O princípio do fim para o bebé Charlie que sofre de doença rara

Charlie Gard sofre de uma doença rara e sem cura. Os pais perderam a batalha contra o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos para conseguirem levar o seu filho para um tratamento experimental nos EUA. Estava previsto que as máquinas que o mantêm vivo fossem desligadas esta sexta-feira mas os pais conseguiram mais uns dias para se despedirem do filho.

Connie Yates e Chris Gard têm sido notícia por todo o mundo, pela luta incansável que têm travado pela vida do filho. Esta sexta-feira seria o dia que marca o fim da luta, que os pais perderam.

O bebé de 10 meses está internado num hospital, em Londres, e depois de terem tentado levar o filho aos Estados Unidos para um tratamento experimental, os pais viram o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos recusar-lhes o pedido e ordenar que se desligassem as máquinas que o mantêm vivo, dando-lhe apenas cuidados paliativos.

O casal angariou mais de 1,4 milhões de libras – cerca de 1,5 milhões de euros – através de donativos que viriam a financiar a viagem.

Consumado o desfecho do processo, os pais decidiram usar o dinheiro para criar uma associação com o nome de Charlie que ajude crianças que sofram da mesma condição rara – Síndrome de Depleção Mitocondrial, uma doença rara que provoca danos cerebrais irreversíveis.

O hospital alega que quer desligar as máquinas para que a criança tenha uma morte com dignidade, uma vez que acreditam que nada mais pode ser feito pela criança. Segundo o Daily Mail, os pais queriam ainda levar a criança para casa depois de desligadas as máquinas, o que não foi permitido pelos médicos.

No Facebook, o casal partilhou um texto no qual se lia que tinham prometido “ao pequeno rapaz que o levariam para casa”. “Queríamos dar-lhe um banho, em casa, colocá-lo no berço onde ele nunca dormiu e vimos isso ser negado. Sabemos em que dia o nosso filho vai morrer e não temos uma palavra a dizer sobre o assunto”.

Os pais confessam estar “de coração partido” e a passar “as últimas preciosas horas” com o filho. “Não nos permitem escolher se o nosso filho vive, nem escolher quando e onde vai morrer”, lamentam os pais do pequeno Charlie.

Atualização (01/07, 13:20):
Entretanto, o Daily Mail avançou que os médicos responsáveis pelo caso acederam ao pedido dos pais e deram mais alguns dias para que estes se pudessem despedir do seu bebé. “Conversámos hoje com o Great Ormond Street e concordaram em dar-nos um pouco mais de tempo com o Charlie”, afirmou a progenitora ao jornal britânico.

“Estamos gratos por todo o apoio que temos recebido do público nesta altura difícil. Estamos a criar memórias que guardaremos para sempre no nosso coração. Por favor respeitem a nossa privacidade enquanto preparamos o último adeus ao nosso filho”.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Marinha dos EUA está a desenvolver drones para matar ovos em ninhos de pássaros selvagens

A Marinha norte-americana e a empresa Hitron Technologies uniram esforços para desenvolver um drone autónomo projetado especificamente para procurar e destruir o maior inimigo da Marinha: os pássaros. Os drones, que estão já a ser testados …

Cientistas criam hologramas que se movem pelo ar

Uma equipa de cientistas da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, conseguiu desenvolver um holograma que projeta imagens em movimento. Se é fã de Star Treck, ficará impressionado com a mais recente inovação. Um grupo de …

Gangue detido por falsificar a especiaria mais cara do mundo

As autoridades espanholas detiveram um gangue que fazia milhões de euros por ano a falsificar a especiaria mais cara do mundo: o açafrão. Os 17 membros da quadrilha foram detidos na região de Castela-Mancha. Os criminosos …

Santuário medieval recebe escultura em pedra que usa máscara contra a covid-19

Uma catedral histórica do Reino Unido renovou um santuário do século XIV, acrescentando um detalhe que coloca em evidência o momento pandémico que o mundo vive. Agora, a nova escultura está a usar uma máscara …

Aos 10 anos, Adewumi chegou à elite mundial do xadrez (e fugiu ao Boko Haram)

Tanitoluwa Adewumi foi perseguido pelo Boko Haram, fugiu da Nigéria e foi sem-abrigo nos Estados Unidos. Agora, com apenas 10 anos, chegou à elite mundial do xadrez. Grande Mestre é um dos títulos vitalícios concedidos pela …

Hegemonia económica da China cada vez mais longe. Queda demográfica coloca Pequim sob pressão

O objetivo do país é tornar-se na maior potência económica do mundo nos próximos anos, mas a corrida pela hegemonia - disputada com os EUA - pode não ser uma meta fácil de alcançar. O …

Miss Universo 2021. Concorrente da Singapura usa roupa com o slogan "Stop Asian Hate"

Bernadette Belle Ong, uma concorrente do Miss Universo 2021, vestiu uma roupa com as cores de Singapura que continha as palavras Stop Asian Hate ("parem com o ódio contra os asiáticos"). Bernadette Belle Ong aproveitou o …

A Índia está a tornar quase impossível a vacinação dos sem-abrigo

A Índia está a dificultar o processo de vacinação dos sem-abrigo, uma vez que o programa requer um número de telemóvel e uma morada residencial. Muitas pessoas não têm nem um, nem outro.  Na Índia, quase …

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …