Este pequeno verme é a criatura mais barulhenta dos oceanos

O oceano é um lugar surpreendentemente barulhento. Há baleias cantoras, camarões-pistola que produzem estrondos sónicos e cardumes de peixes barulhentos. 

Mas das criaturas grandes e pequenas que habitam os nossos oceanos, poucas se tornam mais barulhentas do que uma estranha e pequena espécie de minhoca.

Os vermes marinhos, Leocratides kimuraorum, podem ser encontrados em esponjas na costa do Japão, a profundidades de mais de 330 pés. De acordo com o artigo publicado a 8 de julho na revista Current Biology, uma equipa de biólogos marinhos da Universidade de Kyoto e da Universidade de Alberta descobriu que este minúsculo verme consegue produzir um ruído que atinge cerca de 157 decibéis.

A audição humana começa a ficar desconfortável em torno de 110 decibéis, enquanto 130 decibéis é o limite, tornando-se doloroso e prejudicial. Um leão pode rugir tão alto como 114 decibéis e um alouatta, um macaco que é o animal mais barulhento das Américas, pode guinchar a 140 decibéis. Até um motor a jato a descolar a poucos metros de distância é de apenas 150 decibéis.

Os investigadores não sabem como é que uma minhoca minúscula produz um ruído tão poderoso, uma vez que é bastante incomum que animais de corpo mole gerem altos ruídos. No entanto, especulam que seja gerado através de uma simples contração muscular que nunca foi documentada em criaturas de corpo mole, o que cria uma onda de pressão semelhante à dos camarões.

“Claramente, até mesmo os invertebrados marinhos de corpo mole conseguem produzir sons notavelmente altos debaixo de água”, escrevem os autores do estudo, citado pela Science Magazine. “Como o fazem continua a ser um quebra-cabeça biomecânico intrigante que sugere um novo tipo de biologia extrema.”

“Sugerimos um novo mecanismo para gerar movimentos ultrarrápidos e sons altos num animal de corpo mole: paredes musculares finas e faríngeas parecem permitir o armazenamento de energia. Isso permite uma expansão extremamente rápida da faringe dentro do corpo do verme durante o ataque, o que produz um som de estalo intenso e um influxo rápido de água”.

A razão para fazerem esse barulho também é um mistério. Muitas outras pequenas feras marinhas usam explosões de barulho para atordoar as suas presas. Os cientistas acham que o L kimuraorum usa seu som para atordoar outros vermes durante um duelo, no que chamam de “luta pela boca”.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. …deviam ter um aviso bem visível para visualizar o vídeo com o som no mínimo, caro Zap.
    Agora vou ter de substituir os altifalantes do pc!

RESPONDER

Quase 40% dos americanos com dificuldades financeiras. Doar sangue é a sua maior receita

A economia dos Estados Unidos (EUA), considerada uma das maiores do mundo, permitiu avanços sociais e tecnológicos inestimáveis. Contudo, atualmente, cerca de 40% dos norte-americanos afirmam ter dificuldade em pagar por comida, por habitação, por …

"Políticos devem ser colocados contra a parede". Greta pede desculpa

A ativista do clima Greta Thunberg pediu desculpa por ter dito que os políticos devem ser colocados “contra a parede”, após diversas pessoas terem considerado que a jovem estava a defender a violência. A sueca de …

Carnaval belga retirado da lista de Património Imaterial da UNESCO após queixas de antissemitismo

As festas da cidade de Aalst, na Bélgica, foram retirada da lista do Património Imaterial da Humanidade, depois de a UNESCO ter sancionado a presença de carros carnavalescos contendo imagens antissemitas. O presidente da Câmara …

Conselho de Ministros aprova proposta de OE2020 (e foram quase 10 horas de reunião)

O Conselho de Ministros aprovou hoje a proposta de Orçamento do Estado para 2020, dez horas depois de a reunião extraordinária ter começado, anunciou hoje o primeiro-ministro na sua página na rede social Twitter. "O Conselho …

Nova espécie de baleia mostra como este animal evoluiu para conseguir nadar

Cientistas descobriram uma nova espécie de baleia, que existiu há 35 milhões de anos, que pode dar novas pistas sobre como as baleias evoluíram para conseguir nadar. De acordo com a revista Newsweek, os investigadores analisaram …

Casal separado após sobreviver a Auschwitz reencontra-se 72 anos depois em Nova Iorque

Em 1944, David Wisnia e Helen "Zippi" Spitzer eram dois prisioneiros judeus e secretamente namorados que, miraculosamente, conseguiram sobreviver ao campo de concentração nazi Auschwitz, na Polónia. Porém, no final da guerra, foram separados depois de …

Benfica 4-0 Famalicão | Pizzi entrega saco cheio de Natal

O Benfica terminou o seu ano de Liga NOS com mais uma vitória, de novo por 4-0, tal como havia acontecido na anterior partida no Estádio da Luz, ante o Marítimo. Desta vez frente ao …

Morreu o ator Danny Aiello

Morreu esta quinta-feira, em Nova Jérsia, o ator Danny Aiello, que recordamos pelos seus muitos êxitos dos anos 80. Tinha 86 anos. "É com profunda dor que comunicamos que Danny Aiello, amado marido, pai, avô, ator …

Videojogo chinês incita jogadores a atacar os "traidores" em Hong Kong

Há um novo videojogo que está a ganhar popularidade na China. Chama-se "Fight the Traitors Together" e permite que os jogadores ataquem manifestantes de Hong Kong. No jogo, os jogadores podem bater nos manifestantes pró-democracia, sendo …

Mundial de Clubes proíbe demonstrações públicas de afeto

Começou na passada quarta-feira, dia 11 de dezembro, em Doha, capital do Catar, o Mundial de Clubes da FIFA, prova onde estão inseridos clubes como Flamengo e Liverpool. E esta até poderia ser mais uma …