Se as legislativas fossem hoje, PS falhava maioria absoluta e CDS regressava ao Parlamento

8

Manuel de Almeida / Lusa

Jerónimo de Sousa, António Costa

Se as eleições legislativas fossem hoje, o PS não conquistaria a maioria absoluta e o CDS-PP regressaria ao Parlamento.

De acordo com a nova sondagem da Intercampus para o Correio da Manhã e Jornal de Negócios, se as eleições legislativas se realizassem hoje, o PS não conquistaria a maioria absoluta e o CDS voltaria ao Parlamento.

O estudo de opinião indica ainda que Jerónimo de Sousa foi o líder partidário cuja avaliação mais piorou junto dos portugueses.

Ora, o barómetro revela que o PS teria 34,5% das intenções de voto (abaixo dos 41,37% conseguidos nas eleições de janeiro) e o PSD apenas 18,5%, o valor mais baixo registado pelo partido em legislativas.

O CDS-PP obteria 2,9%, um número que permitiria o regresso do partido à Assembleia da República, depois da hecatombe do início do ano (nas eleições em que alcançou 1,60% dos votos e que resultou na saída do Parlamento).

Quanto aos líderes, o barómetro da Intercampus revela que, numa avaliação de 1 a 5, António Costa mantém-se como o líder mais popular, com 3,3 pontos. João Cotrim de Figueiredo, líder da Iniciativa Liberal, passa a ser o segundo líder partidário mais bem visto, com três pontos.

Jerónimo de Sousa foi o que mais caiu em termos de popularidade: tem apenas 1,9 pontos, depois de ter conquistado 2,5 pontos em dezembro.

Já em relação aos membros do Executivo socialista, a ministra da Saúde Marta Temido é vista como a melhor governante por 27,2% dos inquiridos.

O lugar de pior ministro, que antes pertencia a Eduardo Cabrita, passou a ser de Fernando Medina. 16,5% dos inquiridos consideram que o ministro das Finanças é o pior governante.

  ZAP //

8 Comments

  1. Q questão que se coloca é a seguinte: depois de tudo o que se passou na última década com as sondagens, há razões para continuarmos a acreditar em sondagens?

    • A ministra da saúde que o povo já considerou como remodelável e uma das piores governantes, agora a sondagem vem dizer que é das melhores! Mas afinal o que é isto?

    • As sondagens não são uma questão de crença!…
      Os seus resultados são SEMPRE relativos e dependem de onde, como e quando são realizadas.

  2. Para piorar a situação em quem Portugal se encontra não ouço um único político dizer-nos o que pretende e fazer para melhorar o País, nem o que pensa fazerem nem como fazer, ou seja não temos políticos com sentido de estado, temos é uma classe que se intitulam de políticos, mas o que querem mesmo é chegar ao poder.

  3. Relembro que, aquando das eleições que conferiram ao PS a maioria absoluta de que actualmente dispõe, as sondagens variavam entre o “empate técnico” entre PS e PSD e a “ligeira vitória” do PS, “mas sem maioria absoluta”… A cerca de duas ou três semanas das eleições, Houve até um desses “estudos” (que se assemelhou muito a “encomenda”) a colocar o PSD à frente, nas intenções de voto dos portugueses…
    Por isso, a minha opinião no tocante às sondagens que se realizam no nosso País, alinha por um diapasão similar aos da D. Ana Campos e do Senhor João Carlos Lopes, que me antecederam nos comentários a esta notícia.
    Relembro que, no estrangeiro, as sondagens eleitorais refletem quase sempre o que vem a comprovar-se, após a contagem dos votos…
    Porque será…?

  4. Fernando Medina caso tipico de quem perdeu uma eleiçao, e foi contemplado com um rebuçado o de Ministro tacho arranjado por Costa para o amigo; tipico compadrio podre desta Nação aonde se ve isso todos os dias, escandalo atraz de outro.
    Não admira que seja o pior e pergunto que habiltaçoes tem para ser Ministro das Finanças?

    • Mas para ocupar um cargo politico em portugal, e necessario ser comptetente? Desde quando? Fujam dai enquanto podem, portugal sera sempre um dos paises mais pobres da europa…..Incompetencia pura e dura.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.