Pássaros e mamíferos são mais ágeis graças aos seus afinados recetores

Um novo estudo sugere que tanto os pássaros como os mamíferos devem os seus passos ágeis aos recetores afinados conhecidos como órgãos tendinosos de Golgi.

Os neurocientistas já sabiam que o sistema nervoso periférico dos tetrápodes (animais quadrúpedes) varia muito. No entanto, de que forma estas diferenças afetam a forma como os animais andam, correm ou se movem permanecia um mistério.

Agora, um artigo científico publicado no Journal of Experimental Biology vem desfazer estas dúvidas: as adaptações neuromusculares – tanto em mamíferos como em aves – podem ter permitido que estes animais se tornassem mais ágeis do que os répteis ou os anfíbios.

Michael Granatosky, investigador do Instituto de Tecnologia de Nova York e autor principal deste estudo, referiu que esta pesquisa pode “explicar por que motivo os tigres têm uma caminhada muito mais suave do que os crocodilos, que arrastam o seu abdómen”. Além disso, pode também esclarecer por que razão os humanos evoluíram ao ponto de, atualmente, andarem com passos tão uniformes.

Os tetrápodes têm pequenos recetores nos músculos – órgãos tendinosos de Golgi – que têm como função proteger os músculos das forças durante a locomoção e outras atividades físicas.

Órgãos tendinosos de golgi em répteis e anfíbios vs pássaros e mamíferos

Quando a tensão muscular aumenta, estes recetores dão sinais ao sistema nervoso para este produzir reflexos que libertam a tensão e previnem eventuais lesões. Tanto os anfíbios como os répteis têm tendões de Golgi, mas estes estão localizados mais longe da junção músculo-tendão, o que sugere que detetam a tensão em todo o músculo.

Pelo contrário, os órgãos tendinosos de Golgi nos pássaros e nos mamíferos localizam-se diretamente na junção músculo-tendão, o que significa que têm uma maior capacidade de detetar tensão em áreas musculares precisas – permitindo, por sua vez, um movimento mais controlado.

“Estas variações estruturais são bem conhecidas, mas nunca ninguém questionou o que realmente significam para os animais”, começou por dizer Granatosky, citado pelo Phys.org. Nesta nova investigação ficou claro que as variações afetam diretamente a forma como os animais respondem às forças que atuam nos seus membros.

Além de ágeis, esta capacidade de resposta dos pássaros e dos mamíferos permite-lhes recuperar rapidamente em caso de queda. Granatosky acredita que os sistemas nervosos menos responsivos dos répteis e dos anfíbios podem ter causado uma necessidade de proteção que levou os animais a adaptar ossos mais fortes.

“Os ossos de répteis e anfíbios podem sustentar forças dez vezes mais pesadas do que o seu peso, enquanto que os ossos de pássaros e mamíferos podem sustentar apenas duas vezes e meia o seu peso”, rematou.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Espanha prepara-se para decretar estado de alerta

O Governo espanhol prepara-se para decretar estado de alerta em todo o território, depois de ter colocado a região de Madrid neste nível de alerta. A notícia é avançada este sábado pelo jornal espanhol El País, …

Jerónimo de Sousa deve ser reconduzido na liderança do PCP

O atual secretário-geral do PCP deve ser reconduzido no cargo no congresso que está agendado para o final de novembro, avança este sábado o jornal Público. De acordo com o matutino, as atuais regras sanitárias …

Elixir oral (e outros produtos domésticos) poderá ajudar a neutralizar o SARS-CoV–2

Alguns produtos domésticos, como é o caso do elixir oral e produtos para a descongestionar as vias nasais, mostraram-se eficazes em neutralizar um tipo coronavírus num estudo científico levado a cabo com células humanas. A …

Presidente da Polónia com teste positivo de covid-19

O Presidente da Polónia, Andrzej Duda, testou positivo para o novo coronavírus, anunciou este sábado o porta-voz do chefe de Estado. "Como se esperava, o Presidente @AndrzejDuda foi ontem [sexta-feira] submetido a um teste para detetar …

"Com o futebol acabei com a Guerra do Iraque". Jorvan Vieira, o treinador português que é Deus no mundo árabe

Jorvan Vieira é um nome que pouco deve dizer à maioria dos adeptos de futebol. Filho de portugueses emigrados no Brasil, fez grande parte da sua carreira no Médio Oriente, onde é acarinhado por milhões. …

Capacidade de cuidados intensivos na Europa vai chegar ao limite, alerta OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou esta sexta-feira que muitas unidades de cuidados intensivos na Europa vão chegar ao limite da sua capacidade nas próximas semanas. "Há uma situação muito preocupante a acontecer na Europa. …

Geólogos "ressuscitam" placa tectónica desaparecida

A existência da placa tectónica Ressurreição nunca foi consensual: alguns geólogos argumentam que nunca foi real e outros alegam que a placa sofreu um processo de subducção no manto da Terra, em algum lugar da …

Não se esqueça: muda a hora este domingo

Os relógios vão atrasar 60 minutos na madrugada do próximo domingo em Portugal para dar início ao horário de inverno. Em Portugal Continental e na Região Autónoma da Madeira, os relógios deverão ser atrasados uma hora …

Cientistas mediram o período de tempo mais curto de sempre

Uma equipa de físicos e metrologista da Universidade Goethe de Frankfurt, na Alemanha, anunciou que conseguiu medir o menor período de tempo já determinado - são 247 zeptosegundos, segundo os cientistas. O processo físico cuja …

Viagens expresso no Sistema Solar. Nave espacial pode chegar a Titã em apenas 2 anos

Uma equipa de cientistas está a trabalhar num propulsor de nave espacial que, segundo eles, poderia alcançar a misteriosa lua de Saturno, Titã, em menos da metade do tempo que o satélite Cassini demoraria. Apesar de …