Os peixes-elefante também fazem pausas antes de partilhar algo importante

(dr) Tsunehiko Kohashi

Cientistas descobriram que os peixes-elefante também fazem pausas quando querem passar uma informação importante a quem os está a ouvir.

Por vezes, fazer uma pausa antes de dizer alguma coisa importante pode ser uma boa estratégia para os nossos interlocutores nos ouvirem com atenção. E, pelos vistos, não somos os únicos a fazê-lo.

Sapos e pássaros também já foram observados a fazer pausas propositadas quando comunicam e, de acordo com o site Science Alert, o caso mais recente diz respeito ao chamado peixe-elefante (Mormyridae).

Esta família de peixes de água doce comunica através de pulsos fracos de eletricidade, mas uma nova investigação descobriu que a informação que passam uns aos outros também é marcada por pausas em determinados momentos.

Quando colocados em pares, os peixes-elefante, mais concretamente da espécie Brienomyrus brachyistius, geram ativamente pausas nos seus sinais elétricos, antes de enviarem uma explosão de pulsos elétricos. Quando estão isolados, fazem-no com muito menos frequência, o que sugere que é mesmo uma característica da sua comunicação.

“A nossa descoberta de que a explosão de pulsos elétricos tende a ocorrer imediatamente depois das pausas é semelhante ao comportamento dos humanos, que costumam fazer pausas antes de palavras com alto conteúdo de informação”, escreveram os autores do estudo publicado, a 26 de maio, na revista científica Current Biology.

“Curiosamente, as escalas de tempo relevantes para as pausas no discurso humano são aproximadamente semelhantes às da comunicação elétrica dos Mormyridae, ocorrendo na faixa das centenas de milissegundos a segundos”, nota ainda a equipa.

Esta situação sugere que está a ocorrer um processo celular semelhante no nosso cérebro e no cérebro destes peixes. E os cientistas pensam saber qual é.

Tal como explica o mesmo site, quando os recetores no cérebro são estimulados de forma contínua, as sinapses são conhecidas por enfraquecer com o tempo, diminuindo a atividade dos circuitos sensoriais no geral. Isto é conhecido como depressão sináptica e é o que permite ao cérebro animal aprender quais são os sinais mais importantes e, portanto, os que precisam de mais atenção.

Quando os investigadores estimularam artificialmente o mesencéfalo destes peixes elétricos com um sinal constante, notaram que os seus circuitos sensoriais produziam respostas cada vez mais fracas ao “ruído” contínuo.

Uma pausa, por outro lado, deu a esses neurónios um intervalo, “maximizando, assim, o impacto das entradas sensoriais” quando a comunicação foi retomada.

“As pausas parecem tornar a mensagem seguinte o mais clara possível para o ouvinte”, explica o neurobiólogo Tsunehiko Kohashi, da Universidade Washington, em St. Louis, e um dos autores do estudo.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Governo quer fazer alterações na duração de cargos de dirigentes

As mudanças que estão a ser preparadas passam por reduzir a duração dos cargos em substituição e, por outro lado, pelo ajustamento do período das comissões do serviço em função da avaliação. Segundo o Jornal de …

Responsável pelas manifestações em Lisboa é coordenador no Gabinete de Apoio à Presidência da CML

O responsável pelas manifestações na cidade de Lisboa é coordenador técnico no Gabinete de Apoio à Presidência da Câmara liderada por Fernando Medina. De acordo com o semanário Expresso, António Santos tem sido, nos últimos …

Sporting e Braga jogam Supertaça em Aveiro no dia 31 de julho

A Supertaça Cândido Oliveira, que vai ser disputada entre Sporting e Sporting de Braga, vai ser disputada em Aveiro, a 31 de julho, anunciou a Federação Portuguesa de Futebol (FPF). "A decisão da Supertaça Cândido de …

Um quarto da população portuguesa já tem a vacinação completa

Em Portugal, 42% das pessoas já receberam a primeira dose de uma vacina contra a Covid-19 e 25% — cerca de um quarto da população — estão completamente vacinados. De acordo com o mais recente relatório …

Cardiologista do Tottenham admite ponto final na carreira de Eriksen

O cardiologista do Tottenham, Sanjay Sharma, admite um ponto final na carreira de Christian Eriksen, que caiu inanimado no jogo entre a Dinamarca e a Finlândia. O encontro entre Dinamarca e Finlândia, da primeira jornada do …

ARS Norte conta avançar com recuperação de consultas em atraso ainda este mês

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte conta avançar durante este mês com o programa especial de incentivos financeiros para recuperação de consultas presenciais nos cuidados de saúde primários (CSP), propondo-se recuperar metade da …

Cristiano Ronaldo no Euro 2020

"Rei do Euro". Ronaldo fez história na Hungria (e ainda vai durar "mais uns 3 aninhos")

Cristiano Ronaldo marcou dois dos golos de Portugal na vitória frente à Hungria por 3-0, na estreia da Selecção no Euro 2020, e tornou-se no melhor marcador de sempre dos Campeonatos Europeus de futebol. Aos …

"Insultos são a arma dos fracos". Ministro defende lei das minas e lança farpas a Catarina Martins

Matos Fernandes defende acerrimamente o novo decreto lei da exploração mineira e lança farpas a Catarina Martins, que o criticou: "Insultos são a arma dos fracos". No domingo, o Bloco de Esquerda anunciou que ia pedir …

Crónica ZAP - Linha de Fundo por Teófilo Fernando

Linha de Fundo: Ronaldo e agitadores derrubaram a muralha

Rajada final garantiu vitória lusa na estreia. Ronaldo a bisar e a quebrar três recordes. Todos os jogos da primeira jornada. Visto da Linha de Fundo. A paciência tem limites Hungria 0 – 3 Portugal (Raphaël …

O ex-líder do PAN, André Silva.

"Ficaram a usufruir de uma renda". André Silva arrasa deputados dissidentes do PAN

Cristina Rodrigues e Francisco Guerreiro, deputados eleitos pelo PAN, "sempre estiveram concertados" e deixaram o partido por "ambições pessoais", ficando a "usufruir de uma renda" à custa desses lugares políticos. A acusação é de André …