Polvos não só sentem dor fisicamente, como também emocionalmente

Um novo e importante estudo sugere que os polvos provavelmente sentem e respondem à dor de uma forma semelhante à dos mamíferos.

De acordo com o site Science Alert, estudos anteriores já mostraram que os polvos podem responder reflexivamente a estímulos nocivos, aprendendo a evitar estes contextos prejudiciais.

O novo estudo aborda a experiência de dor destes animais em três partes. Depois de uma única sessão de treino numa caixa com três câmaras, os polvos que receberam uma injeção dolorosa de ácido acético mostraram claramente evitar a câmara onde isso aconteceu.



Por sua vez, os polvos que estavam no grupo de controlo – que receberam uma injeção indolor com uma solução salina – não tiveram essa reação e as suas preferências pelas câmaras não parecem ter sido influenciadas.

Além disso, quando os polvos que tinham sido sujeitos ao ácido acético receberam lidocaína (um analgésico), tenderam a preferir a câmara na qual sentiram alívio imediato da dor. Os animais que receberam apenas solução salina não ligaram à câmara onde o analgésico tinha sido aplicado.

A equipa de investigadores também encontrou evidências de que os polvos podem discriminar entre diferentes qualidades e intensidades de dor em diferentes locais dos seus corpos.

Todos os polvos que receberam o ácido tiveram um comportamento de limpeza no local da injeção durante os 20 minutos do teste, removendo uma pequena área da sua pele com o chamado bico (ou rostro).

Segundo o site IFLScience, a terceira e última parte da pesquisa traçou paralelos interessantes entre mamíferos e cefalópodes. Isto porque quando os mamíferos se magoam num determinado membro, por exemplo numa pata, a atividade neural associada à dor ocorre no centro do cérebro.

Esta atividade remota do local da lesão também é vista entre cefalópodes e, até agora, estes animais são os únicos invertebrados conhecidos por replicar este padrão. Algo confuso, visto que os polvos têm cérebros únicos que se estendem até aos seus membros.

Para testar se essa forma de processar a dor poderia ser observada em polvos, os investigadores fizeram gravações eletrofisiológicas para verificar onde foi desencadeada a atividade neural após a injeção de acido acético e perceber se essa atividade permanecia até a dor desaparecer com o efeito da lidocaína.

Os cientistas descobriram que a dor no braço desencadeou uma atividade prolongada que foi rapidamente silenciada pelo alívio da dor injetado no mesmo local que o ácido.

“Juntos, estes dados dão um forte suporte para a existência de um estado afetivo negativo e duradouro nos polvos; a primeira evidência de experiência de dor neste clado de invertebrados neurologicamente complexos”, escreveram os autores do estudo publicado, a 22 de fevereiro, na revista científica iScience.

ZAP ZAP //

 

 

 

 

PARTILHAR

RESPONDER

Estas formigas encolhem o cérebro para se tornarem rainhas

Cientistas descobriram que as formigas saltadoras indianas reduzem o tamanho do seu cérebro para terem a oportunidade de se tornarem rainhas (e que são capazes de reverter esta mudança quando é preciso). Há muito que …

O "fantasma" de Sócrates pairou no aniversário do PS, mas ninguém o mencionou

O secretário-geral do PS, António Costa, homenageou esta segunda-feira, dia do 48.º aniversário do partido, os primeiros 115 autarcas socialistas eleitos em 1976 e afirmou que os militantes do partido são mais importantes do que …

"Sem paralelo em qualquer outra experiência externa". Marcelo elogia reuniões no Infarmed

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considera que as reuniões do Infarmed, que juntam especialistas, líderes políticos e parceiros sociais, são realizadas “num quadro político e institucional sem paralelo em qualquer outra experiência …

Fotografia da NASA demonstra Teoria da Relatividade Geral de Einstein

O aglomerado Abell 2813 tem tanta massa que atua como uma lente gravitacional, fazendo com que a luz de galáxias distantes se curve à sua volta. A lente gravitacional acontece quando a massa de um objeto …

Astrónomos descobrem uma super-Terra perto de uma estrela gelada

Uma equipa de investigadores descobriu uma super-Terra a orbitar GJ 740, uma estrela anã fria localizada a cerca de 36 anos-luz do nosso planeta. Nos últimos anos, os cientistas têm levado a cabo uma busca exaustiva …

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …