir Putin, tem dois “enormes” bunkers 300 metros abaixo do solo, mesmo por baixo de Moscovo. Lá cabem 10 mil pessoas. Isto é Putin a preparar-se para os tempos de guerra, diz o Pentágono.

Segundo um relatório da Defense Intellignece Agency, DIA, citado pelo jornal britânico The Times, a Rússia está a preparar-se para a eventualidade de uma guerra nuclear, por acreditar que os Estados Unidos estão a preparar a queda do presidente Vladimir Putin.

“O Kremlin – complexo fortificado no centro da capital russa – está convencido de que os EUA estão-se planear uma mudança de regime na Rússia”, indica o relatório. “Moscovo está preocupado que os Estados Unidos tentem impor um conjunto de normas internacionais que ameacem a base do poder russo, permitindo a ‘intervenção’ de países estrangeiros nos assuntos internos russos”, lê-se ainda.

Os bunkers “gigantes” são mantidos debaixo de terra – mesmo por baixo da capital russa – para que a elite do Kremlin lá possa viver durante meses após um ataque nuclear – algo que a administração russa está convencida que são esses os planos do Pentágono.

“Há uma instalação subterrânea profunda no Kremlin e um enorme bunker perto da Universidade do Estado de Moscovo, destinadas a assegurar a sobrevivência da autoridade de comando nacional em tempo de guerra”, continua o relatório.

“Sistemas de suporte de vida altamente eficazes permitem operações independentes muitos meses depois de um ataque nuclear”, diz o relatório citado pelo jornal britânico.

Segundo o relatório da Agência de Inteligência de Defesa sobre o poder militar de Moscovo – o primeiro desde os tempos da Guerra Fria, mas que traz de volta a “paranóia” que se vivia nesse tempo – os enormes bunkers estão a 985 pés, cerca de 300 metros, debaixo do solo e têm capacidade para albergar até 10 mil pessoas.

Os abrigos estão ligados a outros fora da cidade e ao terminal VIP no aeródromo de Vnukovo, a 28 kms do centro de Moscovo, caso Putin e a sua comitiva precisem de fugir.

O relatório – que antecede a eleição de Donald Trump como Presidente dos EUA, mas só agora foi divulgado – diz ainda que Putin acredita que a potência americana está empenhada na mudança de regime russo, como parte dos esforços para “promover a democracia em todo o mundo”.

Desde 1981 que o Pentágono produzia uma avaliação sobre as capacidades de guerra da União Soviética, mas esses documentos pararam em 1991, dez anos depois, com a queda do Estado socialista.

O tenente general Vincent Stewart – diretor da DIA – disse que era hora de voltar a fazer os relatórios, devido ao ressurgimento da Rússia no cenário político mundial.

A agência destaca ainda a forma como o Kremlin mantém os bunkers interligados por uma rede ferroviária que dá aos membros da elite política e militar russa a oportunidade de uma fuga rápida na eventualidade de um qualquer evento catastrófico.

Durante a campanha eleitoral de Donald Trump era esperado que as relações entre as duas potências aquecessem e se tornassem numa bonita amizade, mas isso nunca aconteceu – pelo menos até agora – porque a Casa Branca envolveu-se num escândalo que liga a campanha republicana ao Kremlin.

Além disso, a tensão entre as duas potências tem crescido devido à divergência de posições acerca da Síria – a só aumentou depois de Trump ter prometido agir contra Bashar al-Assad, um velho aliado de Putin.

Mas Putin enfrenta agora um desafio substancial: apesar de um aumento contínuo nas despesas com a defesa, este ano o orçamento russo cairá em 30% devido à baixa do preço do petróleo.

Os bunkers e os líderes mundiais – uma história íntima

Esta não é a primeira vez que se ouve falar em bunkers para salvar líderes mundiais. O norteamericano Robert Vicino, especialista em sobrevivência, alega que os líderes das principais nações mundiais “já sabem que o fim do mundo está próximo”, e estão secretamente a preparar-se para ele construindo bunkers subterrâneos.

