Piloto português Armindo Neves morre durante a Africa Eco Race

Dakar Portugal / Instagram

O piloto português Armindo Neves.

Armindo Neves não resistiu aos ferimentos após um acidente no final da segunda etapa da Africa Eco Race. O piloto português tinha 51 anos.

O piloto português Armindo Neves morreu esta quarta-feira na prova Africa Eco Race. O motociclista de 51 anos não resistiu a um acidente no final da segunda etapa, entre Bousaid, na Tunísia, e Tagounite, em Marrocos. A informação foi confirmada pela organização da prova.

No vídeo divulgado pela Africa Eco Race, com comentários dos organizadores, é dito que o piloto português foi assistido de imediato, com dois helicópteros e quatro médicos no local, mas não resistiu aos ferimentos.

“O que se sabe é que sofreu uma queda, no final da segunda etapa, e não resistiu aos ferimentos”, disse à Lusa Manuel Marinheiro, presidente da Federação de Motociclismo de Portugal (FMP).

Armindo Neves iniciou a carreira em 1989, na mítica Baja de Portalegre, onde iniciou a sua ascensão ao estatuto de um dos melhores motociclistas do país.

A Africa Eco Race é realizada no deserto, passando por Marrocos, Mauritânia e Senegal até ao fim do mês.

Esta era a primeira participação na prova africana, que vai na 14.ª edição, e surgiu como alternativa ao rali Dakar de todo-o-terreno, quando a mítica maratona abandonou África para a América do Sul, na sequência de ameaças terroristas que levaram ao cancelamento do Lisboa-Dakar de 2008.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Dakar Portugal (@dakarportugal)

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Dakar Portugal (@dakarportugal)


O Correio da Manhã lembra ainda que, em 1991, Armindo Neves sagrou-se o melhor piloto português no prólogo da Baja Portalegre. Já em 2019, o piloto venceu o troféu Nacional de Veteranos no Campeonato Nacional Todo o Terreno.

Armindo Neves é o segundo piloto português a morrer numa prova de todo-o-terreno, depois de Paulo ‘Speedy’ Gonçalves ter morrido na sequência de uma queda sofrida na sétima etapa do rali Dakar, em 2020.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.