Polícia de Charlotte divulga vídeos da morte de Keith Scott

A polícia da cidade norte-americana de Charlotte divulgou o vídeo que capta a morte de um afro-americano após encontro com agentes do estado da Carolina do norte, após vários dias de protestos nas ruas.

A morte de Keith Lamont Scott, que aconteceu na terça-feira, causou várias noites consecutivas de distúrbios na cidade, onde os residentes pediram à polícia que tornasse públicas as imagens captadas pelas câmaras dos agentes envolvidos. No entanto, de acordo com a polícia, os vídeos não permitem esclarecer se o homem estava ou não armado.

Os dois vídeos foram disponibilizados a vários meios de comunicação norte-americanos e publicados online. O primeiro mostra Scott a sair de um veículo e a andar para trás, com a polícia a disparar quatro tiros contra ele, mas não é possível ver se tinha uma arma na mão. Um segundo vídeo mostra Scott já no chão, no momento após ser baleado e quando os agentes o rodearam.

A polícia tinha recusado divulgar as imagens das câmaras dos agentes, que diziam revelar que o homem de 43 anos representava uma ameaça para os agentes.

No entanto, o chefe da polícia Chief Kerr Putney mudou de posição no sábado e disse aos jornalistas que as pessoas “querem ver os factos objetivos”. “E é isso que vamos apresentar”, sublinhou.

“As pessoas podem fazer as interpretações que quiserem com base num elemento de prova, e posso dizer-vos que suspeito que o vão fazer com base nas filmagens. Mas o que digo é: têm de juntar todas as peças”, explicou.

O advogado da família Justin Bamberg apontou, em conferência de imprensa, que, apesar das novas imagens, ainda não é possível “identificar claramente o que, se alguma coisa, estava nas suas mãos, e isso não mudou”.

Scott foi baleado pelo agente Brentley Vinson durante um confronto no parque de estacionamento de um complexo residencial, onde a polícia se deslocou à procura de outro homem.

A viúva da vítima, Rakeyia, publicou na sexta-feira um vídeo em que a própria surge a pedir aos agentes que não disparem contra o seu marido já que, segundo diz, estava desarmado.

No vídeo, divulgado pelo canal NBC News, não se vê o momento em que Scott é abatido pela polícia, mas ouve-se a mulher a dizer “Não disparem, ele não está armado, não vai fazer nada“.

Rakeyia explicou aos agentes que Scott tinha tomado medicamentos para tratar uma lesão cerebral.

Mesmo num estado em que é legal ter armas, mediante licença, a polícia acusou Scott de estar armado e de representar uma “ameaça de morte iminente” para os agentes, um relato que tem sido rejeitado por familiares e testemunhas.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Treze meses depois, Coreias voltam a falar ao telefone

As comunicações telefónicas estavam cortadas entre as duas Coreias desde junho de 2020, mas os dois países retomaram os contactos esta terça-feira. As duas Coreias retomaram esta terça-feira a comunicação telefónica 13 meses depois de ter …

Benfica: Kaio Jorge não quer jogar em Portugal (e alínea pode impedir saída)

Santos aceitou proposta vinda da Luz mas o jovem avançado prefere o campeonato italiano. E ainda há uma alínea no contrato que vai ser analisada. O Benfica apresentou uma proposta pela contratação de Kaio Jorge, com …

Quase 70% dos internados em UCI têm menos de 59 anos

Quase 70% dos doentes com covid-19 em unidades de cuidados intensivos (UCI) têm menos de 59 anos, revelou a Ordem dos Médicos, indicando que em enfermaria os doentes abaixo dessa faixa etária são cerca de …

Reunião no Infarmed. Especialistas propõem plano de quatro níveis (e a máscara cai no nível 2)

A sede da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed), em Lisboa, voltou a acolher mais uma reunião de peritos esta terça-feira. Foi apresentada uma proposta de alteração da matriz de risco, assente em quatro níveis. Portugal não …

Mais de 11.300 suspeitas de reações adversas às vacinas registadas em Portugal

Mais de 11.300 suspeitas de reações adversas às vacinas contra a covid-19 foram registadas em Portugal e houve 68 casos de morte comunicados em idosos, mas não está demonstrada a relação causa-efeito, segundo o Infarmed. De …

Incêndios "sem precedentes" devastam Sardenha

Condições climatéricas adversas e severas, como altas temperaturas e ventos fortes, estiveram na origem dos incêndios florestais que se registaram em vários países do sul do continente europeu, como Itália, Espanha, França ou Grécia. A ilha …

Gabriel foi afastado do plantel e pode ser reforço de Rui Vitória

Jorge Jesus não conta com Gabriel para a próxima temporada e já colocou o médio a treinar à parte do plantel, acompanhado por um preparador físico. O Benfica está a trabalhar com o representante do jogador …

Governo quer reduzir para três o número de testemunhas em processos civis

O Governo quer reduzir para três o número máximo de testemunhas por cada facto que se queira ver provado em tribunal no âmbito de um processo, visando aumentar a celeridade e estabelecer um critério de …

Myanmar. Junta militar anula resultados das eleições de 2020

Militares entendem que a votação não foi "livre e justa". Anúncio da anulação das eleições de 2020 não foi acompanhado de uma data para a realização de um novo ato eleitoral — tal como seria …

Contas públicas agravam-se face a 2020. Receita fiscal volta a crescer

Ministério de João Leão atribui incumprimento à terceira vaga da economia, que significou novas restrições à circulação e nos horários dos estabelecimentos. A receita fiscal e contributiva cresceu, um sinal animador para uma recuperação económica …