Porto: Primeira galeria chegou a Miguel Bombarda há 20 anos

‘L’ Écriture du Désastre’, exposição de João Louro (foto: d.r.  Galeria Fernando Santos)

‘L’ Écriture du Désastre’, exposição de João Louro (foto: d.r. Galeria Fernando Santos)


A galeria Fernando Santos, a primeira a fixar-se na “zona das galerias”, no Porto, comemora em novembro o 20º aniversário com vontade de crescer e de ver a rua Miguel Bombarda transformada numa artéria pedonal.

“Há 20 anos era muita diferente, era uma zona residencial conforme ainda é hoje, mas era uma zona sem comércio e hoje a rua transformou-se e é uma referência”, sustenta Fernando Santos, que gostava de ver o novo executivo camarário retomar a ideia de ampliar o espaço pedonal para toda a artéria.

A Miguel Bombarda e as ruas adjacentes, concentram hoje cerca de 20 galerias mas a zona alberga também lojas de moda, de mobiliário, cabeleireiros e espaços de comércio alternativo como o CCB- Centro Comercial Bombarda.

Há duas décadas, Fernando Santos tinha uma galeria frente ao palácio de Cristal quando encontrou nas proximidades um armazém de vinhos que transformou na primeira galeria de Miguel Bombarda. Hoje tem também uma antiga padaria transformada em galeria e uma garagem que funciona como espaço de exposições alternativas.

“Era uma rua com tantos espaços disponíveis que acabei por fazer o convite aos meus colegas”, recorda Fernando Santos que hoje representa alguns dos nomes mais relevantes das artes plásticas portuguesas, caso Gerardo Burmester, Pedro Cabrita Reis, Nikias Skapinakis ou Alberto Carneiro mas também estrangeiros como Georg Baselitz ou Antoni Tàpies.

Nazoni foi uma universidade

A história da relação de Fernando Santos com a arte começou em Amarante, onde o pai era o responsável pelo museu local e prosseguiu no Porto, onde foi convidado a “integrar o projeto” da galeria Nazoni. “Foi uma universidade para mim”, confessa, mas ao fim de sete anos acabou por montar o seu projeto “quando a Nazoni começou a dar sinais de tremeliques”.

Recusa dizer em que lugar de um hipotético “top” estaria a sua galeria, optando por afirmar que faz o que faz “com muito carinho” e o “melhor” que pode e que talvez isso o faça “diferente das outras” e lhe garanta “ao longo deste percurso uma atividade que as pessoas respeitam muito”.

“Há um triângulo que tem de funcionar muito bem entre o artista, o galerista e o colecionador. Tem que haver uma relação de muita transparência, muita honestidade e fidelizar o colecionador é muito importante, porque as pessoas são desconfiadas se não dermos essa ideia de seriedade… não é só vender, é preciso motivar os artistas, é preciso conhece-los, isto é uma família”, afirma.

Fernando Santos garante que nos últimos 25 anos “o mercado de arte funcionou, houve muito dinheiro, as casas estavam vazias a arte acabou por mexer com a vida das pessoas em termos da decoração e de toda a ostentação que começou a haver”. Pertence a essa altura a peça mais cara que vendeu, um Tàpies, por cerca de 300 mil euros.

Hoje, afirma, “as casas estão cheias, há poucos colecionadores em Portugal” vivendo-se “uma crise completamente diferente das outras, que não se refletiram tanto nas vendas”.

Para Fernando Santos, se “as coisas estão um bocado paradas” não se pode baixar as mãos”. “Temos de manter a nossa atividade, temos uma função pedagógica, soubemos poupar para tempos mais difíceis e vamos funcionando com a programação sempre de qualidade que é importante para manter a galeria”, acrescenta.

O papel de Serralves

Fernando Santos destaca o papel “importantíssimo na divulgação” que o Museu de Serralves tem tido – “a instituição de arte mais prestigiada do país” – e lamenta que não exista em Portugal, especialmente para as pessoas que nos visitam, “uma instituição nacional que tenha uma coleção de arte portuguesa permanente”.

A crise não retirou a Fernando Santos a vontade de fazer mais. Enquanto vai mostrando os seus espaços à agência Lusa, que incluem também um armazém ao lado da galeria, fala de anexar mais uma área que lhe permitiria ligar Miguel Bombarda ao largo da maternidade Júlio Dinis.

Mas o seu projeto de eleição era a ampliação da zona pedonal, que hoje se limita a um quarteirão, a toda a extensão de Miguel Bombarda. “Tenho esperança que Rui Moreira pegue nisso porque os turistas hoje vêm cá à procura de zona das galerias e saem um pouco desiludidos”.

ZAP/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Tondela 1-3 FC Porto | Hat-trick de Taremi castiga insolência beirã

O iraniano Mehdi Taremi foi a grande figura da vitória do FC Porto em casa do Tondela, por 3-1. Os homens da casa marcaram primeiro, mas cedo se viram reduzidos a dez elementos e tiveram …

Chamam-lhe "Lady Trump". A candidata a governadora do Nevada que está a gerar polémica

Conhecida como "Lady Trump", Michele Fiore anunciou a sua candidatura a governadora do estado do Nevada em estilo, gerando polémica nos Estados Unidos. Michele Fiore, vereadora de Las Vegas, anunciou esta terça-feira a sua candidatura a …

Benfica abre inquérito a envolvimento de colaboradores em negócio de ações da SAD

O Benfica abriu um inquérito interno para averiguar o possível envolvimento de dois colaboradores num eventual negócio de transação de ações da SAD ‘encarnada’, informou hoje o clube, em comunicado. “Tendo em conta as recentes notícias …

Um hipopótamo na água

Tribunal norte-americano reconhece hipopótamos de Pablo Escobar como pessoas jurídicas

O grupo de hipopótamos, mais uma parte do legado deixado na Colômbia por Pablo Escobar, recebeu o estatuto de "pessoas jurídicas". Um tribunal federal dos Estados Unidos defendeu que os descendentes dos hipopótamos do barão da …

Mais rapidez e menos ruído. E-bikes permitem que militares em ação passem despercebidos

Os soldados do Regimento de Cavalaria da Infantaria Montada de Queensland, na Austrália, estão a testar e-bikes para perceber se o veículo poderá ser uma opção válida para operações no terreno. Passar despercebido no terreno é …

Oposição critica Governo de El Salvador por usar a covid-19 para limitar manifestações

Na quarta-feira, a Assembleia Legislativa de El Salvador aprovou um decreto que proíbe reuniões públicas e privadas que não estejam relacionadas com as artes, cultura ou desporto até 8 de dezembro. Segundo a Vice, apesar de …

Portugal com mais 883 casos confirmados e quatro mortes

Portugal regista hoje mais 883 casos confirmados de covid-19 e quatro óbitos pela doença, assim como 729 pessoas recuperadas e menos internamentos em enfermaria e unidades de cuidados intensivos, de acordo com o boletim diário. Segundo …

Um boneco do Super-Homem a voar

Indianos declaram "guerra" ao Super-Homem e à Mulher-Maravilha

Injustice, o último filme de animação da DC Comics, deixou alguns indianos muito perto de um ataque de fúria. Cenas em que o Super-Homem e a Mulher-Maravilha surgem a lutar contra militares indianos e a …

Alec Baldwin

Hollywood em choque. Alec Baldwin recebeu arma carregada, mas disseram-lhe que estava "fria"

A morte da directora de fotografia Halyna Hutchins, depois de ter sido atingida pelo actor Alec Baldwin durante as filmagens de "Rust", deixou o mundo de cinema de Hollywood abalado. E ninguém percebe como é …

Provedor da Santa Casa sob suspeita. Renda com desconto, gastos e bolsa investigados

A Polícia Judiciária (PJ) apreendeu documentos e computadores ao provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), Edmundo Martinho, e à professora Maria da Luz Cabral. Em causa estarão suspeitas relacionadas com despesas, uma …