Em 1843, o primeiro cartão de Natal foi considerado “escandaloso” (agora vai ser leiloado pela Christie)

Um exemplar do primeiro cartão de Natal impresso comercialmente, em 1843, que retratava uma cena da era vitoriana que escandalizou a população, vai ser posto à venda esta sexta-feira e é considerado um item raríssimo.

Este cartão natalício, do qual existirão, no mundo, apenas cerca de 30 exemplares, retrata uma família britânica a brindar com taças de vinho tinto, numa imagem onde se lê “Um Feliz Natal e um Feliz Ano Novo para si”.

Mas para as pessoas abstinentes – havia bastantes no século XIX – este cartão era considerado uma farsa por dois motivos em particular: a imagem incluía alegria a mais e uma das jovens está a beber vinho a partir de uma taça de adulto.

A sociedade puritana da altura não gostou do modo como o Natal em família tinha sido representado. A contestação foi tal que só três anos mais tarde, em 1846, é que voltou a ser impresso um cartão de Natal.

O exemplar do cartão vai começar a ser vendido, a partir de hoje, através de um consórcio gerido pela Marvim Getman, um revendedor sediado em Boston, no Massachusetts, EUA, especializado em obras e manuscritos.

“As pessoas estavam bastante perturbadas porque esta imagem ‘escandalosa’ tinha crianças a brindarem com uma taça de vinho juntamente com os adultos. Houve uma campanha para a censurar e suprimir”, disse o fundador e presidente da Kingston, Justin Schiller, um revendedor de obras e antiquário responsável pela venda do exemplar do cartão.

A Getman, que ‘deu uma volta’ ao modelo de negócio e se virou para o online por causa da pandemia, disse que esta cópia faz parte de um conjunto de apenas mil exemplares, que terão sido vendidos originalmente a um preço muito baixo, e apenas cerca de 30 exemplares terão sobrevivido.

O cartão foi desenhado pelo pintor e ilustrador John Callcott Horsley, na sequência da sugestão de Sir Henry Cole, um inventor britânico que foi também o fundador do Museu Victoria e Albert, em Londres, Reino Unido.

Cole é também considerado o precursor da tradição de venda de cartões de Natal, que atualmente representa uma indústria multimilionária.

Este cartão em particular terá entrado em circulação para ser vendido na mesma semana em que foi publicada, em dezembro de 1843, a obra “A Christmas Carol”, de Charles Dickens.

A casa de leilões Christie prevê que o cartão consiga ser vendido por um valor entre cinco mil e oito mil libras (cerca de 5500 a 8800 euros), por causa da raridade do artigo e da peculiaridade.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Bebés voltam a poder ser registados no hospital

No início da pandemia, o serviço "Nascer Cidadão" foi encerrado, Agora, mais de um ano depois, já é possível voltar a registar os bebés nos hospitais onde nascem. Os balcões "Nascer Cidadão" foram instalados há mais …

Fauci revela que uso de máscara está a ser revisto nos EUA para pessoas vacinadas

Anthony Fauci, conselheiro de saúde da Casa Branca, disse que os Estados Unidos estão a estudar a possibilidade de levantar a obrigatoriedade do uso de máscara para pessoas vacinadas contra a covid-19. Este domingo, Anthony Fauci …

Tratamentos de radioterapia em risco no IPO de Lisboa

Tratamentos de radioterapia no Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa estão em risco devido à falta de profissionais. O IPO de Lisboa conta com sete aceleradores lineares, aparelhos sofisticados que obrigam à presença física de …

Presidente de associação solidária acusado de violar e escravizar mulheres em situações precárias

O presidente da associação "Paz no Coração" está a ser acusado por 60 crimes sexuais. Atualmente, encontra-se em prisão preventiva. Alfredo Marques Carvalho, líder da associação, acolhia vítimas de violência doméstica, atiradas para a rua com …

Sócrates sai em defesa de Vieira. Em Portugal, "prende-se primeiro e pergunta-se depois"

Em Portugal, "prende-se primeiro e pergunta-se depois", considera o antigo primeiro-ministro José Sócrates, num artigo de opinião publicado esta segunda-feira no qual reage às detenções de Luís Filipe Vieira e Joe Berardo. "Tudo igual, tudo igual, …

Thomas Daley: o ouro para quem sofreu muito

Bullying na escola, morte do pai, homossexualidade, incapaz de caminhar. Thomas Daley venceu uma prova de saltos para a água, em Tóquio, ao lado do também britânico Matty Lee. Surpresa nos saltos para a água, nos …

Depois de uma época dourada, Portugal cai sete lugares no ranking da inovação

A economia nacional caiu sete posições, naquela que é a primeira inversão na trajetória ascendente desde 2014. Apesar do recuo, Portugal melhorou em 18 dos 32 indicadores. A notícia, avançada esta segunda-feira pelo jornal Público, dá …

Mortes de crianças com covid-19 disparam na Indonésia. No Reino Unido aumentam casos graves entre jovens

Médicos britânicos alertaram para o aumento do número de crianças e jovens infetados com covid-19 a dar entrada nos hospitais, apelando à vacinação para não "sofrerem desnecessariamente" com a evolução da doença. "Os doentes estão a …

Empresa portuguesa arrisca multa por enviar ilegalmente resíduos de plástico para a Roménia

Uma empresa portuguesa foi apanhada a enviar resíduos de plástico para a Roménia sem cumprir os requisitos necessários para o fazer. Segundo noticia o Público, a Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento …

Marcos Freitas e Fu Yu brilham no ténis de mesa, Yolanda Sequeira avança no surf

Do ténis de mesa ao surf, a armada portuguesa em Tóquio tem estado em destaque. Marcos Freitas, Fu Yu e Yolanda Sequeira progrediram nas suas respetivas competições. O português Marcos Freitas apurou-se hoje para os oitavos …