Em fevereiro, o especialista deu uma entrevista ao britânico The Sun, na qual conta que os líderes mundiais estão a preparar-se para o fim do mundo, construindo bunkers subterrâneos secretos para a elite política, diz Vicino, que garante que os governos dos EUA e do Reino Unido já estão a fazer planos secretos para salvar as suas vidas, planos esses que não nos incluem. “Eles não têm um plano para si ou para mim, só para eles“.

Segundo o perito, o maior destes abrigos nos EUA foi planeado em 1983 e encontra-se debaixo da cidade de Denver. Tem capacidade para apenas 10 mil pessoas e está “reservado exclusivamente a funcionários do governo e pessoas poderosas”.

O especialista cita ainda um “exercício de preparação para um desastre nuclear” realizado na Rússia, no qual participaram 40 milhões de pessoas, que diz ser uma prova de que o fim pode estar mais próximo do que imaginamos.

Mas segundo Robert Vicino, a razão destes planos secretos não é uma provável Terceira Guerra Mundial – o verdadeiro receio da elite que governa o mundo e se prepara para o seu fim é na realidade que aconteça um desastre natural de proporções gigantescas.

CF, ZAP //

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

  1. Isto não tem pés nem cabeça. Quem acredita que esta denominada “elite” depois de alguns meses, de uma guerra nuclear, pode sair destes bunkers, sacudir a radio atividade do capote, e continuar as suas vidinhas tranquilamente…???

      • Proponho que façamos uma campanha pra por fim às sanções econômicas que os Estados unidos fazem em alguns países. A Rússia e Putin sofrem muito comas sanções dos Estados Unidos. A propaganda dos Estados Unidos diz que o real vale mais que o rublo. Isso é uma mentira! A Rússia não tem os mesmos direitos que a maioria dos países do mundo.
        FIM das sanções impostas pelos Estados Unidos!

    • Eventualmente estes bunkers não estão preparados para meses mas sim décadas .
      Para meses estão preparados os bunkers do cidadão comum que se prepara também para o pior .
      Guerra nuclear seria o fim do ecosistema do planeta , mas no entnato é a ultima arma a ser usada por super potências (EUS/Russia) , ambos sabem disso e nenhum deles as quer usar .
      No entanto existem os maluquinhos da cabeça tipo (Coreia do Norte) , e sim esses são os mais perigosos .
      No entanto uma guerra nuclear entre super potências está fora de questão enquanto Trump e Putin estiverem no poder .
      Se Trump for tirado do poder , e lá posto a Hillary ou alguém da sua gangue , então o mais provável é isso acontecer mesmo .
      à que ter em atenção 2 coisas :
      1ª este relatório foi feito no tempo do Obama
      2º já estaríamos numa guerra global caso não houvesse as eleições o ano passado nos estados unidos e Trump tivesse perdido para Hillary .

      O que fez Putin aguentar a pressão Anti-Russia (made in EUA e Europa) foi o fato de existirem eleições e algo mudar nos EUA .

      Por acaso foi o que aconteceu , e foi a sorte de ainda estarmos todos vivos .

  2. Julgam mesmo que sabem o que putin vai fazer ? Ele vai estar a fazer lançamentos de mísseis nucleares a partir de portugal bebendo um exelente whisky , pois o nosso rico país pais é ótimo para planear ataques sem que sejam encontrados ex:ETA

  3. Não vejo ninguém falar em ajudar os milhões de refugiados e de ajudar outros milhões que passam fome na África, mas sim em comprar/fabricar mísseis e bankes. Sabe porque? Porque isso é pensamento de ativistas de pessoas comuns como eu e como muitos que querem realmente ajudar o próximo e não olhar para o próprio umbigo.

    • Moisés, vamos fazer uma campanha pra pedir o fim das sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos. Que tal?

    • Moisés, façamos uma campanha pra por fim nas sanções dos Estados Unidos. A Rússia e seu povo sofrem com as sanções impostas pelos Estados Unidos. FIM dos bloqueios econômicos!

  4. A questão de imagem do Império dos Cowboys (USA e abusa), não é Donald Trump (presidente de cabaret ordinário), como não foi George W. Bush (vaqueiro tresloucado do Texas).
    O problema mesmo foi Barack Obama. E porquê?
    Pois é muito simples: foi Obama que branqueou, mascarou, dissimulou, a verdadeira natureza das intervenções americanas através do mundo: desestabilizar, saquear, assassinar, patrocínio do terrorismo, 2 bombas atómicas em cima de civis, pena de morte, poluição descontrolada do planeta, etc., etc.
    Nada mudou entre o Bush velho e o bronco Donald Trump.
    Apenas apareceu um “entertainer” pelo meio, o palhaço Obama, com os ignorantes aplaudindo entusiasticamente o número e a dançarem a valsa.
    Essa é a dura realidade, tudo o resto não passa de toscos contos da carochinha.

  5. Se só ficar a elite política então já não farão falta mais armas.
    .
    Essa bicharada de gravatas de seda e fatos boss, acabam por se matar todos uns aos outros à paulada!

RESPONDER

Sousa Cintra nomeado presidente da SAD do Sporting

O antigo presidente do Sporting José Sousa Cintra foi nomeado para a presidência da SAD do clube, em substituição de Bruno de Carvalho, anunciou hoje a Comissão de Gestão do clube. O presidente da Comissão de …

Descoberta a primeira obra de Da Vinci (ou talvez não)

O primeiro trabalho pictórico do génio do Renascimento Leonardo da Vinci terá sido um azulejo datado de 1471, no qual está representado o Arcanjo Gabriel, anunciou esta quinta-feira o especialista de arte Ernesto Solari, que …

Deus é um estúpido filho da mãe, diz Duterte

Rodrigo Duterte, o presidente das Filipinas – país em que 86% da população é católica – referiu-se a Deus como um "estúpido filho da mãe" durante uma cimeira na cidade de Davao. Referindo-se ao conceito católico …

32 anos depois, a genealogia genética tramou o assassino de Michella

O mistério da agressão sexual seguida de homicídio de uma adolescente americana em 1986 foi resolvido, 32 anos depois graças a uma técnica inovadora da genealogia genética, anunciaram este domingo as autoridades do estado de …

Estrelas massivas podem obrigar-nos a rever toda a história do Universo

Para entender os padrões que deram forma às galáxias, é necessário estudar estrelas. Ao estudá-las, astrónomos e cientistas conseguem analisar as suas massas, nascimentos e mortes para melhor compreender a história do universo. O Observatório Europeu …

Bruno deixa de ser sócio (e adepto) do Sporting

O presidente do Sporting, destituído em assembleia-geral (AG) no sábado, Bruno de Carvalho, prometeu hoje deixar de ser sócio do clube na sequência daquilo que diz ter sido uma “golpada” que colocou de novo no …

Milhares em Londres pedem um segundo referendo ao brexit

O centro de Londres encheu-se este sábado de milhares de pessoas que se manifestaram  por um segundo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia. “Queremos ter a palavra sobre o ‘brexit’”, gritou-se. Dois …

Para muitos, ir ao Rock in Rio é para "viver a experiência"

Há quem gaste 200 euros, quem não dispense um brinde e quem espere à sombra até ao concerto desejado. Para muitos dos espetadores, a ideia é viver “a experiência” do Rock in Rio Lisboa, que …

Francesa esteve detida 2 semanas por atravessar por engano fronteira EUA-Canadá

A francesa Cedella Roman, de 19 anos, passou o "maior susto da sua vida": foi detida pelo serviço de imigração norte-americano e esteve presa durante duas semanas num centro de imigrantes por ter atravessado acidentalmente …

Os buracos negros podem ser dois wormholes que colidiram

Quando dois wormholes colidem, são criadas ondulações no espaço-tempo. Esses ecos gravitacionais poderiam ser detetados por instrumentos futuros, fornecendo evidências de que essa hipotética colisão através do espaço-tempo existe mesmo. O Observatório de Ondas Gravitacionais por …